Maria Helena de Toledo Silveira Melo: ‘Engenheiro voluntário da Revolução Constitucionalista de 1932’

22/08/2019 09:09

Maria Helena Toledo Silveira Melo

Dr. Arnaldo Maia Lello

 

Engenheiro Voluntário da Revolução Constitucionalista de 1932.

Esta cópia do Jornal O Município de 17 de julho de 1932, com o título Às Armas Indaiatubanos, foi publicada pela Fundação Pró Memória de Indaiatuba, é uma convocação aos jovens de Indaiatuba para alistarem-se no Batalhões Patrióticos da Revolução Constitucionalista, um dos que assinaram, ArnaldoMaia Lello era casado com a irmã de meu pai, Anna Maria.

Transcrição do texto:

Às Armas Indaitubanos!

Na exaltação cívica que empolga, a alma paulista, Indaiatuba não pode ficar isolada. De todos os recantos do Estado e de todas as nossas cidades, os moços já levantaram, de armas na mão, para acudirem ao apelo dos chefes deste magnifico movimento que se ergueu pela salvação dos nossos destinos de país civilizado.

São Paulo não se empenha numa luta separatista, nem tão pouco está praticando atos de rebeldia, como quer dizer o senhor Getúlio Vargas no seu manifesto. São Paulo quer, apenas, o império da Lei e a segurança do poder constituído. Estamos cansados de ser ludibriados.

Cada povo tem o governo que merece e nós não merecemos um governo ditatorial que vive protelando indefinidamente todas as suas promessas, e cuja preocupação foi sempre a de tripudiar sobre as nossas tradições de liberalismo e a de destruir toda a organização do nosso trabalho fecundo.

Quem não nasceu para escravo tem eternamente diante dos olhos, claro e deslumbrante, o fanal da liberdade, esse facho sacrossanto que arrasta consigo, na magia da sua luz feiticeira, todos aqueles que são dignos da sua terra e da sua honra.

Mocidade de Indaiatuba! Arregimentai-vos nos batalhões patrióticos! De pé, pelo vosso passado! De pé, para o vosso lar! De pé, pela vossa dignidade! De pé, para que São Paulo possa amanhã reconquistar a glória de dar a todos os brasileiros a tranquilidade e a firmeza da ordem constitucional!

O primeiro signatário acaba de receber do Sr. Dr. Francisco Morato o seguinte telegrama:

<<Movimento Constitucionalista iniciado ontem venceu integralmente, contando com o apoio e com a solidariedade das tropas federais e estaduais, milícia civil e Frente Única. Rogamos aos paulistas que estejam todos serenos e unidos aguardando as ordens do comando do Quartel General Revolucionário. Saudações. São Paulo, 11 de julho de 1932.>>

Mocidade! São Paulo conta convosco nesta arrancada pela Liberdade!

                                     Às Armas Indaiatubanos!

Dr. Arnaldo Maia Lello                            João de Paula Leite

              Dr. José Cardos da Silva                          Scylas Leite Sampaio

 

Por meio das cartas que tenho, encontrei uma em que minha tia Aninha (Anna Maria) datada de 5 de agosto de 1932, dizia que seu marido, Lello como todos o chamavam, estava no campo de batalha em Casa Grande, próximo a Mogi das Cruzes, no alto da serra em proteção a esta localidade.

Segundo consta no Livro de Euclides Figueiredo (pág.111) Mogi das Cruzes fazia parte do 2º Distrito que tinha como chefes Dr. Plinio de Queiroz e Dr. Antonio Soares Lara e como chefe Revolucionário do Município Basílio Batalha e ali atuava o 1º BCP.

Arnaldo Maia Lello foi um importante engenheiro e construtor paulista, com muitas obras realizadas em São Paulo entre as quais o Cine Teatro Paramount, Estádio do Pacaembu, na década de 30 construiu o Parque Residencial Savóia, tombado em 2009 pelo CONDEPHAAT e o Edifício Santa Elisa no Largo do Arouche entre outras obras de destaque. Em1934 participou do Concurso Público para a construção do Monumento ao Soldado Constitucionalista ficando na seleção final, onde classificaram-se Mário Ribeiro Pinto e as duplas Galileo Emendabili e Mário Eugênio Pucci, Yolando Mallozzi e Arnaldo Maria Lello.

Arnaldo e seus irmãos Arlindo, Armando e Álvaro eram sócios na Empresa Sociedade Anônima Construtora Arnaldo Maia Lello.

Arnaldo nasceu em 29 de outubro de 1904, filho de Affonso Di Lello e Francisca Amália Maia Lello, casou-se com Anna Maria de Toledo, tiveram uma filha Maria Thereza.

 

 

 

Fonte.

 

FIGUEIREDO, E. Contribuição para a História da Revolução Constitucionalista de 1932.São Paulo, Livraria Martins S.A, 1954.325p.,2 doc.,10 mapas.

ieccmemorias.wordpress.com, acesso em agosto de 2019.

iar.unicamp.br, acesso em agosto de 2019.

www.galileoemendabli.net, acesso em agosto de 2019.

maesertaneja.blogspot.com, acesso em agosto de 2019.

 

 

Editado e publicado por Maria Helena de Toledo Silveira Melo.

21/08/2019.

Tags: