Pietro Costa: ‘Eu contra eu mesmo’

03/04/2021 14:56

Pietro Costa

Eu contra eu mesmo

Só quem já morreu se acanha

Deitando nas mesmas lembranças

Escorado nos mesmos dramas

Reprisando as suas filigranas

Ansiando a vinda de um nirvana

 

NÃO arranca o nó da garganta

NÃO arranha os móveis da sala

NÃO arranca a roupa de cama

NÃO arranha as paredes brancas

NÃO arranca de si o pijama

 

Brilho eterno de tédio…

E de desesperança!

Roteiros bem previsíveis…

E sem mudanças…

Voos rasos de memórias tolas…

E também tacanhas!

Como e por que fazer?

Um salto no abismo

Leap of faith

A trilha de novos caminhos

 

Desfila a rima no insólito pôr do sol

Bailando na noite mórbida, profunda

Ei-la, vívida, a vertigem do livre arbítrio

O fogo que se alastra na fluente água pura

 

Distrações e conflitos

Atordoando indivíduos

Kierkgaard é incisivo

Entre temor e tremor,

A latitude do equilíbrio

As escolhas escondem perigos

Amiúde paradoxos e silogismos

 

Destinos se destinam a martírios

Invisíveis a outros tantos sentidos

Porquanto estremados no foro íntimo

Espadas forjando corpos e espíritos

A sua luta é rigorosamente consigo…

A sua luta é rigorosamente consigo!!!

 

Pietro Costa

Pietro_costa22@hotmail.com

Tags: