Um sábado cultural na capital

29/05/2019 22:51

O grupo reunido em frente ao MASP

Caravana da Casa Kennedy visitou museus de São Paulo

No último dia 25 um grupo de amantes da cultura de Itapetininga, atendendo oferta feita pelo Museu Carlos Ayres (Casa Kennedy) participou de uma viagem cultural a São Paulo para visitar museus a Capital.

1ª Parada: MASP – Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand com a mostra artística ‘Tarsila Popular’. O enfoque dessa exposição é o ‘popular’, uma noção tão complexa quanto contestada, e que Tarsila explorou de diferentes modos em seus trabalhos ao longo de toda a sua carreira. Através deles foi possível observar as paisagens do interior e do subúrbio, da fazenda ou ainda da favela, todos povoadas por indígenas ou negros, personagens de lendas e mitos e sempre repletas de animais e plantas, reais ou fantásticos.
Como as fotos abaixo:

Tela Batizado de Macunaíma

Tela Operários

Tela A cuca

Tela Abaporu

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tarsila do Amaral é uma das maiores artistas brasileiras do século 20 e figura central do modernismo. Esta é a mais ampla exposição já dedicada à artista, reunindo 92 obras a partir de novas perspectivas, leituras e contextualizações.

A exposição tem a curadoria de Fernando Oliva, curador do MASP, e Adriano Pedrosa, diretor artístico do museu.

Acervo em transformação com o MCA – Museum of Contomporary Art Chicago é o título da exposição de longa duração da coleção do MASP.
Os trabalhos são expostos em cavaletes de cristal que ficam dispostos em fileiras em uma ampla sala livre de divisórias localizada no segundo andar do museu. Tal técnica de exposição possibilita um encontro mais próximo do público com os trabalhos e permite ao visitante caminhar entre as obras, como se estivesse em uma ‘floresta de artes’, que parecem flutuar no espaço. Tais cavaletes foram desenhados por Lina Bo Bardi, famosa arquiteta e autora também do projeto do edifício.
O caráter dinâmico do acervo em transformação, faz parte dos intercâmbios com outros museus, permitindo ao MASP trazer diferentes trabalhos para conviver com os da já notável coleção.
Seguem algumas fotos:

Tela Cinco moças de Guaratinguetá de Emiliano Di Cavalcanti

Tela A virgem do véu azul de Jean Auguste Doninique Ingres

Tela Passeio ao crepúsculo de Vincent van Gogh

Tela Menina com as espigas de Pierre Auguste Renoir

Vista geral do Acervo em transformação com o MCA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Cadeira beira de estrada

Fez parte da visita ao museu uma mostra sobre Lina Bo Bardi chamada ‘Habitat’, que aborda a vida, a obra e o legado da arquiteta autora do MASP e do Sesc Pompeia, designer, curadora, editora da revista Habitat, cenógrafa e pensadora ítalo-brasileira. Ela foi casada com Pietro Maria Bardi, diretor fundador do MASP e foi uma verdadeira pensadora da cultura de seu tempo. A curadoria foi Julieta González, diretora artística, Museo Jumex, Cidade do México, José Esparz

Marlene, Leomira e Walkiria em frente ao MASP

a Chong Cuy, antigo Pamela Alper curador associado, Museum of Contemporary Art Chicago e Tomás Toledo, curador-chefe, MASP, São Paulo.
Fotos:

 

 

 

 

 

 

 

Parte interna da Fundação Ema Klabin

2ª Parada: Fundação Ema Klabin – Casa Museu, oficialmente criada em 1978, a fundação é uma instituição sem fins lucrativos, de utilidade pública, voltada à promoção e difusão de atividades artísticas e culturais, bem com a transformação da residência de Ema Klabin em museu aberto à visitação pública.
O acervo conta com mais de 1600 peças dos mais diversos períodos, utilizando técnicas e procedências até de difícil definição.
Todos da caravana itapetiningana ficaram encantados com tamanha beleza e diversidade de peças. Na parte externa pode-se observar o jardim com um orquidário e lago, tudo projetado pelo paisagista Burle Marx.
Fotos:

Lago projetado por Burle Marx

Jardim da Fundação Ema Klabin com Regiane, Leomira, Ana Elisa e Juliana

Parte interna da Fundação Ema Klabin

Parte interna da Fundação Ema Klabin

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3ª Parada: Eataly, o maior centro gastronômico da América Latina com foco na tradição italiana, com seu festival de cultura gastronômica, onde os componentes da caravana cultural de Itapetininga puderam apreciar as delícias da culinária italiana, uma taça de um bom vinho e muitas mercadorias à venda todas de procedência italiana.
O grupo voltou para casa abastecido cultural e gastronomicamente.

 

Tags: