Célio Pezza: ‘Ragnarök’

17/05/2021 19:01

Célio Pezza

Ragnarök

Ragnarök é um evento profético, que representa o final dos tempos, de acordo com a mitologia nórdica, e começa com uma série de catástrofes naturais durante o final do nosso mundo, que culmina com um longo inverno que dura três anos. Seria a consumação dos destinos da Terra e a destruição de parte dos deuses e anjos, durante uma grande batalha entre o bem e o mal. Nesse período, a Lua será abalada e, o Sol, ofuscado pelas nuvens, não trará seu calor para a Terra. As estrelas vão desaparecer, a terra irá tremer tão violentamente, que as árvores irão se soltar do solo, as montanhas irão cair e todos os apoios irão se quebrar, causando a libertação dos demônios Fenrir e Jörmungandr (a grande serpente). Nessa época, haverá muita violência e caos pelo planeta e irmãos lutarão contra irmãos e matarão uns aos outros. O Ragnarök se refere ao final do mundo, tal qual o Apocalipse bíblico, e prevê batalhas aqui na Terra, entre as forças do bem e do mal, causando uma grande destruição no planeta. Essas batalhas seriam logo após esse ciclo de três invernos, seguido de terríveis geadas. No final, o anjo guardião de Asgard, o local onde moram os deuses, localizado nos céus, junto à árvore da vida, nas nuvens, bem acima da terra onde vivem os homens, chamada de Midgard, soará a sua trombeta e teremos a batalha final aqui na Terra, na planície chamada de Vigridr, o Armagedon bíblico. Odin vai liderar a batalha final, e seu filho Thor, lutará ao seu lado, contra os demônios da Terra e os destruirá, mas cairá morto logo a seguir, devido ao veneno que a serpente Jörmungandr lançará nele. O bem prevalecerá e uma Nova Terra ressurgirá do mar. Depois dessa destruição, a Terra será repovoada pelos poucos homens sobreviventes e serão governados diretamente pelos anjos de Odin, sendo um período de muita paz e  crescimento. No final dessa saga, aparecem os versos: “Então do alto, vem para julgar, o forte e poderoso, que tudo governa!” Alguns historiadores afirmam que essa menção ao forte e poderoso, é uma menção ao deus cristão, mas outros garantem que os eventos do Ragnarök tem uma origem totalmente pagã e é uma narrativa típica dos vikings, que desconheciam as narrativas cristãs sobre os eventos do final do mundo. Os vikings habitavam o Norte da Europa na região da Escandinávia e durante os anos de 790 a 1070 , fizeram inúmeras navegações e se estabeleceram nas Ilhas Britânicas, França e Américas. O Ragnarök se tornou uma fonte de inspiração moderna e a sua adaptação mais célebre é O Crepúsculo dos Deuses, título da última parte da ópera O Anel do Nibelungo de Richard Wagner. O Ragnarök faz parte de duas coletâneas chamadas Eddas ou Edda, encontradas na Islândia, de autores desconhecidos, e que contém histórias dos antigos deuses e heróis da mitologia escandinava, desde a criação do mundo até sua destruição final ou Ragnarök. Existem várias teorias referentes à origem do termo Edda, sendo que uma significa “a bisavó”, outra significa “poética” e uma terceira “o livro de Oddi”, sendo uma referência ao local onde viveu Snorri Sturluson, um historiador e poeta islandês, que nasceu em 1179 e faleceu em 1241, o compilador dos textos antigos que formam o Ragnarök.

 

Célio Pezza

celiopezza@yahoo.com.br

 

Tags: