Tereza Du’Zai: Sobre ser puta

30/07/2019 10:34

Tereza Du’Zai

Sobre ser puta

Não, Rute, não estás desgraçada!

Não há desonra alguma em ser considerada puta,

Pode uma mulher ser socialmente puta por sua amabilidade não preconceituosa,

Por gostar de vestir-se com pouco pano,

Por dizer o que pensa e ir onde bem entende,

Por sua insaciedade sexual,

Pode, imagine o absurdo, Rita, uma mulher ser considerada puta por ser tão bondosa a ponto de dar-se a muitos, indistintamente;

Sem falar das que por serem inseguras ou exigentes demais passam a vida em busca do relacionamento perfeito, tornando-se vítimas da má fama e do escarninho vulgar;

Há incontáveis e inomináveis putas no mundo.

Umas anônimas, outras famosas,

Umas imbecis, outras geniais,

Umas divertidas, outras enfadonhas,

Abençoadas putas religiosas,

Exemplares putas educadoras,

Poderosas putas empresárias,

Respeitáveis putas esposas,

Adoráveis putas namoradas,

Ordinárias putas pobres,

Nobilíssimas putas ricas,

Bondosas e malvadas, vítimas e assassinas, leais e desleais, solidárias e egoístas…

Alices, Patrícias, Anas, Sheilas, Jaquelines, Terezas, Aparecidas, Marianas;

Janaínas, Lúcias, Letícias, Adrianas, Vânias, Susanas, Leias, Cátias, Elizabetes, Michelles;

Carlas, Cecílias, Helenas, Sandras, Alessandras, Cristines, Cristianes, Carolines…

Basta prestar a atenção, Rosa!

 

Tereza Du’zai

terezaduzai@gmail.com

Tags: