Sônyah Moreira: ‘Segredo de Polichinelo’

25/06/2020 11:49

Sônyah Moreira

Segredo de Polichinelo

Polichinelo, um antigo personagem-tipo e burlesca da Comedia Dell’arte, cujas raízes remontam ao teatro da Roma Antiga. Caracteriza-se pelo nariz longo, cifose, grande barriga, barrete, roupa multicolorida e fala tremida e esganiçada.

Segredo de Polichinelo é uma informação que deveria ser secreta, mas que é do conhecimento geral.

Antes de começar mais uma crônica, gostaria de deixar claro a todos que não sou nem de direita, esquerda, ou centrão, apenas uma cidadã indignada com as semelhanças entre os fatos atuais e os do passado. Escrevo muito sobre política, por ser um assunto cativante do qual eu aprecio muito, e consigo, sempre que possível, fazer uma analogia entre o passado e o momento atual de nosso país.

No tempo do Império, existiam informações que deveriam ser secretas, porém, era de conhecimento geral; está aí o tal Segredo de Polichinelo.

Todo poder que envolve um governo é um atrativo para os espertalhões, e porque não dizer bruxos. Na Rússia dos meados de 1905, Rasputin (1869-1916), fez história ao lado do Czar Nicolau II. Sua influência, dizem os historiadores,  contribuiu e muito para a impopularidade do império russo.

Assim era também em nosso segundo império, segredos de polichinelo, pessoas que faziam o papel de alcoviteiros do Imperador Dom Pedro II.  E pensavam eles que, ninguém sabia. Tanto que, em um episódio, o dito ilustre alcoviteiro foi inocentado pelo roubo das joias da imperatriz, fato ocorrido em 1882, ou seja, seus deslizes perdoados pelo nobre monarca, alguma semelhança com fatos atuais? Maldição do poder, os amigos de hoje, serão inimigos amanhã, isso é fato.  Sábias palavras, ditas por Dom João!

Deixemos nossos monarcas em seus descansos eternos, e voltemos aos fatídicos dias atuais e suas semelhanças.

Nossos governantes tentam cobrir o mal feito, com rasuras no Diário oficial. Nossa reputação já é, digamos um tanto quanto arranhada internacionalmente com essas lambanças, nossa cara cai literalmente ao chão. Peguem-na antes que alguém a chute!

Eu penso que todos os mandatários deveriam preocupar-se com o seu entorno, aqueles que se prevalecem da simpatia de pessoas poderosas, esse,  é o maior problema de todos os governantes mundiais. Os escândalos dos bastidores do poder são protagonizados na maioria das vezes, pelos supostos assessores, pessoas que envergam uma aura de intocáveis, e, se acham acima do bem e do mal. Eu sou amigo do rei!

Os frequentadores dos palácios começam a crescer as asas, vamos compará-los ao pássaro Cuco, um parasita, que ao nascer, tira os verdadeiros donos do ninho, jogando os ovos que ainda não eclodiram para fora. Atualmente nosso palácio presidencial está coalhado de Cucos!

O povo, sendo jogado fora do ninho, antes de nascer, antes de sonhar, antes de amar, antes de viver. Somos relegados ao descaso, ao desrespeito, pagando a conta pelo desgoverno de séculos, até quando?

Os segredos de polichinelo estão nas manchetes diárias, coisas obscuras, negociatas, amigos do amigo, rachadinhas, etc. Toda sorte de desonestidade, será que nos acham tão idiotas assim? Acredito que, somos personagens principais nas piadas palacianas, com certeza nós, os verdadeiros donos, somos achincalhados. Que falta nos faz uma guilhotina!

Nosso país tem a alcunha de povo que leva a vida na boa! Ledo engano! Um povo nascido com sangue de guerreiros, não pode se curvar diante de tantos absurdos.

Se restar alguma dúvida que existam pessoas do baixo clero, que se aproveita de amizades, ou, cargos, olhe em seu pequeno universo! Uma empresa por exemplo. Quantas vezes nos deparamos com situações semelhantes? E quantos segredos de polichinelo existem nas organizações? Um nome mais prosaico e vulgar, o chamado “Rádio peão”.

Vou contar-lhes um segredo! Caso haja qualquer semelhança com fatos reais, é mera coincidência. Não passa de mais um segredo de polichinelo!

 

Sônyah.moreira@gmail.com

Fontes: WIKIPÉDIA; WWW.horadopovo.com.br