Rafaela Chor: ‘Balanço’

02/07/2019 21:44

Rafaela Chor

Balanço

Você se encontra com duas cordas presas aos ombros que são impulsionadas pelo vento e você frequenta passado presente e futuro num piscar de olhos.

Nós, de costas com o passado, o frequentamos de vez em quando para que ele sirva de impulso para chegarmos no futuro.

Mas olha só, nós não sabemos viver o presente.  Nossa mente viaja pensando no ônibus que pode passar sem você embarcar em quinze minutos. Pensando que você talvez tenha deixado a luz do quarto acesa ao sair de casa.

Pensando naquele toque que você tanto deseja mas que  já lhe é fisicamente impossível e que você teria tanta sorte se sonhasse com ele naquela noite. 

Ou talvez cantarolando a música do comercial de refrigerante de laranja que passou na TV.

Olha só como estamos em movimento.

Acontece que a gente sente uma vontade enorme de saltar quando nos encontramos no ar, quando nos sentimos leve e quando quem nos impulsiona é uma pessoa que confiamos  piamente e temos a certeza de que ela estará lá, com os braços abertos prontos pra lhe agarrar quando decidir abandonar o assento de madeira.

Muitas vezes caímos no chão e ralamos o joelho, cotovelo, cabeça. Mas a pior cicatriz é a que fica no peito, é aquela que arde como merthiolate.

Eis que você decide ficar e se balançar um pouco mais pra se sentir mais confortável e talvez não se aventurar num salto desprecavido.

E por um pequeno descuido tudo se entrelaça e você se encontra preso em suas próprias cordas.

 

Rafaela Chor

rafaelachor@outlook.com

Tags: