Ranielton (Rannie) Lucarelli Dario Colle: ‘O renascer da esperança’

06/02/2018 15:00

Tenho um sorriso bobo em meu rosto/ Enquanto vejo me gato brincar com uma bolinha de papel/ E anseio intimamente essa inocência/…”

 

O RENASCER DA ESPERANÇA

Igual a essa noite sem igual,
A insônia não existe para mim.
Entre sonhos intercalados,
Truncados,
Eu passo sem entender, sem querer,
Sem poder… Porque nada faz sentido
Quando o sentido
Já perdeu todo o valor para realidade
E algo morre aqui dentro
Sempre…
A dor e a fome que corromperam a alma
Fizeram da banalização da crueldade
Instrumento de vida da humanidade
Essa espécie tão vil e atroz
Que se auto-entitula escolhida
Para dominar o planeta…
Em uma época em que toda ética morreu
Abafada por jogos linguísticos de setores corporativos
Os meus sonhos confrontam a pureza dos elfos, a teimosia dos anões,
E a fraqueza dos homens,
Estúpidos e gananciosos…
Eu queria correr para longe daqui
Não desprezar minha própria espécie
Ter orgulho de nossas conquistas vãs…
Mas tenho dormido pouco ultimamente
E realmente não posso reclamar
Nada me falta ou faltará,
Nem mesmo um propósito,
Apenas o sentido de tudo é que me escapa
Meio a tanta dor e injustiça
Sofrimento e morte…
Tenho um sorriso bobo em meu rosto
Enquanto vejo me gato brincar com uma bolinha de papel
E anseio intimamente essa inocência
Tenho um momento de felicidade estúpida
Ao ver meus cãezinhos brincando
E depois volto para mim como que por encanto
E percebo nunca mais nesses dias tão estranhos
A não ser nesses sonhos sem sentido
Encontrarei a pureza e o benefício
Da crença na humanidade e na vida
Outra vez..

 

Tags: