Tereza Du’Zai: ‘Thisma’

12/12/2018 10:45

Ei, feia flor!/ Mas que feia flor és!/ Aqui te encontro em plena fuga pelos subterfúgios da terra,/ Plebeia entre os vermes,/ Irrefutável perversão da beleza.”

Thisma

Ei, feia flor!

Mas que feia flor és!

Aqui te encontro em plena fuga pelos subterfúgios da terra,

Plebeia entre os vermes,

Irrefutável perversão da beleza.

Venha! Desça um pouco mais!

Ramifique-se por meu corpo pútrido,

Envolva-se por minha carcaça,

Habite-me com teus lúgubres caules térreos.

Cresça enquanto morro,

Fortifique-se enquanto me deterioro,

Acomode-se, horrenda criatura das profundezas estrumosas.

Serás minha adorável donzela,

Por tua pureza e jeito único de penetrar-me.

Inspirado em poema de Bryan Chagas

Sr. Tamborim.

Sós, eu e a loucura,

Mas não estamos loucos ou tristes,

Apenas não estamos lúcidos.

Vejam! Sintam o gosto de minhas lágrimas: as lágrimas de um louco.

Não estou só, estamos a sós.

Eu e ela.

Deixem-nos!

Deixem-nos esvaziarmos nossas reflexões, cristalizá-las,

Não ousem quebrá-las.

[…]

Tum! Tum! Tum!…

Sou o imperador da loucura.

De Bryan Chagas editado por Tereza Duzai

*  Estes poemas fazem parte do Projeto Cantoré, Cantos de um Cabaré, iniciado pela professora Tereza Du’Zai e por um grupo de alunos