Rafael Mendes: ‘Vida e obra de Fiódor Dostoiévski’

28/09/2021 18:42

Rafael Mendes

Vida e obra de Fiódor Dostoiévski

Fiódor Mikhailovich Dostoiévski nasceu em Moscou a 30 de outubro de 1821 [1], sendo o segundo fruto do casamento entre Mikhail Andreievich Dostoiévski e Maria Fiodorovna Dostoievskaia [2]. Tinha seis irmãos: Mikhail (o mais velho), Varvara, Andrei, Vera, Nicholas e Alexandra [3]. Seu pai era médico-chefe do hospital de Mariinski, localizado nos arredores de Moscou [4], e ex-combatente da Guerra de 1812 (Campanha da Rússia) [5]. Sua mãe, por sua vez, era da família Nechaiev, um grupo de mercadores [6].

​Apesar de viver em um pequeno apartamento com seus pais e irmãos, a infância de Fiódor foi solitária, fato que influenciou profundamente a vida e a obra do autor. A maior parte de suas interações interpessoais ocorria dentro do ambiente doméstico [7]. Ademais, Dostoiévski vivia uma relação conflituosa com seu pai, Mikhail [8].

​Quando Fiódor tinha dez anos de idade, seus pais adquiriram uma pequena fazenda no distrito de Kashir, na província de Tula (as propriedades foram compradas nas pequenas vilas de Darovoe e Chermashnya) [9]. Em Darovoe [10], o menino e sua mãe repousavam nos períodos de verão [11]. Em 1833, Fiódor e Mikhail, seu irmão mais velho – o qual ele amava intensamente [12] –, foram enviados para o semi-internato de N.I. Drashusov [13] (“Drashusov” foi o nome russo escolhido pelo francês Souchard, que educara os meninos em ambiente doméstico) [14], onde permaneceram por um ano. Os irmãos Fiódor e Mikhail já estudavam em casa, local em que um padre os visitava constantemente a fim de instruí-los. Além disso, seu pai lhes ensinou latim. Com efeito, as longas sessões de estudo da língua latina escancararam a impaciência e a irritação do pai para com Fiódor [15].

Academia Militar de Engenharia de São Petersburgo

Em 1834, Fiódor e seu irmão adentraram no internato de Leonty Ivanovich Chermak, onde permaneceram por três anos em uma rotina diária de oito horas de estudo [16]. Em 1837, sua mãe, Maria Fiodorovna Dostoievskaia, veio a falecer. Por volta do mesmo período, morreu também, na cidade de São Petersburgo, o poeta russo Aleksandr Sergeevich Púchkin. A morte de Púchkin abalou Fiódor muito mais que a de sua própria mãe [17]. Em maio do mesmo ano [18], Fiódor e Mikhail foram encaminhados à Academia Militar de Engenharia de São Petersburgo. Os meninos se estabeleceram no internato do capitão K.F. Kostomarov, onde estudaram para os exames de admissão da Academia [19]. Fiódor foi admitido, iniciando seus estudos em 1838, mas Mikhail, seu irmão, teve sua admissão negada por conta de problemas de saúde. Este adentrou, meses depois, na Academia de Engenharia de Reval [20].

A principal fonte de informações acerca da vida de Dostoiévski nos anos vindouros reside na troca de correspondências entre ele e o irmão no período em que estiveram separados [21]. Em 1839, seu pai foi encontrado morto – havia relatos de que, por conta de seu problema com bebidas, Mikhail apresentava condutas de abuso para com seus empregados, sendo esse o suposto motivo de seu assassinato [22]. Em 1841 (1842, segundo MOCHULSKY, 1967, p. 18), Fiódor foi promovido a subtenente, passando a morar na rua Vladimir [23], mas em 1844 abandonou a carreira militar [24].

Durante o inverno de 1844-45, Fiódor concebeu Gente pobre, uma pequena novela epistolar [25]. Enviou o manuscrito de sua obra a um literato, Grigorovich, que havia conhecido em seus anos de estudo na Academia. Grigorovich apresentou o texto a Nekrasov, um jovem poeta de certa fama [26]. A partir de então, a obra de Dostoiévski escalou o mundo literário russo, tornando-se cada vez mais conhecida e aclamada. O livro Gente pobre foi publicado em janeiro de 1846 [27]. No mesmo ano, Dostoiévski publicou os romances O duplo e O senhor Prokhartchin [28] e, em 1847, as novelas A senhoria e Coração débil [29]. Em dezembro do mesmo ano, lançou Noites brancas, um de seus mais célebres romances. O livro conta a história de um homem, o Sonhador [30], que se apaixona pela jovem Nástienka durante o período das noites brancas [31] do verão de São Petersburgo. Este é o trabalho de Dostoiévski que melhor se enquadra na escola romântica, opondo-se ao realismo vigente nas obras literárias da época [32].

Em 1849, Dostoiévski publicou o livro Netochka Nezvanova. Em 23 de abril do mesmo ano [33], foi preso pelo regime tsarista junto a outros membros do grupo denominado de “Círculo Petrashevski” [34], formado por intelectuais que discutiam acerca do socialismo utópico [35], passando oito meses na prisão. Em dezembro, foi levado sem aviso à praça Simionovski para ser executado, mas foi perdoado pelo tsar momentos antes de sua execução [36]. Dostoiévski relata essa experiência no prefácio do livro O idiota, publicado posteriormente. Apesar de ter escapado da morte, Fiódor foi enviado a uma prisão na Sibéria para trabalhar em um campo de trabalho forçado [37]. Em 1854, foi libertado, pedindo Maria Isaieva em casamento [38] dois anos depois.

Em 1859, publicou as novelas O sonho do tio e Aldeia de Stiepantchikov e seus habitantes. No fim do mesmo ano, Dostoiévski e sua família ganharam o direito de residir em São Petersburgo [39]. O autor publicou uma série de livros ao longo dos próximos anos, como Escritos da casa morta (1859), Humilhados e ofendidos (1860), Memórias do subsolo (1864), Um jogador (1867), O eterno marido (1870), Crime e castigo (1866), O idiota (1869), Os demônios (1872), Bobok (1873), O adolescente (1875), Os irmãos Karamázov (1880) etc. [40]. Crime e castigo é, indubitavelmente, a obra de Dostoiévski mais divulgada em língua portuguesa.

Durante o início da década de 1860, Dostoiévski viajou para mais de vinte cidades da Europa ocidental [41]. Em 1864, perdeu sua esposa, Maria, e alguns meses depois, seu irmão mais velho, Mikhail. Fiódor, que trabalhava com Mikhail na administração e edição do jornal Época, por eles fundado, assumiu as dívidas do irmão. Em 1866, casou-se com a estenógrafa Anna Grigorievna Snitkina, com quem empreendeu novas viagens [42]. Em 1868, nasceu-lhes Sofia Fiodorovna Dostoievskaia, que faleceu alguns meses depois – acontecimento que os abalou profundamente [43]. Em 1881, também Fiódor Mikhailovich Dostoiévski veio a falecer.

Além de autor, Dostoiévski foi redator-chefe, tradutor, editor e escritor de jornais e memoriais [44]. Desde a publicação de O duplo no periódico russo Anais da Pátria, em 1846, Dostoiévski já procurava compreender a natureza psicológica do homem, tema que permeou parte expressiva de sua criação literária [45]. Em suas obras mais maduras, como Os irmãos Karamázov e Bobok, o autor discute temas da esfera biopsicossocial de sua época. Dostoiévski esteve sempre atrelado ao debate público russo. As vivências de Fiódor também se mostraram pertinentes a suas obras [46]. Em Os irmãos Karamázov, tem-se um epítome de temas de obras anteriores. Paulo Bezerra descreve a obra como

romance panorama que engloba vários aspectos históricos, sociais, ideológicos, psicológicos, religiosos, jurídicos etc., que, transfigurados no amplo espectro de caracteres e atitudes das muitas personagens que o povoam, personificam a vida na Rússia da segunda metade do século XIX.

Por conta de sua vasta coleção de obras-primas, não é exagero afirmar que Fiódor Mikhailovich Dostoiévski é o maior romancista da literatura universal. Seu nome é referência no que diz respeito à profundidade de suas personagens, uma característica extremamente marcante e reconhecida de suas produções. ​

 

NOTAS

​[1] GROSSMAN, 2020.

[2] MOCHULSKY, 1967, p. 3.

[3] CARR, 2014, p. 11.

[4] FRANK, 2012, p. 6.

[5] FRANK, 2012, p. 6, e MOCHULSKY, 1967, p. 3.

[6] MOCHULSKY, 1967, p. 3.

[7] CARR, 2014, p. 13.

[8] MOCHULSKY, 1967, p. 4.

[9] Disponível em: http://eng.md.spb.ru/dostoevskij/biografiya/.

[10] Ibid.

[11] CARR, 2014, p. 14.

[12] MOCHULSKY, 1967, p. 4.

[13] Ibid.

[14] CARR, 2014, p. 15.

[15] Ibid.

[16] Ibid.

[17] MOCHULSKY, 1967, p. 10.

[18] Ibid.

[19] Ibid.

[20] CARR, 2014, p. 16.

[21] Ibid.

[22] CARR, 2014, p. 19.

[23] MOCHULSKY, 1967, p. 18.

[24] CARR, 2014, p. 23.

[25] Ibid.

[26] Ibid.

[27] Ibid.

[28] MOCHULSKY, 1967, p. 18.

[29] Ibid.

[30] Disponível em https://www.editora34.com.br/detalhe.asp?id=324. Acessado em 16/09/2021.

[31] As “noites brancas” (белые ночи; lê-se biélie notchi) são um fenômeno que ocorre em algumas regiões do hemisfério norte. Do fim de maio ao início de julho, na cidade de São Petersburgo, o período noturno é claro, como se ainda fosse dia. O período de maior claridade na cidade ocorre entre 11 de junho e 2 de julho.

[32] Disponível em https://www.editora34.com.br/detalhe.asp?id=324. Acessado em 16/09/2021.

[33] Disponível em http://eng.md.spb.ru/dostoevskij/biografiya/. Acessado em 16/09/2021.

[34] Ibid.

[35] MORSON, 2021.

[36] Disponível em http://eng.md.spb.ru/dostoevskij/biografiya/. Acessado em 16/09/2021.

[37] MORSON, 2021.

[38] Disponível em http://eng.md.spb.ru/dostoevskij/biografiya/. Acessado em 16/09/2021.

[39] Ibid.

[40] Disponível em: https://www.editora34.com.br/detalhe.asp?id=324. Acessado em 16/09/2021.

[41] Disponível em http://eng.md.spb.ru/dostoevskij/biografiya/. Acessado em 16/09/2021.

[42] Ibid.

[43] Ibid.

[44] DE MELO, 2019, p. 109.

[45] Ibid.

[46] DE MELO, 2019, p. 110.

[47] apud DE MELO, 2019, p. 110.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

​1. CARR, E. H. Dostoevsky 1821-1881. Routledge, 2014.

  1. DE MELO, K. M. MATIZES QUE POVOAM A LITERATURA: TEMAS RECORRENTES EM DOSTOIÉVSKI. ANAIS DE TEXTOS COMPLETOS DO X CAFÉ COM LEITURA E V SEMINÁRIO DE LEITURA, ESPAÇO E SUJEITO, p. 107, 2019.
  2. DOSTOIÉVSKI, F. Noites brancas. In: 34, Editora. Editora 34. [S. l.]. Disponível em: https://www.editora34.com.br/detalhe.asp?id=324. Acesso em: 12 set. 2021.
  3. FRANK, J. Dostoevsky: a writer in his time. Princeton University Press, 2012.
  4. ГРОССМАН, Л. Достоевский. Litres, 2020.
  5. MOCHULSKY, K. et al. Dostoevsky: His life and work. Princeton University Press, 1967.
  6. MORSON, G. S. “Fyodor Dostoyevsky”. Encyclopedia Britannica, 2021. Disponível em: https://www.britannica.com/biography/Fyodor-Dostoyevsky. Acesso em: 11 set 2021.
  7. MUSEUM, D. Biography. In: MUSEUM, DOSTOEVSKY. DOSTOEVSKY MUSEUM: Saint Petersburg. [S. l.]. Disponível em: http://eng.md.spb.ru/dostoevskij/biografiya/. Acesso em: 11 set. 2021.
  8. PETERSBURG, S. White Nights. In: PETERSBURG, Saint. Saint-Petersburg. [S. l.]. Disponível em: http://www.saint-petersburg.com/virtual-tour/whitenights/. Acesso em: 12 set. 2021.

 

Rafael Mendes

 

 

 

 

 

Tags: