Sandra Albuquerque: ‘A pele não importa’

20/11/2021 12:17

Sandra Albuquerque

A pele não importa

Um só Deus
Basta!
Zere a discriminação!
A pele não importa
Todos são iguais
É a lei
Escrita na Constituição.
Negro, branco, amarelo
Pardo ninguém quer ser
Muita gente quer ter
O famoso sangue azul.
Como pode!
Gente sem noção!
Gente sem escrúpulos!
Insensatos são!
Obras de pensamento
Malditos e sem conhecimento.
Da onde que em um país
Cuja miscigenação
É visível a cada milímetro de terra
Quer se enquadrar
Com uma raça pura?
Parece ironia
Loiro com branco é fantasia
Porém,é o oposto que se atrai.
Ainda há resistência
Há muitos racistas na Terra
E o negro em primeiro lugar
Com outro negro não quer casar.
Mas a cultura vence tudo
Transporta as barreiras da mediocridade
Precisamos crer que estamos
No período de transição
E pensarmos que um dia
O rico sentará com pobre
E o plebeu com o nobre
E seremos uma só nação.
Não podemos duvidar
Das forças do ativismo
Que buscam encontrar
Solução para o racismo.
Só hoje é lembrado,
Por que não diariamente?
Se a dor que dói na pele
É o negro que sempre sente.
Um lugar na faculdade
Uma cota no trabalho
Uma enxada na lavoura
A pele marcada pelo tempo.
Os serviços mais pesados
Nos restaurantes discriminados
É a turma que anda de trem
Num carro Porsche todos admiram
Perguntam logo se é roubado
Por que o negro vem dentro
E pensam que é um ladrão.
Nem manequins são destacados
Negro povo desgraçado
Pelas mentes doentias
Povo para serventia.
E o branco abastado
De sua capacidade desconfia
Um gerente ou um médico
Um engenheiro ou um juiz
Um Tenente ou um coronel
Se forem negros há quem ri.
Ligam o negros ao descaso
Se esquecem que escravidão
Ficou bem lá no passado
E , embora, bem presente
É tão triste ter que dizer
Que a discriminação existe
Pois é a diferença entre o ser
Vista de fora para dentro
E é uma pena
Que os olhos de muitos
Não consigam contemplar
A beleza que há na alma
Do ser humano com pele negra
O ser tal como ele é.

(Comendadora Poetisa Sandra Albuquerque)
Rio de Janeiro,20 de novembro de 2021.
D.E.A. Lei 9.610/98.

 

 

 

 

Tags: