Post Tagged with: "Jairo Valio"

Jairo Valio: ‘Cantar da passarada’

25/12/2018 18:18
Jairo Valio: ‘Cantar da passarada’

“O cantar da passarada,/ Do sabiá e do bem-te-vi,/ Tudo que a mãe contava,/ Isso eu nunca esqueci,/ Que co cantar dos passarinho,/ Fez o meu medo sumi.”

Jairo Valio: ‘Ah, se eu pudesse…’

14/12/2018 21:44
Jairo Valio: ‘Ah, se eu pudesse…’

“Gostaria de ser o jardineiro do amor,/ Plantando flores em todos os jardins,/ Regando-as para que florescessem,/ E depois que estivessem viçosas,/ Em cada coração uma plantasse,/ Para abrandar os temperamentos.”

Jairo Valio: ‘Minha essência’

17/11/2018 19:03
Jairo Valio: ‘Minha essência’

“Não desejo riquezas materiais,/ Que corrompem pelas ambições,/ E se precisar carregar meus fardos,/ Não importa ter chinelos rotos,/ Nem roupas rasgadas para aquecer.”

Jairo Valio: ‘Noite de luar’

18/10/2018 21:58
c038c021-f9cc-45ea-bd3e-1bd07390bdc1

“Um manto escuro vai-se estendendo,/ Recheado de estrelas cintilantes,/ Que vaidosas querem só brilhar,/ Pois entendem suas formosuras,/ E radiantes formam espetáculos,/ Pois são os prenúncios do que virá.”

Jairo Valio: ‘O alvorecer’

22/09/2018 12:57
Jairo Valio: ‘O alvorecer’

“O sol prepara o cenário para um novo despertar./ Vai emitindo entre as nuvens raios de luz,/ Que se propagam, ganham distâncias, se estendem,/ E desliza no espaço infinito sua majestade de Rei.”

Jairo Valio: ‘Cantar da passarada’

11/09/2018 12:02
Jairo Valio: ‘Cantar da passarada’

“O cantar da passarada,/ Do sabiá e do bem-te-vi,/ Tudo que a mãe contava,/ Isso eu nunca esqueci,/ Que co cantar dos passarinho,/ Fez o meu medo sumi.”

Jairo Valio: ‘Poesia de cururu’

28/08/2018 12:06
Jairo Valio: ‘Poesia de cururu’

“Um dia proseando cas criança pequena do Arraiá,/ A fessora bunita da cidade propois plantá arvoredo,/ Convidô os pai pra catá muda e semente no mato,/ Nos lugá onde tinha só pasto reflorestá pra vida vortá…”

Jairo Valio: ‘O sapo untanha’

22/08/2018 07:56
Jairo Valio: ‘O sapo untanha’

“Havia no banhado um sapão enorme que engolia insetos sem parar até sua pança ficar inchada de tanto comer…”

Jairo Valio: ‘O sertanejo’

17/08/2018 02:09
Jairo Valio: ‘O sertanejo’

“Olha o céu sem nuvens./ Implora por chuvas que escasseiam,/ E roga a Deus que elas venham,/ Mesmo que poucas para matar a sede,/ Do gado que morre,/ Das plantas que secam,/ Dos filhos que choram.”

Jairo Valio: ‘O construtor de pontes’

12/08/2018 01:01
Jairo Valio: ‘O construtor de pontes’

“Por motivos fúteis, uma pequena diferença nos limites das propriedades, uma briga feia aconteceu entre os dois amigos que se davam muito bem. Deixaram de conversar, proibiram suas famílias de terem amizades e assim um clima turbulento se instalou.”