Post Tagged with: "Jairo Valio"

Jairo Valio: ‘E a Lua chorou’

05/05/2018 22:13
Jairo Valio: ‘E a Lua chorou’

“Percebi que lágrimas escorriam,/ Condensando-se  intensas nas nuvens,/ e depois em prantos  tão abundantes,/ despencavam quase em tormentas,/ como se para tanto houvesse razões.”

Texto de Geraldo Bonadio publicado no Facebook é uma verdadeira aula de História

01/05/2018 10:01
Texto de Geraldo Bonadio publicado no Facebook é uma verdadeira aula de História

Geraldo Bonadio revela fatos importantes sobre a família do humorista Agildo Ribeiro, recentemente falecido

Jairo Valio: ‘Se essa rua fosse minha’

23/04/2018 22:43
Jairo Valio: ‘Se essa rua fosse minha’

“Crianças pobrezinhas que ainda sonham,/ De um dia se transformarem em bailarinas,/ Que as Fadas Madrinhas atendam suas preces,/ E todas possam dançar em tapetes só de flores.”

Jairo Valio: ‘A menina de pés descalços’

22:38
Jairo Valio: ‘A menina de pés descalços’

“Imaginava-se num palco todo iluminado,/ Onde as amiguinhas se juntavam,/ E todas ao som da música valsante,/ Pareciam borboletinhas azuis voando.”

Jairo Valio: ‘A menina bailarina’

22:30
Jairo Valio: ‘A menina bailarina’

“Lá vai ela deslizante rodopiando nos salões./ Uma Fada Madrinha tirou-lhe da miséria,/ E agora, tal qual uma borboleta que vem beijar as flores,/ Baila como se estivesse flutuando entre as nuvens.”

Jairo Valio: ‘Alma de poeta’

12/04/2018 22:29
Jairo Valio: ‘Alma de poeta’

“A alma do poeta,/ suave como criança que dorme,/ tem seus privilégios,/ pois  jamais acalenta ressentimentos,/ tampouco se curva à tentações escusas.”

Jairo Valio: ‘Vende-se o amor’

13:56
Jairo Valio: ‘Vende-se o amor’

“Depreciado, tornando-se até vulgar,/ O amor em desequilíbrio está à venda,/ Pois os romantismos então existentes,/ E os apaixonados que lhe dão vitalidades,/ Estão escassos e quase não aparecem,/ E de tão tristes até choram suas perdas.”

Jairo Valio: ‘Minha tela’

01/04/2018 18:39
Jairo Valio: ‘Minha tela’

“Não tenho o dom artístico do pintor,/ pois vejo cenários com os olhos da Alma,/ que gostaria fossem colocados na tela,/ e aos poucos pincelando todas as cenas,/ um lindo quadro apareceria fulgurante.”

Jairo Valio: ‘Pintei o céu de azul’

21/03/2018 18:49
Jairo Valio: ‘Pintei o céu de azul’

“Como um carinhoso pintor,/ Um pincel mágico utilizaria,/ E como criança brincando./ Ia usando uma cor bem azul,/ Mágica, que se ia espalhando,/ E depois encobriria todo o céu.”

Jairo Valio: ‘As rosas’

17/03/2018 22:54
Jairo Valio: ‘As rosas’

“Após as mutações que sofrem como se fossem crianças,/ Despertando para a vida como se estivessem hibernando,/ Vão mostrando seus esplendores e derramando perfumes,/ Tão inebriantes que atraem admiradores que querem amar,/ E então a brisa vem suave para entregar-lhes com mimos.”