Marilza Santos: ‘Gemidos suprimidos’

10/06/2021 10:11

Marilza Santos

Gemidos suprimidos

Tuas dores, ó povo Brasileiro, ouço-as sem cessar.

As dores dos idosos em seus leitos, entubados a chorar.

As dores dos mais jovens, conscientes ou não,

Temendo um futuro que, talvez, não virá.

As dores dos incansáveis Profissionais da Saúde

Lutando sem cessar…

As dores dos desempregados desolados,

Sem ter com que pagar.

As dores dos inocentes afastados

Do convívio escolar.

As dores das Autoridades sentindo

As responsabilidades do problema a sanar.

As dores dos cientistas passando horas

Em vigília para uma vacina criar.

Ó Terra adorada, quantos são seus ais!

Ouço o silêncio dos teus olhos,

Ouço os questionamentos não verbais,

Ouço os gemidos suprimidos,

Abafados como num Cais.

Ó Terra adorada, quantos são os seus ais!

 

Marilza Alvarenga Teixeira Santos

Poema publicado originariamente na Coluna Diário das Emoções, em 10/06/2021

(https://zdmnews.com.br/noticia/4150/poema-gemidos-suprimidos)

 

Tags: