Sônyah Moreira: ‘Passado, presente ou futuro?’

04/12/2017 15:44

“O passado nos persegue como uma sombra, nos martirizando, nos faz sentir as mesmas dores da época do ocorrido, voltando e voltando como um videotape, reprisando as cenas.”

 

Existem fatos em nossas vidas que são impossíveis de serem esquecidos, ficam ali quietinhos e,  vez por outra, voltam, emergem de nossas lembranças e traumas como fantasmas horríveis para nos assombrar.

Ficamos incansavelmente  tentando corrigir o passado, coisas que já foram, não há retorno, sabemos disso de cor e salteado, entretanto, a questão é que não conseguimos.

O passado nos persegue como uma sombra, nos martirizando, nos faz sentir as mesmas dores da época do ocorrido, voltando e voltando como um videotape, reprisando as cenas.

Que amarras são essas? Grilhões enferrujados pelo tempo nos acorrentando a vida inteira; a vontade de libertação é imensa, porém, será sempre  menor do que as  nossas lembranças.

Ao ficarmos presos no passado, esquecemos inteiramente de viver o presente, os dias passam e, com isso, se tornarão  lembranças e, consequentemente, viram  passado.

Além das amarras do passado, ficamos almejando o futuro,  com visões e planos mirabolantes para os anos seguintes; todavia, esta contemplação do futuro também  nos leva a esquecer o presente.

A máxima é a seguinte: O passado já foi não voltará, não conseguiremos remediá-lo, modificá-lo, nada poderá ser feito… Nada mesmo!

O futuro! Ah! Quantos planos! De fato, precisamos ter alguma programação, ou planejamento, não há dúvida sobre isso, o que não podemos de maneira alguma é nos esquecermos de viver o presente, o agora, o já!

É triste perceber que perdemos muito tempo com o que não temos controle seja o passado ou futuro; o equilíbrio precisa ser alcançado.

Planejar, com certeza é preciso; se vamos conseguir contemplar  a realização dos planos é outra coisa.

O passado e suas  lembranças nos fizeram o que somos hoje, porém, a energia  desprendida  para esse espaço de tempo tem que ser feita com cautela; guarde suas lembranças com carinho, sem se  esquecer do agora.

O tempo passa e rápido; se essa rapidez é apenas   uma sensação,  jamais saberemos,  ficará sempre  a dúvida.

O fato é que, se ficarmos acorrentados ao nosso passado, e ocupados demais em planejar o futuro, não conseguiremos viver o hoje.

O hoje, em tese, é o menor tempo para viver; aproveite com intensidade e paixão, talvez isso, fará com que você  guarde com mais carinho suas lembranças que foram bem vividas.

O futuro bem planejado  e organizado precisa ser aproveitado no momento que  chegar, senão não adiantará nada, e sem desfrutar ele não se transformará em  lindas histórias de sua vida.

Só pra lembrar! O hoje, ontem era futuro, e o mesmo hoje,  amanhã,  já será passado!

Vivez le présent!

 

Sônyah Moreira – sonyah.moreira@gmail.com

Tags: