O leitor participa: Jairo Válio, da Academia Sorocabana de Letras, com o poema ‘Uma flor ‘

15/12/2017 22:21

“Brinda a vida como um botão de rosas que desabrocha./ Encanta sorrisos da criança ao derriçar suas pétalas macias./ Perfuma ambientes nos vasos floridos das casas onde habita/ E também nas matas que, vaidosas, mostram seus encantos.”

 

UMA FLOR

Brinda a vida como um botão de rosas que desabrocha.
Encanta sorrisos da criança ao derriçar suas pétalas macias.
Perfuma ambientes nos vasos floridos das casas onde habita
E também nas matas que, vaidosas, mostram seus encantos.

É dos enamorados a razão para despertar amor ainda brotando,
Que chega devagarinho sem prenúncios de se afastar,
E se mostra bonita quando deixa seus perfumes inebriantes,
Num buquê de rosas que anunciam os amores confessados.

Prenúncio das belezas que encantam nossas vidas,
Exala perfumes suaves quando recebe dádivas das chuvas,
Que caem macias sem machucar suas pétalas exauridas,
Revigorando suas forças para mostrar todos seus encantos.

No entanto no findar de uma vida que se esvai com tristezas,
O seu palco antes generoso e que só despertava vaidades,
Encobre o cenário com pétalas tristes em últimas homenagens,
Mesmo mostrando belezas mas sem perfumes que se esvaem.

 

Jairo Valio – 23/05/2012

 

 

 

Tags: