Sônyah Moreira: ‘Que rei sou eu?

31/01/2019 18:32

Já estamos  com exatos  31 dias de novos governantes. E a pergunta que não quer calar: que rei sou eu?”

Estou em brotoejas! Não consigo mais ficar calada, é urgente meu desabafo.

Já estamos com exatos 31 dias de novos governantes. E a pergunta que não quer calar: que rei sou eu?

Para os amantes de novelas, o titulo deve lembrá-los da não tão  ficção da qual me refiro. A belíssima história escrita por um gênio da dramaturgia, Cássio Gabus Mendes (1927 – 1993).

O reino fictício  chamado de Avilan caiu no colo de uma rainha histérica, louca, todavia, pouco ou quase nada um governante faz, a não ser que se autodenominem ditadores.

Os verdadeiros governantes são os conselheiros, traduzindo para nossos dias: ministros. Sim! São eles que, em geral, ditam as regras nos reinos, claro que com conivência de sua majestade.

Nesta ficção existe um conselheiro honesto e perfeito cavalheiro, dando o privilégio a sua bela e digníssima esposa o direito de saber escrever, uma aberração para época. Tal feito gera invejas e paixões por parte da nobreza.

O pior inimigo do conselheiro honesto é o bruxo da corte, trocando para os dias modernos; o Ministro da casa civil, um cargo perigosíssimo, cheio de artimanhas e com poderes ilimitados.

Vamos deixar o reino de Avilan, e retornarmos para nosso, que está bem próximo de uma queda da Bastilha, que breve terá várias cabeças a rolarem na guilhotina.

Onde quero chegar com estes rodeios absurdos? Simples! “O povo põe, o povo tira” Diferente de um herdeiro de um reinado. Aqui ainda impera o poder do voto.

Precisamos ficar atentos para os bruxos Ravengar, que se aproximam com sortilégios e interesses escusos para manobrar a seu favor.

Fiquem alertas caros  plebeus com os inimigos de nosso reino chamado Brasilan!

 

Sônyah Moreira – sonyah.moreira@gmail.com

 

Tags: