Sonia Jaqueline de Oliveira, de Porto Feliz, recebe o Prêmio Mestre Cultura Popular ‘Edição Leandro Gomes de Barros’- 2017, concedido pelo Ministério da Cultura

29/07/2018 20:29

Sonia Jaqueline recebeu o prêmio pela realização do seu trabalho voluntário como narradora oral tradicional através do projeto de incentivo a oralidade e  literatura “Alinhavando Histórias em Canto Prosa e Verso”

 

A cidadã porto-felicense Sonia Jaqueline Anastácio da Silva Oliveira recebeu o Prêmio Mestre Cultura Popular ‘Edição Leandro Gomes de Barros ‘- 2017, concedido pelo Ministério da Cultura- MinC, pela realização do seu trabalho voluntário como narradora oral tradicional através do projeto de incentivo a oralidade e  literatura ‘Alinhavando Histórias em Canto Prosa e Verso.’

Sendo a única na região de Itu e Sorocaba e região a receber o prêmio, a  Contadora de Histórias e ativista cultural comemora com orgulho: “… minha missão é preservar a tradição e passar para os mais novos”.

 A paranaense Sonia Jaqueline  nasceu na cidade de Leópolis. Cresceu ao som da sanfona de seu pai e ouvindo causos contados por seus avós. Em meio às histórias, o cheiro de cravo e canela, dos doces caseiros do fogão de lenha, recorda que  vivia a brincar descalça no chão batido vermelho do quintal. Foi a arte de recontar, ‘prosear’ as histórias nas brincadeiras de infância que conduziram a menina Sonia Jaqueline aos pilares de sua trajetória artística: teatro e arte da  narração de histórias.

Moradora há quarenta anos  na terra das Monções, Porto Feliz – SP, recebeu o certificado de ‘Mulher Destaque’ porto-felicense em 2012, o Prêmio ‘Professor Pedro Moreau’ educadora do ano 2013  e, em 2014, por seu trabalho em prol da cidade, o título de Cidadã Porto-Felicense. Em 2016, foi agraciada pela Federação Brasileira dos Acadêmicos das Ciências, Letras e Artes (FEBACLA) com a medalha ‘Emissária da PaZ’ e diploma de ‘Personalidade do ano’, em 2015, na cidade de Campinas.  Foi agraciada com a Medalha da Paz e Personalidade do Ano 2015, pela FEBACLA – Federação Brasileira dos Acadêmicos Ciências Letras e Artes na cidade de Campinas. Em 2018, recebeu a Comenda da Academia Literária Internacional – ALPAS 21- RS ‘Personalidade Cultural 2017’ e foi vencedora da enquete ‘Melhores do Ano 2017 em Porto Feliz’, promovida pelo jornal cultural ROL – REGIÃO ON LINE.

Especialista na ‘Arte de Contar Histórias’,  é membro do RIC – Rede Internacional Cuentacuentos/Espanha. Tem participação ativa em eventos culturais, ministrando palestras e oficinas sobre a performance da arte milenar  de narrar histórias. Em participação literária, foi selecionada para publicação em várias antologias dentro e fora do Brasil.

Em sua caminhada de quase vinte anos contando histórias, relata que foram dezenas de cursos e oficinas sobre arte e educação, atualmente apresenta quatro pós-graduação psicopedagogia, gestão em educação, educação especial e arte de contar histórias, tendo sua segunda graduação em  Arte em 2018.

Em 2016,  formou o primeiro de Narração Oral Tradicional do município, Narração Oral Tradicional – ‘Viva História VIVA’ de Porto Feliz, o qual conta hoje com cerca de trinta integrantes apresentando-se em vários espaços culturais da região com muita alegria, divulgando a história da epopeia monçoeira de Porto Feliz, recebendo também vários turistas no Parque das Monções.

Para Sonia Jaqueline, estar ao lado de pessoas tão queridas e especiais no grupo Viva História VIVA, é motivo de esperança, despertando a certeza e a segurança da continuidade das histórias dos nossos ancestrais, nossas ‘raízes’, que serão preservadas no futuro. Parafraseando o grande Ruben Alves, “O mundo necessita esperançar, para isto é preciso de mais faze-dores, conta-dores e ouvi-dores”, ela reafirma: “A cultura é salvadora”.

Um lugar onde ela se sente bem, é sempre aos pés das pessoas idosas, os verdadeiros guardiões do saber, onde ‘sabedoria e tempo caminham sempre juntos!’

Tags: