Conceição Maciel: ‘Cuide bem dos animais’

26/04/2021 05:46

Conceição Maciel

Cuide bem dos animais

Segundo a ciência, o ser humano é um animal racional, pois nasceu com o privilégio que classificou como “inteligência”, ou seja, poder raciocinar, usar a inteligência a seu favor perante diferentes contextos. Diante de fato tão relevante e primordial para o desenvolvimento humano no âmbito de natureza social, histórico e cultural podendo favoravelmente ser usado em múltiplas ações voltadas para o bem social comum, é inevitável a comparação com os ditos “animais irracionais”.

Sendo assim, grosso modo vemos o inverso do ser humano dominar o mundo, aquele ser dito “inteligente” de privilegiada situação no universo, os seres “racionais” de rara inteligência e patente superior, hora comportam-se inversamente.
Parece que os papéis se inverteram, os animais, seres classificados como “irracionais”, que não possuem inteligência e agem apenas por instinto, que tem limitações e jamais se comparam à raça humana, habitam harmoniosamente entre os humanos, posto que alguns são classificados como “o melhor amigo do homem”, mas o homem estaria retribuindo de forma incisiva e à altura, a amizade de tais “amigos”?

O afeto não é privilégio apenas dos humanos, quando há troca de carinho, mesmo no mundo animal, o amor ao próximo prevalece e a harmonia predomina em qualquer ambiente. É crescente a solidão entre homens e mulheres, mesmo nesse mundo super populoso, mas com extrema tendência ao fracasso das relações que se tornam unilaterais com frequência nos dias de hoje, contudo, em determinado momento da vida é preciso que se tenha uma companhia; muitas pessoas optam por adotar animais de estimação transmitindo à eles, muitas vezes, um amor maternal, paternal, filial e até mesmo fraternal, que tanto precisamos, mas que nos é negado, gerando assim, uma nova formação familiar.

Entretanto, se não somos capazes de amar ao próximo e de dedicarmos atenção e cuidados aqueles que dizemos amar, não é aconselhável que se adote um animal, pois os mesmos tirados do seu habitat e manipulados pelo homem desde os primórdios, não merecem ser tratados com desafeto, desamor e crueldade. Sobre isso, virou crime qualquer tipo de violência e o abandono de animais, estes estão protegidos pela Lei 9.605/98 conhecida como “Lei dos Crimes Ambientais: Art.32 – Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos.”

Temos um vínculo com Deus e o mundo ao nosso redor, temos o compromisso de respeitar todos (independente de quem ou do que sejam) que habitam os lugares por onde vivemos, para isso, não precisamos transferir sentimentos, pois o amor àqueles que nos rodeiam, é herança de Deus, mas é preciso sim, que tenhamos respeito e amor aos bichos, pois eles têm grande importância para os homens e são essenciais para a preservação da natureza, sendo assim, eles se constituem uma arma poderosa contra a solidão e a depressão características, infelizmente, do século XXI e que assolam os lares humanos; tais animais se tornam um elo para a superação das dificuldades e é nosso dever cuidar bem daqueles que nos dão motivos para sorrir.

Cuide bem dos animais.

*Esse texto está inserido Na Cartilha de Direito Animal lançada pelo Ministério Público do Pará no ano de 2020.

 

Conceição Maciel

con.maciel@hotmail.com
 

 

Tags: