Maze Oliver: ‘O mistério da velha’

12/03/2022 21:03

Maze Oliver

O mistério da velha

Esta história foi minha mãe quem me contou. Disse-me ela que, num bairro onde morou de aluguel, em Rio Branco, havia um casal com uns costumes muito estranhos. 

A mulher muito alta, de aparência excêntrica: pernas muito finas, cabelo grande e muito ralo, vestida com roupas que mais pareciam trapos. O homem de estatura baixa, cabelos arruivados e mal cortados, sempre com cheiro de coisa ruim vindo das axilas. Ambos moravam juntos e poucas vezes saiam de casa. Eles eram alvo de curiosidade dos vizinhos que prestavam atenção em tudo que faziam.  

Haviam boatos que eram parentes, mas não se sabia ao certo, tanto era a distância em que se mantinham das pessoas do lugar. As únicas palavras que as pessoas do bairro Quinze ouviam deles era um bom dia ou uma boa noite. 

De vez em quando se ouvia um alarido vindo da casa do casal, junto com gritos e grunhidos estranhos de bicho, que não dava para saber de qual animal se tratava, semelhante a barulho de porcos. 

Numa noite de lua cheia, o casal saiu de casa e logo um vizinho curioso o acompanhou.  

– Irei, finalmente, descobrir o mistério do par estranho!  – pensou o vizinho. 

Lá pelas tantas da madrugada, depois do casal parar numa taberna e tomar uma meiota,  voltou para casa mais bêbado que um gambá. De repente, um deles começou a grunhir que nem porco. A mulher, num susto, transformou-se numa porca grande e gorda e se danou a correr atrás do parceiro que corria mais que a porca, batendo o pé na bunda. Assim chegou ele primeiro em casa e, esbaforido, entrou, fechando a porta atrás de si, mais veloz que um raio.  

A bicha ficou arrodeando a casa, na tentativa de entrar por alguma fresta até o amanhecer do dia. Quando cansou, deitou na soleira da porta e dormiu, desvirando-se em mulher, imediatamente. 

O vizinho, que estava escondido atrás de uma árvore e acompanhava tudo, esbugalhou os olhos pensando ter tido uma alucinação e saiu correndo, quase voando, no rumo de casa.  

Segundo minha mãe, um senhor muito antigo do lugar contara, pedindo segredo, que o casal era mãe e filho e que a mulher havia sido castigada com um feitiço por ter-se relacionado com o próprio filho.  

Verdade ou não, contos do povo… 

 

Maze Oliver

Membro fundador da SLA

Membro da AJEB – AC

Imortal da AAL

 

Tags: