Sandra Albuquerque: ‘Do alto do monte’

26/11/2021 17:03

Sandra Albuquerque

Do alto do monte

Do alto do monte eu posso ver.
Toda a natureza ao meu redor.
O azul que se mistura com as espessas nuvens
O sol que brilha forte
E o verde que ao longe se enegrece.
Os pássaros gorjeiam um lindo cântico
E as folhas das árvores que aplaudem a todo espetáculo, devido a brisa que mansa soa. E toda a natureza resplandece.
Lá embaixo a força das água batendo nas pedras e como espuma invadem a areia fria e indefesa.
Mas , eu não tenho pressa.
Meu corpo quase inerte assiste a tudo
E se maravilha com tanta beleza.
E a manhã se vai e a tarde chega
E logo, logo o crepúsculo anunciará a chegada da noite
E eu ali continuo sem pressa
E de repente
Um avermelhado
Vem surgindo sobre as águas
E a paisagem muda
E quando vejo, a lua vem surgindo como um gigante para domar a noite
E eu continuo sem pressa
E ali tão só.
Mas…
De repente
Vejo que um vulto se aproxima
E que aos poucos vai tomando formas e crescendo
E quando dou por mim
Vejo que uma mão toca os meu dedos longos
E eu não tenho medo
Pois é você chegando
Ao meu encontro
Molhado pela neblina
E este corpo encantador , qual faz a minha alma estremecer
Está ali
Para me amar até o novo amanhecer.

 

Autora: Sandra Albuquerque
Rio de Janeiro, 26/04/2018 – 22:15

 

 

 

 

Tags: