Marcelo Paiva Pereira: ‘O eterno casal 20’

09/01/2019 23:05

Marcelo A. Paiva Pereira

O ETERNO ‘CASAL 20’

No ano de 1981 a Rede Globo de Televisão transmitiu um seriado trazido dos Estados Unidos da América que se chamava “Casal 20”, cujos atores principais eram Robert Wagner e Stephanie Powers, que faziam os personagens Jonathan Hardt e Jenifer Hardt, e compunham um inseparável casal que gostava de viver perigosamente…

O tempo passou, esse seriado foi embora e meus pais – José Paiva Pereira e Olímpia Appendino Pereira – retornaram para Itapetininga/SP aos 12.06.1989 e, durante anos, formaram um casal unido e inseparável, estavam sempre nos mesmos lugares e vivendo os mesmos momentos.

As pessoas que os conheciam sempre os viam lado a lado nos supermercados, no shopping center de Itapetininga/SP, restaurantes, clubes, praças e jardins… Devido ao constante companheirismo de ambos, que sempre estavam juntos, ganharam o carinhoso apelido de “Casal 20” de Itapetininga/SP.

Os anos se passaram mais depressa do que imaginamos e eles envelheceram pelo transcurso da idade, mas continuaram sempre juntos, ainda que com as dificuldades inerentes à avançada idade.

Mas, como ninguém aqui vive para sempre, minha mãe foi a primeira a ir embora desta vida para a outra, ao falecer aos 14.12.2016, no Hospital Unimed de Sorocaba/SP. O “Casal 20” de Itapetininga/SP perdia seu primeiro cônjuge…

Mesmo viúvo meu pai continuou a vida dele, porém acrescida dos gravames da avançada idade, que se acentuava. A viuvez contribuiu para acelerar esse efeito e, após lutar bravamente, faleceu aos 14.12.2018 no Hospital Unimed de Sorocaba/SP. O “Casal 20” de Itapetininga/SP perdia seu outro cônjuge…

Com muita seriedade acredito que minha mãe foi busca-lo, enquanto eu estava ao lado dele, de mãos dadas… Enquanto cochilava num intervalo de apenas 10 minutos (ou menos), ela foi até ele e o levou ao Paraíso Celestial (nesse intervalo senti o ar agitado por alguns instantes)… Subitamente acordei e observei que meu pai não mais respirava. Ele faleceu ao meu lado, de mãos dadas comigo, e foi embora ao lado da minha mãe e de mãos dadas com ela…

Com o falecimento dele, o então “Casal 20” de Itapetininga/SP se uniu novamente, acolhido pelo Criador e pelos santos e anjos celestiais.

Tenho a dizer neste período de dor e tristeza: “Querido pai, esteja sempre junto da minha mãe e com nossos parentes que também se foram!!! Desde que partiu você e minha mãe passaram a ser o eterno “Casal 20”…!!!!

Seu filho,

Marcelo A. Paiva Pereira