Jornal ROL festeja 27 anos com lançamento da primeira Antologia ROLiana!

17/04/2021 09:33

         No dia 14 de abril, o Jornal ROL comemorou seus 27 anos com laive e lançamento da primeira Antologia ROLiana. O evento teve a cobertura da TV Channel Network

Helio Rubens de Arruda e Miranda

Em tempos de pandemia pela Covid-19, o Jornal ROL aderiu à opção de quem produz cultura e não pode realizar eventos presenciais.

No dia 14 de abril, a comemoração dos 27 anos se deu por meio de uma entrevista realizada pelo colunista Celso Ricardo de Almeida com o ‘Pai do ROL’ e ‘Editor-Mor’, Helio Rubens de Arruda e Miranda e uma laive, com a participação da Família ROLiana (Editores, Editores Setoriais, Colunistas e Correspondentes nacionais e internacionais).

A ENTREVISTA DE HELIO RUBENS

Precedendo a laive, realizada à noite, logo pela manhã o ROL publicou a entrevista, cujas perguntas, segundo Celso Ricardo, demandaram uma pesquisa exaustiva sobre a vida profissional do entrevistado. E a pesquisa foi devidamente reconhecida por Helio Rubens, que considerou a perguntas inteligentes. A começar pelo fato de a primeira  deixar por conta dele se autodefinir. “Helio Rubens é, sobretudo, um idealista. Que acredita na Lei da Evolução e, portanto, acha que tudo que acontece – inclusive o que achamos ‘ruim’ – é uma peça de evolução. Não é religioso, mas tem fé em que estamos às vésperas de viver em um ‘novo mundo’, onde o valor maior não vai ser o dinheiro, a fama ou o poder e sim, onde vai vigorar em sua plenitude a fraternidade, o amor e a cultura”.

Ao ser indagado se a pandemia afetou de alguma forma seu trabalho, respondeu com o entusiasmo que lhe é peculiar: “Sim, para melhor! Aumentou meu tempo disponível para novas leituras, filmes e comentários culturais. Nesse aspecto, acho que ela foi contributiva para com a humanidade”.

E as perguntas subsequentes traçam uma retrospectiva que apontariam-no como um brilhante jornalista no futuro, já quando editou e publicou o jornal ‘O Fernão Dias Pais’ no colégio (homônimo) onde estudava.

Numa sucessão indagativa, evocam os trabalhos do entrevistado em diversos meios de comunicação, como em revistas, jornais, rádio e TV; sua  avaliação sobre o sistema jornalístico brasileiro atualmente; sobre o projeto literário, ao lado de seu filho, o jornalista Fábio Miranda, que recebe o título de’ O Golpe de 1930 – À Procura da Verdade Histórica’, onde procura mostrar que o Brasil, a partir de 1930, teve um retrocesso e não um avanço, como muitos pensam; a análise sobre os vários momentos de evolução do jornalismo; o movimento para a colocação do retrato de Júlio Prestes na galeria dos ex-presidentes da República, no Palácio do Planalto; os frutos com a experiência de Helio Rubens com propaganda, vendas ou comunicação de uma forma geral junto a algumas empresas multinacionais e nacionais de grande porte; o pioneirismo do Jornal ROL, seu funcionamento e a sua continuidade; a importância da Antologia ROLiana; a rentabilidade ou o amor pela criação de novos veículos jornalísticos; os projetos de seu ‘Baú de Ideias’ (enquete Melhores do Ano e Pizza Literária); a criação do Inter-NET Jornal e seus próximos planos.

Para ler a entrevista completa acesse:  http://www.jornalrol.com.br/celso-ricardo-de-almeida-entrevista-o-jornalista-helio-rubens-de-arruda-e-miranda/

E colunistas comentaram sobre a entrevista

Como não poderia deixar de ser, a ‘radiografia profissional’ do Pai do ROL impressionou alguns colunistas.

Alcina Maria S. Azevedo

Vó Alcina foi uma das mais entusiasmadas: “A cada pergunta e resposta formulada nessa entrevista o meu coração disparava emocionado. O jornalista Helio Rubens, pai do nosso jornal, é dotado de um vasto conhecimento cultural e elevação espiritual. Ele tem uma alma possuidora de muita experiência vivida que me parece vir de outras dimensões. Me senti imensamente feliz e orgulhosa em poder fazer parte como colaboradora deste prestigiado e honrado jornal. Helio Rubens e Sergio Diniz são dois determinados e dedicados a não deixar morrer a nossa cultura, bem como o belo trabalho da Claudia (Editora Setorial de Poesias). O entrevistador fez perguntas inteligentes e que vieram demonstrar o quanto é importante continuarmos num trabalho digno e sem interesses financeiros mediáticos e políticos. Estou emocionada e muito grata por estar aqui, diante de pessoas idealistas. Parabéns aos editores pela brilhante ideia e trabalho maravilhoso! Um abraço apertado da avó que tem muito a aprender com vocês e agradeço desde já”.

Marcelo Paiva Pereira ressaltou a corajosa exposição do entrevistado:  “Excelente entrevista! Nosso Editor-Mor Helio Rubens se expôs e mostrou a importância que ele confere à cultura e aos meios de comunicação para a difusão do conhecimento. Inclusive, atravessa fronteiras e supera obstáculos”.

A Correspondente Internacional da Itália (Siena), Cristina Mantovani, parabenizou o entrevistador e agradeceu o entrevistado: “Parabéns Celso pela entrevista! Obrigada Helio Rubens pelas respostas! Uma verdadeira viagem emocional e histórica nesse teu percurso interessantíssimo no mundo da cultura, do jornalismo. Fale mais, por favor sobre essa parte da história do Brasil – desconhecida infelizmente para muitos brasileiros, e que não consta (realmente) nas páginas dos livros de História da nossa nação (o livro a ser lançado, sobre os anos 1929/1930)! Parabéns!”

Cláudio Bloch resumiu sua impressão com um comentário superlativo: “Muito boa a entrevista com o jornalista e poliempreendedor Hélio Rubens. VALEU!!!

A ANTOLOGIA ROLIANA

Para coroar a data, o evento contou com uma laive, realizada pela plataforma do Google Meet, por maio da qual foi realizado o lançamento da primeira Antologia ROLiana!

A Antologia foi editada pela Crearte Editora e o livro, cuja capa e contracapa foi desenvolvida pelo ‘Pai do ROL e  Editor-Mor do ROL, agradou a todos os participantes, que rasgaram elogios ao produto final.

Alcina Maria Silva Azevedo, 81 anos, da cidade de Campinas/SP (a segunda, da segunda fileira, de cima para baixo))a ‘Vó Alcina‘, como é carinhosamente tratada pelos colunistas,  entre os primeiros coautores a receber os exemplares, não poupou adjetivos: “A nossa Antologia ficou um sucesso! Belíssimo trabalho dos editores, colunistas e em ênfase o magnífico trabalho da Editora! Ilustração belíssima das fotos, disposição muito bem distribuídas dos textos em cada página. Enfim, uma Antologia que merece a maior nota dez! Irei ler com atenção cada página. É um momento histórico para a família ROLiana!”

Eduardo César Werneck, da cidade de Cruzeiro/SP (na foto ao lado, o segundo da penúltima fileira, de cima para baixo), evocou seus pais para expressar a emoção por participar da primeira antologia: “Uma Antologia… Quem diria, um dia o filho da ‘Dona’ Olga e seu ‘Zé’ participando de uma Antologia… O dicionário chega a dar como sinônimo uma “coleção de flores escolhidas”… e ainda, de “textos em prosa ou versos de autores consagrados”! Uau… Exalando o bom perfume das rosas, cada um dos botões trazendo as lágrimas, experiências, sentimentos e vida, de seus participantes… Trazendo ainda o último trabalho impresso do notável Genealogista Afrânio Mello, que tão recentemente nos deixou… Puxa… minha mãe adoraria isso! Agradeço aos amigos que a boa internet me apresentou – Sergio Diniz e Helio Rubens! Ficarei com um (como lembrança) e assim, vou ler com carinho toda a obra, mas, como ganhei quatro exemplares, e livro bom é ‘livro lido’ (afinal, não se esconde conhecimento ou inspiração em estante)… darei um jeito de presentear alguns amigos aqui do face… Ah, um dos exemplares enviarei ao IEV – Instituto de Estudos Valeparaibanos!”

Por meio da Antologia, e evocando a cidade de Itapetininga, onde exerceu atividades educacionais por longos anos, Elza Francisco, natural de Barra Mansa/RJ e radicada em Lavrinhas/SP (a última, da penúltima fileira, de cima para baixo), agradeceu pela participação em versos: “Uma honra…/ Uma alegria./ Me leva à Itapetininga,/ minha Terra do coração./ Cidadã  Honorária./ Gratidão!/ Antologia  Roliana, sob a Coordenação  dos escritores Sergio Diniz da Costa Helio Rubens De Arruda e Miranda.

João Bosco do Nordeste, de Feira de Santana/MG: “Neste 14 de abril de 2021 queremos parabenizar os dirigentes e colaboradores do Jornal ROL, pelos seus 27 anos de existência. Só tem história, quem faz a sua história. O Jornal está construindo essa bela história. PARABÉNS! Que esta data seja eterna para todos que admiram ou venham admirar esse trabalho”.

