Sandra Albuquerque: ‘Faces do amor’

08/10/2021 15:47

Sandra Albuquerque

Faces do amor

Amar não tem idade
Amar não é ser ímpar
Amar é viajar
Nas nuvens do pensamento.
Amar é viver, encantar…
Doar, ceder
Sem ter medo de errar.
Amar é desenhar
Nas entrelinhas do tempo
Cada toque, cada beijo
Cada abraço e cada palavra solta.
Amar é sentir o prazer de estar junto e perto.
Amar é desconhecer
O deserto das desilusões.
Amar é permitir
Amar é incondicional
Vai além de nosso querer
Da nossa vaidade.
Amar se explica num olhar
Os olhos dizem tudo
São, simplesmente, xerox
Do nosso interior.
Quem não ama, não vive
Não sonha e é vazio
Casado é
Com a desilusão.
Por isto, eu amo, desejo
E quero viver assim.
O amor
Não é como bolhas de sabão
Lindas, formosas e coloridas
Encantam, mas…
Pouco duram.
Amor que vem e passa
Não é amor
E, sim, impressionismo.
E quando paixão se torna
Surge a fixação
Gera derrotas e insegurança
Desespero, um só tormento.
O amor acalma a alma.
Transforma vidas
Muda até conceitos.
O amor é atemporal
E não existe sentimento igual
A ele que se assemelhe.
O amor que está nas veias
Esse, sim, sofre
Sente as mesmas dores
Do seu ente querido
Ou de seu animal de estimação.
É o que tudo suporta
Transporta vales e desertos
Em busca de soluções.
Como uma mãe
Que pede a cura
Para os erros de seus filhos.
É um pai que desfalece
No lugar de seu filho faminto.
Enfim ,milhares de gestos
Demonstram este amor fraternal.
Um amor que ódio abomina.
Um amor que não existe igual.
O amor é a chama da vida
Um oceano completo.

(Autoria: Escritora Poetisa Sandra Albuquerque)
Rio de Janeiro,03/07/2021
Direitos Reservados à autora
Lei 9610/98.

 

 

 

 

 

Tags: