Virgínia Assunção: ‘Ingratidão’

02/03/2022 18:20

Virgínia Assunção

Ingratidão

“Quem põe seus esforços a serviço dos ingratos age como quem lança a semente à terra estéril, ou dá conselhos a um morto, ou fala em voz baixa a um surdo”. 

                                                                                                                                                                       Ibn Al-Mukafa

                                                                                                                                             Pensador persa do século VIII

 

“A ingratidão é um direito

Do qual não se deve fazer uso”,

Escreveu Machado de Assis;

Deveria, então, ser um crime de abuso.

Somos todos frágeis e inacabados

No nosso processo de construção;

Precisamos sempre de alguém

Que nos ajude e estenda a mão.

 

Tendo como princípio basilar

A humildade no coração,

Devemos estar de mente aberta

Para os preceitos da gratidão.

 

Pessoas que a estes não apreciam

Tentam se justificar em vão,

Condenando seus benfeitores

Para atenuar sua ingratidão.

 

Uma pessoa inteligente e sábia

Conserva a memória do coração,

Para não incorrer na fraqueza

De esquecer o que é gratidão.

 

Quem tem o bem por prática

Tem que ser sábio por missão,

Para suportar, porventura, de outrem

O sentimento da ingratidão.

 

Este, parece ser o mal do ser humano

Fazer o bem, confundem com maldade;

Descartam quem um dia foi importante

Parece que ser grato é uma leviandade.

Só homens de caráter pobre

Têm por companhia a ingratidão,

Ficando fadados a um futuro

Da mais miserável solidão.

 

Aos néscios desse sentimento

Fica a máxima punição:

Serem totalmente obliterados

Pela personificação da ingratidão.

 

 

Virgínia Assunção

 mavifeitosa@gmail.com

 

 

Tags: