Márcio Castilho: ‘Estuário’

18/02/2021 22:31

Márcio Castilho

Estuário

Quando de escafandro pulares nos mares

Revoltando as águas que se entrelaçam

Nas doces saudades que, por ti, cruzares,

Na imersa invenção onde surge a lembrança.

 

Não deixes em terra a quem amas no sono,

Emerge e não deixes que poda-te a morte;

Se faltares o ar no fundo deste sonho

Que se avance na vida a lança da sorte.

 

Se acaso deserdas quem prezas no mundo

Em troca das águas turvas da ilusão

Haverás de ser só nesse mar profundo.

 

Porém, se tu fores nato nadador,

Deixa vir à tona esse teu coração,

Volta logo em breve ao colo do amor.

 

Márcio Castilho

marciocastilho74@outlook.com

 

Tags: