Post Tagged with: "Poesia"

Adriana Negrini: ‘Modificação’

14/05/2018 20:10
Adriana Negrini: ‘Modificação’

“Pedi muito/ Para sempre continuar…/ Que as pedras do caminho/ Não me fizessem parar;/ E que as minhas forças/ Fossem iguais a de um vulcão,/ E que viessem a transbordar!”

Jairo Valio: ‘Para as mães ofereço…’

12/05/2018 21:07
Jairo Valio: ‘Para as mães ofereço…’

Jairo Valio: ‘Para as mães eu ofereço…’ “Um despertar suave com cantos de pássaros./ Anjos entoando lindas canções de amor,/ Com filhos e filhas afagando seus rostos,/ Beijos e abraços numa estonteante alegria.”

Jairo Valio: ‘O navegante’

09/05/2018 12:57
Jairo Valio: ‘O navegante’

“Condutor de emoções, singra todos os mares./ Busca os corações aflitos para consolá-los,/ mostrando que num amor em decadência,/ quando uma nau se encontra em tempestades,/ um porto seguro se vislumbra no horizonte,/ e em águas calmas pode suturar as feridas.”

Andrade Jorge: ‘Exilado em minha terra’

06/05/2018 18:28
Andrade Jorge: ‘Exilado em minha terra’

“Então não permita Deus que eu morra/ sem ver um fio de esperança brilhar,/ sem ver a derrubada da masmorra,/ sem ver o Sabiá e o povo,/ aqui de novo, cantar..”

Jairo Valio: ‘E a Lua chorou’

05/05/2018 22:13
Jairo Valio: ‘E a Lua chorou’

“Percebi que lágrimas escorriam,/ Condensando-se  intensas nas nuvens,/ e depois em prantos  tão abundantes,/ despencavam quase em tormentas,/ como se para tanto houvesse razões.”

O leitor participa: o sorocabano Kiko Rebelles, com o poema ‘Um dia de sol no recanto da lua’

28/04/2018 10:15
O leitor participa: o sorocabano Kiko Rebelles, com o poema ‘Um dia de sol no recanto da lua’

 “O límpido céu me arraigava à essência/ Me dissolvendo no Todo sutil/ Me embriagava com sua cadência/ Ora verde, ora azul, ora anil…”

O leitor participa: Arvelos Vieira, da Academia Cruzeirense de Letras e Artes – ACLA, com a poesia ‘Sou visto’

26/04/2018 14:35
O leitor participa: Arvelos Vieira, da Academia Cruzeirense de Letras e Artes – ACLA, com a poesia ‘Sou visto’

“Sou visto e tenho convicção disso,/ Sei que sou pouco compartilhado,/ E também muito pouco curtido,/ Mas VISTO, tenho sido informado!”

Jairo Valio: ‘Se essa rua fosse minha’

23/04/2018 22:43
Jairo Valio: ‘Se essa rua fosse minha’

“Crianças pobrezinhas que ainda sonham,/ De um dia se transformarem em bailarinas,/ Que as Fadas Madrinhas atendam suas preces,/ E todas possam dançar em tapetes só de flores.”

Jairo Valio: ‘A menina de pés descalços’

22:38
Jairo Valio: ‘A menina de pés descalços’

“Imaginava-se num palco todo iluminado,/ Onde as amiguinhas se juntavam,/ E todas ao som da música valsante,/ Pareciam borboletinhas azuis voando.”

Jairo Valio: ‘A menina bailarina’

22:30
Jairo Valio: ‘A menina bailarina’

“Lá vai ela deslizante rodopiando nos salões./ Uma Fada Madrinha tirou-lhe da miséria,/ E agora, tal qual uma borboleta que vem beijar as flores,/ Baila como se estivesse flutuando entre as nuvens.”