Neusa Bernado Coelho, de Palhoça/SC: “Parabéns aos fundadores e toda equipe de escritores do conceituado Jornal Cultural ROL. Sergio Diniz e Hélio Rubens nossos mais elevados sentimentos de estima e consideração por tão importante data. Parabéns a todos!”

A LAIVE DE LANÇAMENTO

A emoção tomou conta de todos os participantes da laive realizada no dia 14 de abril, pela Plataforma Meet do Google, com alguns colunistas reiterando comentários já feitos no grupo do WhatApp e pelo facebook:

“Sou o escritor Dias Campos, de São Paulo, capital. Fui admitido como Colunista do Jornal ROL em 21/09/20; sou neófito ainda. E foi interessante o meu ingresso, pois encontrei o Sergíssimo no Facebook, e além de achá-lo bem apessoado, gostei do que escreveu, e, por isso, resolvi enviar-lhe uma solicitação de amizade, juntando alguns dos meus cartões de visita, meus textos. E eis que, pouco tempo depois, fui surpreendido não apenas com elogios sobre os meus escritos, mas, também, com um convite para integrar a família Roliana, que, é claro, aceitei sem pestanejar. O hoje o Jornal ROL comemora 27 anos!… Brincando um pouquinho, se fosse uma mulher, faltariam apenas 3 anos para ingressar no ROL das musas Balzaquianas. E se fosse casada, comemoraria bodas de Crisopázio (é a variedade mais valiosa do quartzo, de um tom esverdeado que lembra a esmeralda). Brincadeiras à parte, gostaria de lembrar o meu querido e eterno Professor, o nosso sempre Machado de Assis, que numa de suas crônicas chegou a questionar se o “instituto” jornal sobreviveria ao futuro. Pois não só sobreviveu, como, também, enraizou-se profundamente, tornou-se uma realidade indispensável, adaptou-se às novas tecnologias, e, por força disso, alguns despontaram como verdadeiros faróis do esclarecimento, do entretenimento, e da cultura. Foi o caso do Jornal ROL. Com efeito, e não falarei por mim, mas o nível dos variados textos que leio em suas páginas virtuais, sem sombra de dúvida, deixariam o Bruxo do Cosme Velho orgulhoso! “Portanto, vida longuíssima à nossa família. Parabéns pelos 27 anos do nosso Jornal.”

Adriana Rocha, itapetiningana e moradora de Sorocaba, em postagem no Facebook – 14/04/2021)

“Celebrando, com muita alegria, como colunista, o aniversário do Jornal Cultural ROL: 27 anos de divulgação, disseminação e valorização da Cultura em seus múltiplos aspectos. Parabéns ao seu criador-mor, Helio Rubens e ao editor Sergio Diniz da Costa.

(Sandra Lúcia de Vasconcelos Borges, de Cruzeiro/SP): “Ingressei no ROL por indicação do Sergio Diniz, convite este que muito me honrou. O Rol é de extrema importância para disseminar a cultura, pois trata-se de um jornal responsável a serviço da cultura, que orienta os leitores sobre vários assuntos interessantes e com sua linguagem contemporânea deixa claro a sua missão de respeito à liberdade de expressão destarte como a verdade, dando voz e vez aos escritores, colunistas. Posso afirmar sem medo de errar que o Rol cumpre sua finalidade nobre espargindo cultura, beleza e bom gosto. Sergio Diniz e Helio Rubens, parabéns pelos 27 anos do ROL. Pessoas como vocês dignificam o nosso jornal.  E que venham mais cem anos de SUCESSO. DEUS os ilumine!”

Rejane Nascimento, de Caratinga/MG: “Sou muito grata pelas portas que se abriam através do jornal Rol. Todos que têm a arte nas veias, necessitam de um lugar para mostrar seu trabalho, seja ele qual for, e como for, retrata a necessidade de extravasar o que está em sua alma”.

Gabriela Lopes, de Teófilo Otoni/MG: “Então hoje faremos nossas homenagens ao Jornal Rol. 27 anos de existência é um tempo sólido, onde muita colaboração ocorreu, conteúdos riquíssimos foram publicados, as informações foram partilhadas ao público e, acima de tudo, um conjunto de seres humanos incríveis coordenou com maestria o espaço de comunicação do jornal Rol. Deixo meus sinceros PARABÉNS a todos que viram essa história crescer e a todos que hoje fazem parte desse espaço.  Gratidão por dividir esse momento com vocês.  Fraterno abraço”.

Cláudia Lundgren, de Teresópolis/RJ: “Hoje o Jornal Cultural ROL completa 27 anos!! Vivaaa!! Foi lá que tive a minha primeira oportunidade como colunista. Está sendo lá a minha primeira experiência como editora. Só um Jornal online com uma receita de sucesso completa tantos anos!! Parabéns aos editores-chefes Helio Rubens De Arruda e Miranda e Sergio Diniz da Costa! Parabéns a toda equipe de colunistas que o abrilhantam! É para mim uma grande honra semear cultura através do Jornal Cultural ROL. Que venham muitos e muitos anos!”

Verônica Moreira, de Caratinga/MG: “É com muito amor e carinho que venho prestar minha homenagem a essa Família que amo de paixão!! Feliz aniversário Jornal Cultural Rol!! Obrigada por me acolher e por me fazer membro dessa família que tenho prazer em representar. Amo vocês!”

António Alexandre, natural de Luanda, Angola: “Entrei como colunista este ano a convite da poetisa Gabriela Lopes. É com muita satisfação que participo desta mega atividade no meio de uma grande floresta de homens de cultura. É uma alegria imensa fazer parte desta família Roliana. Estamos todos de parabéns e agradeço ao Sergio Costa pela oportunidade. 27 anos de existência é para mim uma caminhada longa, hoje o ROL é lido em muitos países, o que significa que a sua internacionalização é uma realidade. Um mega abraço a todos.

A poetisa  Sandra Albuquerque, de Duque de Caxias/RJ, manifestou sua emoção em versos, por meio da poesia PAIXÃO À PRIMEIRA VISTA:

“Foi de repente/ O vi e me apaixonei/ E a partir dali/ Você passou/  A fazer parte/ Do meu cotidiano./ Com você/ Eu sorria/ Eu amava/ Entretia/ Até chorava/ Lágrimas de emoção./ Sem querer/ Sergio Diniz/ Descobriu/ A nossa cumplicidade/ Logo, logo/ Como um Mago/ Falou com Helio Rubens/ Uma das estrelas/ Da constelação./ E fui surpreendida/ Em 13 de junho de 2020/ De Leitora apaixonada/ Tornei-me Colunista/ ‘A Fada- madrinha’/ E hoje eu navego/ Com os meus Amigos/ Neste Mar de Emoções.”

Elza Francisco, de Lavrinhas/SP, com uma montagem em forma de banner, ao lado de seu filho, o artista plástico Guto): “Honrosamente… felicitamos o Jornal Cultural ROL pelos 27 anos de pleno voejar nas asas da Poesia.  Parabéns…Helio Rubens De Arruda e Miranda e Sergio Diniz da Costa, Mestres construtores da Cultura. Gratidão!… Grande honra fazermos parte dessa História!” E, igualmente, poetizou a homenagem com a poesia ‘ODE À POESIA’:

 “No passado…/ que  não parece distante,/ em  terras ao longe/ num diferente cenário,/ deu-se o meu encontro com a poesia/ e  com  o Homem visionário,/ Mestre na comunicação: Hélio Rubens!/ Conheci  o magistral Jornalista/ no  Programa de entrevistas da TV Itapetininga./ A conversa, perfumada pela linda  verve do profissional,/ passeava pela Educação/ e a compreensão da grande Missão…/ a Educação agrícola de Itapetininga./ A poesia…/ despontava nos  encantos/ da histórica Escola,/ em meio à solitude/ das  noites estreladas,/ entrelaçadas…/ pela dança dos pirilampos/ e o barulho do silêncio soturno/ de um grande presídio ao lado./ Com o laço estabelecido,/ fui apresentada ao Jornal Cultural ROL,/ aos  saraus, aos projetos culturais,/ todos…/ sob a batuta de Helio Rubens./ Lindos projetos!/ Belo legado à cidade de Itapetininga,/ sede  da  poética jornalística./Nesse encanto…/ a poesia  reina há vinte e sete anos,/ voando  nas asas do vento/ da tecnologia,/ planando  por todos os cantos./ Na linda festa/ de aniversário do Jornal Cultural ROL,/ regada à poesia,/ a  Antologia escrita/ a  muitas mãos,/ soberana, sorri…/ sob o comando dos Mestres/ Helio e Sergio./ São registros saídos da alma/ voejantes  pelo mundo,/ cobertos  pelas nuances do coração/ de escritores , poetas,/ dos quatro rincões/ desta Terra,/ sublimados pelas doces emoções/ de  ser um …/ Roliano! Vivas ao Jornal Cultural ROL!/ Vivas à Poesia!/ Parabéns!/ Gratidão!”

A LAIVE EM CARDS

(um mimo da colunista Verônica Moreira)

Não parte quem sempre estará em nossos corações! Até breve, amigo e irmão Afrânio. Algum dia, em algum tempo e lugar da eternidade, nos reencontraremos e poderemos, finalmente, dar um mega TFA de Luz!

       

       

       

       

       

       

       

       

António José Alexandre é o mais novo da Família ROLiana. E traz de sua terra, Luanda, Angola, por meio de seus textos, as cores e aromas da belíssima cultura africana!

 

Para assistir à laive, acesse:

 

 

 

 

 

Tags: