Sandra Vasconcelos lança o livro Cruzeiro em Verso e Prosa

13/08/2021 16:28

 

Autora de livros de gêneros literários, Sandra Vasconcelos, em Cruzeiro em Verso e Prosa, incursiona na narrativa histórica de Cruzeiro (SP), sua terra natal

Cruzeiro em Verso e Prosa, segundo a autora, tem por finalidade relatar sobre a cidade de Cruzeiro, desde sua origem, sua história, seu hino, sua bandeira, brasão, relevo, clima e hidrografia, como uma forma espalhar um pouco de poesia e carinho para alcançar o coração do leitor, despertando-o para a necessária conscientização de preservação do patrimônio cultural.

A autora pretende, com esse trabalho, despertar o homem para a revalorização dos bens, que se encontram deteriorados, contribuindo para a melhoria da cidade e seu embelezamento.

A ideia do livro é conhecer um pouco mais sobre a formação do município de Cruzeiro, a c9meçar pela origem do nome, o aparecimento do núcleo do Embaú, sua primeira sede, assim como os pontos turísticos e a economia do Município. Identificando a cidade de Cruzeiro antes da abertura da Estrada de Ferro e depois, em 1875, com a construção da Estação em terras da Fazenda Boa Vista, oferecendo dados importantes sobre a rota ferroviária que passava pelo município, e que foi imprescindível para o transporte do café na segunda metade do século XIX e início do XX, pois ligava os três Estados: Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro.

O livro também se propõe a uma análise sobre os aspectos geográficos e demográficos da cidade e a importância do Turismo para a economia local, alertando as pessoas para o reconhecimento das ações que causam prejuízos irreversíveis ao patrimônio cultural, assim como a necessidade urgente de conscientizar e sensibilizar o leitor para que haja mudanças de atitudes em favor da recuperação e revitalização do patrimônio cultural, como medida de preservação. Ressaltando que a preservação proporciona o usufruto do patrimônio arquitetônico e ambiental, pela população.

Sandra Vasconcelos ressalta, contudo, que não se pretende esgotar o assunto, mas dar ao leitor uma oportunidade de ‘viajar’ pela cidade de Cruzeiro, deslumbrando-se com as serras, os edifícios, o Belvedere ‘Santo Cruzeiro’, ‘A Santa”,  a arte, a culinária, a cultura, as igrejas, o comércio e as belezas esculpidas nos detalhes peculiares da cidade.

O livro apresenta, também, alguns filhos ilustres de Cruzeiro e suas biografias.

Traçado o perfil da cidade de Cruzeiro, o roteiro passa pela sua fundação, atrações históricas e culturais, curiosidades, contos e ‘causos sérios’ por meio de poemas.

Completa o livro fotos, poemas e mapas que convidam o leitor a um mergulho na história da  ‘cidade menina’’.

Sandra tem consigo a convicção de que todo cidadão cruzeirense, ao ler o livro, sentir-se-á responsável pelo seu patrimônio histórico e lutará para preservá-lo, possibilitando, assim, o pleno exercício da cidadania, plantado e pensado por ela para ser projeto em um futuro promissor.

Sandra registra, ainda, que não tem a pretensão de receber o título de historiadora ou memorialista. E Títulos, para ela, já não a encantam mais (por ter mais de sessenta anos). Ela se vê como uma professora de história aposentada que muito estudou para levar aos alunos o conhecimento da verdade, mesmo que relativa, porquanto nunca acreditou em verdades absolutas, visando, desta forma, fazê-los refletir diante de conteúdos claros e coesos, porém muitas vezes duvidosos. Sua intenção sempre foi clara: ensinar e aprender, levando o conhecimento a todos, de direito e de fato.

Ela vê o nascimento do livro como algo tímido, mas a necessidade de publicar a história de sua terra Natal, representa-lhe uma sinalização de resistência, uma iniciativa de sobrevivência da história.

Sob sua ótica, as produções culturais e históricas não podem e não devem ser escondidas e, depois de prontas, não pertencem mais ao autor, transformam-se em Patrimônio Público.

Resumidamente, para Sandra Vasconcelos o livro tem como escopo evocar a atenção de todos, para a importância da preservação do Patrimônio Cultural de Cruzeiro.

Defendendo o patrimônio histórico e a beleza de seu meio ambiente e recuperando suas tradições culturais, visa resgatar a rica história da cidade, proporcionando esperança para novas gerações.

Sua esperança, com o lançamento do livro, é  despertar os cidadãos, de forma geral, em toda sua plenitude, conscientes de seu direito de cidadania, de seu dever como cidadão, para respeitar e preservar o patrimônio histórico.

Enfatiza que a preservação permite à sociedade acesso à memória coletiva, conhecendo e interpretando o passado, para constituir, no presente, a identidade comunitária com sua heterogeneidade, igualdade e desigualdade.
Unindo História e Arte, deseja oferecer informações e belezas, despertando a estética da sensibilidade, além de contribuir para a divulgação da cidade de Cruzeiro.

O lançamento de Cruzeiro em Versos e Prosa foi realizado pelo presidente da Academia de Letras e Artes de Cruzeiro – ALAC, Eduardo César Werneck, na página da Academia, no Facebook , e ocorrerá presencialmente na Academia amanhã (14).  E, no final do mês de agosto, Sandra fará outro lançamento na sede do Rotary de Cruzeiro.

A autora

Sandra Vasconcelos

Sandra Vasconcelos é casada, mãe de três filhos e avó de três netos. Nasceu em Cruzeiro/SP.

É bacharel em Direito e formada em Magistério e Cursos Superiores: Estudos Sociais, Pedagogia, Supervisão Escolar e Direito. Pós-Graduada em Gestão Educacional pela UNICAMP.

Diretor de Escola Titular de Cargo. Supervisor de Ensino na Diretoria de Ensino de São José dos Campos- SP.

Membra e fundadora da ALAC.

Produção literária:

Poesias selecionadas em concursos promovidos pela UNIVAP: “Pausa”- 1995. “Incêndio art. 250, ” – 1998 “Tranqueiras de Vida” – 2000; escreveu, juntamente com os alunos da E. E. São Leopoldo, em São José dos Campos, o livro: “Nós e o Parque” (2002); publicou, com os professores da E.E. “Dr. Mauricio Anisse Cury”, o livro: “Conhecendo São José dos Campos” e “Poesia em Braille” (2005); escreveu para crianças, o livro: “Estrelinha Azul”, em tinta e Braille (2008); “O Menino, o Gnomo e a Floresta Destruída” (em tinta e Braille) (2009); “Carlinhos e o Gnomo no mundo do Circo” (2010). publicou: “Orgasmo, Orvalho e Orquídeas” (Antologia Poética) (2011); “Histórias de Assombração” (2012); “Carlinhos, o Gnomo e o Curupira” (2013).  “Alfabetizando Brincando” (2014).  “Dicas para uma Docência de Excelência” (2014). “O Cavalinho Alazão, a menina e o Gnomo” (2017). “Orgasmo, Flores e Orvalho” (2018). “Carlinhos e o Gnomo na Casa mal-assombrada” e “Carlinhos, o Gnomo e o Natal” (2019);  “Cruzeiro em Versos e Prosas” (2021).

Os livros abaixo foram selecionados pela Fundação Cultural Cassiano Ricardo e participaram do Festival da Mantiqueira em São Francisco Xavier – SP:
– 2011- “Orgasmo, Orvalho e Orquídeas” (Antologia Poética),
– 2012 – “O Menino, o Gnomo e a Floresta destruída”,
– 2013 – “Carlinhos e o Gnomo no Mar“,
– 2014- “Carlinhos, o Gnomo e o Curupira”,
– 2015 – “Histórias de Assombração”.

Também publicado, para Teatro: “O menino, o Gnomo e a Floresta Destruída”.

Foi Presidente da UDEMO (Sindicato de Especialistas de Educação do Magistério Oficial do Estado de São Paulo) na Região de São José dos Campos/ SP, por dois mandatos.

Homenagens:

Em 2010 foi homenageada na Câmara Municipal de São José dos Campos – SP pelos professores, pais e alunos da E.E. “Dr. Maurício Anisse Cury”, pelo livro publicado em Braille: “O menino, o Gnomo e a Floresta Destruída”.

Em 2014 foi homenageada na Câmara Municipal de Cruzeiro, com o diploma “Mérito Mantiqueira” pelos livros publicados e pelo seu relevante trabalho na Educação.

Em 2017 foi homenageada pela Agência Top Class e o Jornal Classe Líder, pelos relevantes serviços prestados no segmento Literário, como escritora, exaltando o papel da Mulher na Sociedade.

É acadêmica titular e uma das Fundadoras da ALAC (Academia de Letras e Artes de Cruzeiro). Colunista do Jornal Cultural Rol e Acadêmica Nacional de Grande Honra, da Federação Brasileira dos Acadêmicos das Ciências, Letras e Artes- FEBACLA, cadeira nº 88, Patrono Paulo César Santos (Paulinho do Roupa Nova).

 

 

 

Tags: