Post Tagged with: "Poesia"

Adriana Negrini: ‘A lição’

18/09/2018 17:52
Adriana Negrini: ‘A lição’

“Que a alegria/ Seja mais forte/ Que o cansaço./ Que o sonho / Derrote o medo/ E a incompreensão.”

Tereza Du’Zai: ‘Souvenir’

15/09/2018 08:46
Tereza Du’Zai: ‘Souvenir’

“É preciso instruir os servidores do altar,/ A se comportarem dignamente,/ Tanto nos gestos quanto nas posições;/ Assim orienta a velha tradição.”

Jairo Valio: ‘Cantar da passarada’

11/09/2018 12:02
Jairo Valio: ‘Cantar da passarada’

“O cantar da passarada,/ Do sabiá e do bem-te-vi,/ Tudo que a mãe contava,/ Isso eu nunca esqueci,/ Que co cantar dos passarinho,/ Fez o meu medo sumi.”

Adriana Negrini: ‘Amigos’

11:20
Adriana Negrini: ‘Amigos’

“Amigos são estradas livres/ De sinais, pedágios, impostos./ São sorrisos abertos/ No meio da noite.”

Jairo Valio: ‘Poesia de cururu’

28/08/2018 12:06
Jairo Valio: ‘Poesia de cururu’

“Um dia proseando cas criança pequena do Arraiá,/ A fessora bunita da cidade propois plantá arvoredo,/ Convidô os pai pra catá muda e semente no mato,/ Nos lugá onde tinha só pasto reflorestá pra vida vortá…”

Adriana Negrini: ‘Fascinante’

27/08/2018 23:01
Adriana Negrini: ‘Fascinante’

“Fascinante é/ Ter esperanças no amanhecer/ Saber que, após a noite, vem o dia,…”

Adriana Negrini: ‘A vida’

20/08/2018 22:32
Adriana Negrini: ‘A vida’

“A vida é uma preciosidade!/ É o desabrochar das plantas na primavera,/ O amadurecimento das frutas no outono,/ O ritmo da Terra e da natureza.”

Jairo Valio: ‘O sertanejo’

17/08/2018 02:09
Jairo Valio: ‘O sertanejo’

“Olha o céu sem nuvens./ Implora por chuvas que escasseiam,/ E roga a Deus que elas venham,/ Mesmo que poucas para matar a sede,/ Do gado que morre,/ Das plantas que secam,/ Dos filhos que choram.”

Adriana Negrini: ‘Seja você’

14/08/2018 11:48
Adriana Negrini: ‘Seja você’

“Seja a palavra de conforto, que suaviza as quedas e oferta um sorriso sincero, aos que não podem sorrir.” 

Jairo Valio: ‘Pensamentos’

08/08/2018 14:37
Jairo Valio: ‘Pensamentos’

“Ocultos, vagantes, sem paradas./ Voam longe, disparam, se acalmam,/ Buscam sossegos./ Decifrá-los?/ Impossível, não obedecem comandos!’