Lafam: ‘Calibragem, atualização e viabilização do cristianismo’

29/08/2019 20:05

Luiz Antonio Faccin Arruda Miranda

CALIBRAGEM, ATUALIZAÇÃO
E VIABILIZAÇÃO DO CRISTIANISMO!

Sempre defendemos a Idéia de que o Cristianismo pode ser encarado tanto do ponto de vista teórico, filosófico e histórico, quantoprático, ritualístico e religioso, como uma continuidade evolutiva, natural e apoteótica do Judaísmo (cujo pilar principal é o advento do Messias) ou, então, na condição de Movimento iniciático, espiritual e transcendental autônomo. Aparentemente, em termos práticos não faz muita diferença o modo como (ou o motivo pelo qual) nos conectamos a essa sagrada e maravilhosa Yoga do Amor. Entretanto, disso resultarão conseqüências profundas e substanciais tanto no plano astral, quanto no intelectual. Nós, particularmente, preferimos ver e viver o Cristianismo formando e sendo formado pela Verdade, numa experiência mística e espiritualcompletamente independente, sem, contudo, simplesmente negar ou repudiar as suas raízes socioculturais, étnicas e geográficas.

      O Cristianismo, em qualquer uma das suas apresentações religiosas organizadas, com exceção da Igreja Católica, é muito superior, mais belo e operativo do que o Judaísmo, a despeito da insistência de quase toda a Cristandade na manutenção fanatizada desse vínculo. A nossa posição não decorre do fato de os judeus não aceitarem que a grande festa, com a presença do divino convidado que tanto esperavam, já ocorreu. Tampouco pela vergonhosa postura atual de grande parte da comunidade judaica: materialista, atéia e agnóstica de um lado e, simultaneamente, colaborando, imbuída de uma sinistra inclinação suicida, com os vermelhos, esses malditos inimigos da Liberdade, da Democracia, da Propriedade, da Família, da Religião e de todos os Valores, Princípios e sustentáculos da Civilização Ocidental (a Moral, a Ética, a Ordem, o Senso Estético, etc.)! Tudo isto, por si só, mais do que justificaria a ruptura entre ambas as Tradições, ainda que enalteçamos a magnífica Literatura mitológica, historiográfica, política e profética do Velho Testamento.

      Assim, sem desejar desmerecer a Sabedoria, a beleza e a validade desse conjunto de Livros, considerando, com efeito, alguns deles maravilhosa e divinamente inspirados, dotados de valor universal e atemporal, precisamos de bastante discernimento para identificar e separar os escritos de índole, conteúdo e essência divinos, daqueles totalmente humanos, limitados e estéreis. As Leis Cósmicas têm procedência divina; as doutrinas e os dogmas, humana. Quanto ao esplêndido Livro de Gênesis, por exemplo, parece-nos absurdo não entendê-lo senão como uma alegoria didática, que se vale de Linguagem poética e metafórica, na descrição de Seres, fenômenos e processos que estão muito além das nossas capacidades de Percepção, investigação, suposição e expressão.Não é porque a Verdade extrapola os limites da Lógica, da Razão e da verossimilhança, que renunciaremos a essas ferramentas cognitivas antes mesmo de alcançarmos as plataformas e rampas de auto-lançamento rumo ao Absoluto – que se encontra além, nunca aquém, da Mente – do Aqui e Agora.

      Esta primeira parte do Pentateuco revela-se de uma beleza, profundidade e grandeza singulares… desde que, claro, entendida de forma coerente. Desconhecemos as correlações e as fronteiras espirituais exatas existentes entre a deficiência intelectual e ainsanidade psíquica, particularmente no caso de gente que interpreta a estória bíblica da formação da Terra e da Vida,literalmente. Se não é possível sequer imaginarmos as dimensões do amado Senhor Deus, para Quem o Universo, infinito, inefável e incognoscível (para nós), é um nada, imagine achar que Ele realmente tenha apanhado um bocado de argila do chão, moldado um bonequinho à Sua imagem e semelhança, insuflando-lhe, a seguir, Vida pelas narinas. Ora, muitos Antropólogos concordam que as fantasias de Fábulas e Mitos podem ser mais fiéis à representação da Verdade ou de uma Realidade humana, individual ou social, presente ou pretérita, do que a descrição pretensamente técnica (religiosa, científica, jornalística, histórica, etc.). Ademais, a ansiedade gerada pela pretensão de registrar um conjunto de crenças, episódios ou testemunhos, com o máximo de precisão, neutralidade e abrangência, fatalmente ensejará ciladas conceituais, formais e semânticas, descaracterizando-o.

      A Liberdade Poética e o seu descomprometimento com os padrões rígidos da linguística, da formulação lógica e da análise crítica (filosófica, científica, jurídica e outras), acrescida da possibilidade de devaneios e arroubos emocionais e artísticos,asseguram a ascensão das Almas mais sensíveis a elevados patamares etéreos. A propósito das façanhas relativas à preparação, organização e fuga do estado de escravidão, no Egito, podemos considerar o seguinte: tecnicamente, tudo é possível ao adorado Senhor Deus! Qualquer coisa, mesmo! “O que é impossível para os homens é possível para Deus.” (Lucas 18: 27) “E Jesus lhes disse: (…) porque em verdade vos digo que se tiverdes fé do tamanho de um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e há de passar; e nada vos será impossível.” (Mateus 17: 20) Agora, se o rio Nilo se ensangüentou, se vieram milhões deGafanhotos devorarem as colheitas, se recém-nascidos foram assassinados, bem como se o Mar Vermelho se abriu deveras, cada um de nós pode aceitar e acreditar no que quiser.

      Isto se aplica também à longa, extenuante e desalentadora jornada de quarenta anos no Deserto, caminhando-se penosamente em círculos, mas sob a sombra benfazeja e refrescante de uma grande Nuvem, durante o dia; uma Labareda para aquecer e iluminar as noites, e o farto derramamento de Maná, exceto aos Sábados, evidentementeDizem que cada pessoa sentia o sabor dos alimentos que mais apreciava no Pão feito com essa massa. Inúmeros, incríveis e maravilhosos são os Mistérios do Senhor! Acontecem muitas coisas que permanecerão sem explicação. Você acreditará somente no que a sua Consciência aceitar! Reiteramos que todos esses episódios podem ter acontecido de fato. Devemos levar em conta que signos, símbolos e alegorias se prestam perfeitamente a traduzir Idéias, Leis ou Emoções. Possuindo, muitas vezes, a leitura equivalente a COMO SE, nada obsta a Verdade de vicejar, florescer e libertar o coração e a Mente. Milagres, intervenções divinas diretas ou indiretas, através de manifestações geológicas, ecológicas, meteorológicas, astronômicas e quaisquer outras, sempre resplandecerão a Beleza, a Perfeição e a Sapiência do amado Senhor Deus.

 

    Apreciamos citar o magnífico e esplêndido Livro de Jó, como outro exemplo de que se pode (e deve) obter os mais belos, tocantes e engrandecedores Aprendizados, oriundos de uma Fonte sagrada, desde que se valha de uma perspectiva adequada e sensata. Não existe a menor possibilidade de considerarmos o drama do pobre homem rico, como um acontecimento verídico. Em primeiro lugar, não teria como sabermos sobre os eventos iniciais, ocorridos nos Céus. Curiosamente, as traduções bíblicas utilizadas pela Igreja Católica,procuram mostrar o nefasto Inimigo como um sujeito simpático, falastrão e folgazão, que fica passeando pelo nosso Planeta,descontraidamente, só observando as coisas. Depois que o Senhor Jó perde toda a sua riqueza material, filhos e Saúde, é afrontado e abandonado pela esposa e tripudiado pelos falsos amigos. Posteriormente, o Senhor Deus Se dá por satisfeito e restitui ao seu servo o patrimônio, ampliado inclusive arrumando-lhe uma nova mulher e outros filhos. Dinheiro, metais e pedras preciosas, terras e talvez atéAnimais, que não sejam de estimação, podem ser substituídos, mas pessoas? Cada indivíduo, para o melhor e para o pior, é único.

      Agora, se formos dotados da grandeza, inteligência e maturidade para entendermos este sagrado Livro na sua verdadeira e maravilhosa condição, ou seja, como uma fábula, que representa a Palavra do Senhor Deus e a Sua Infinita Sabedoria, poderemos tirar muito melhor proveito da Lição. Já no início percebemos que a conversa entre o Senhor Deus e o babaca do Diabo mostra muito da nossa essência humana, com o potencial de Luz e trevas. Assim, o jeito desdenhoso com que o outro se refere a Jó, alegando que é compreensível e conveniente a sua devoção, pois desfruta de tudo o quê há de melhor na Vida, remete-nos a nós próprios, ao sentirmos inveja. Sem querer, agimos identicamente. O invejoso lamenta o sucesso, a animação e o bem-estar do justo, comprazendo-se quando a este advêm desgraças, infortúnios e outros dissabores. Quem nunca se embeveceu, numa roda de colegas, de ser o primeiro a trazer más notícias sobre algum conhecido ou anunciar qualquer desastre ou tragédia pública? O Tempo inteiro, na Bíblia, vemos o maldito Satanás atuando por meio de suas duas filhas mais amadas: a vaidade e a inveja. Caim matou Abel, por puro despeito. Pilatossabia que o amado Senhor Jesus era inocente e lhe fora entregue por inveja dos Príncipes do Sinédrio. A inveja não é só uma admiração mais radical, como grandiosamente sentenciou o maior Escritor brasileiro e um dos mais proeminentes do Mundo, o carioca, Senhor Joaquim Maria Machado de Assis (1839 – 1908).

      Ela é também o atestado de indolência, mediocridade e infâmia. Poucos imaginam os sacrifícios, os esforços e, muitas vezes, as misérias, que o objeto da sua cupidez e mendacidade enfrenta. Aprendemos demais a cada passagem desta Obra bíblica. Entramos naVida sem nada e de igual maneira sairemos. E, mesmo no breve interregno de uma dada encarnação, dispomos da posse dos nossos bens, não de uma propriedade absoluta. Naturalmente, isto até pressupõe que podemos dispor como bem entendermos daquilo que está sob nossos cuidados. As demais pessoas estão excluídas dessa relação e devem respeitá-la. Afinal de contas, a civilização, o progresso e o crescimento são possíveis somente onde existe o Império da Lei, da Ordem e da Liberdade, que por sua vez depende da Propriedade Privada, seja de objetos pessoais a grandes fortunas. No Novo e no Velho Testamento, deparamos com a exortação ao altruísmo e à caridade que o ser humano, individualmente, deve praticar. Nunca, o Estado!

      Então, muita gente se sente insegura com tais indagações, armando-se de pesadas defesas. Precisa acreditar que todos os fatos, odisséias e aventuras narrados foram reais. Mas seja como for, que diferença faz? Opiniões, discussões e especulações não aproximam ninguém do Reino dos Céus, sobretudo porque este não se refere a nenhum lugar aonde se vai e chega, mas sim a um estado que brota singela, discreta e sutilmente no íntimo de cada um que seja e aja como criança crística. Muitos se atêm a detalhes, formalidades e superficialidades e, desse modo, comportam-se como quem foi convidado para as ceias de bodas do seu Rei e antes de se dirigirem ao palácio, fartaram-se de comer, sujaram as vestes e se embriagaram. O Cristianismo é tão maravilhoso que absolutamente representa muito mais do que uma Religião ou Filosofia de Vida, apesar de se prestar a essas e muitas outras funções. Inúmeros Mestres, Gurus e Pensadores, como o brilhante e iluminado Escritor, Filósofo, Orador e Educador indiano, Senhor Jidu Krishnamurti (1895  1986), posicionaram-se contra toda e qualquer espécie de Instituição, Escola, Ordem ou organização, compreensível e justificadamente.

    O Cristianismo, no entanto, transcende as limitações, as distorções e as contaminações tanto dos estabelecimentos, quanto do Pensamento!        Até mesmo onde se industrializa e comercializa a Fé! As Idéias, enquanto substrato de Pensamentos e Afetos humanos, representam e codificam Informações e o próprio Mundo fenomênico, através do Conhecimento e das Experiências.Identicamente, erigem outro Mundo muito semelhante ao original e, como este, constituído de elementos reais e ilusórios. Grande parte dos problemas, provações e desordens que enfrentamos é gerada pela nossa própria Mente, sobretudo em consequência da sua natureza rígida, linear e indisciplinada. Ela tira conclusões precipitadas com base em deduções primárias e arbitrárias, completa lacunas com o que lhe parece certo, justifica os próprios erros, defeitos e vícios. Inventa virtudes para aplacar medos, dúvidas e culpas, mas no fim, apenas os aumenta. Naturalmente que a Mente possui também os seus méritos e valor, todavia precisa ser treinada, purificada e iluminada. Não é na adoção de desejos, metas,  métodos e rótulos que se extrairá o melhor do seu potencial.

      Muitos são aqueles que se enganam, supondo que apenas porque almejam crescer, despertar e se libertar, já dispõem de umaestatura moral, intelectual e anímica superior. O Diabo se diverte sobremaneira com os tolos santarrões que crêem ter chegado lá – um lugar que não existe! Nenhum Espaço é real, afinal se é função da Matéria, como será onde esta não existir? E o Tempo, será ficção ou Realidade, relativo ou absoluto? Na Verdade, um dos melhores e maiores lances do Caminho é não responder a indagações, nem sequer formulá-las. Há impreterivelmente várias pegadinhas armadas à nossa frente, preparadas com muita astúcia. E são tantas as tentações que fatalmente cairemos nelas. Somos constantemente atraídos por estímulos sensoriais e elaborações cognitivas. Então, o amado Senhor Jesus surgiu com todo o Seu brilho, Amor e beleza para nos guiar numa Senda espetacular, que não nega nem foge dos Mundos, concretos ou abstratos, muito menos incentiva apego ou aversão. Simplesmente nos ensina a bem-aventurança da moderação e da temperança! É admirável como o ser humano tem tentado deturpar os Seus Ensinamentos, embora sempre fracasse. Entrementes, quantas guerras, duelos, crueldades e acossamentos ao longo da História, praticados em Seu santo Nome.

      Até odiosas teorias e apologias de revoluções marxistas, truculentas, materialistas e genocidas, tentaram associar às Suas doutrinas! Acontece que não somente o Amor é o âmago do Seu divino Ministério, como configura a Sua bendita natureza. Trata-se de uma bênção, uma dádiva, um Mistério magnífico, inefável e divino. Podemos esboçar uma pálida, esquálida e sofrível noção de tudo aquilo que Ele foi capaz de sentir e viver pelo Senhor Deus, pelo Universo, pela Terra e por nós. Se tal Sentimento já está naturalmente além de qualquer definição e comparação, imagine no caso específico do amado Senhor Jesus, que Se deu inteira e incondicionalmente pela humanidade, não como uma mera abstração com que se dopam os pseudo-reformadores, demagogos e líderes“revolucionários” de qualquer tipo, porém, com infinita ternura. Em que pesem as limitações de testemunhos, textos escritos, traduções e das tentativas de obter vantagens financeiras, institucionais e políticas, a Verdade nunca será aprisionada. O Amor do Senhor Jesustransborda abundantemente do Cálice do Seu venerável Ser, inebriando-O e aos que tiveram o privilégio de conviver com Ele.

      A boa notícia é que hoje, e sempre, podemos desfrutar da Sua Presença! E os livramentos, as curas e as bênçãos relatados nos Evangelhos, são perfeitamente compatíveis com Milagres semelhantes que ocorrem, hoje em dia, nos mais diversos lugares da Terra,fartamente testemunhados. Nós próprios fomos mais de uma vez agraciados com intervenções sobrenaturais. Aliás, qualquer pessoa que fizer uma análise sincera, isenta e imparcial da sua Vida, sem o filtro de preconceitos, egoidade e irreverência, com certeza encontrará situações em que nada poderia ter se resolvido por acaso. É curioso assistir a documentários sobre sobreviventes, que sofreram catástrofes, acidentes, naufrágios ou que se perderam em ambientes selváticos, ermos e hostis, sem armas, equipamentos, suprimentos e quaisquer outros recursos… Diversos deles atribuem o improvável resgate, com que foram abençoados, à sorte! Quase ninguém cogita que a salvação veio do Senhor Deus ou do Senhor Jesus! Nem agradecem. A ignorância e a ingratidão se entrelaçam, voluptuosa e morbidamente, com sofreguidão, numa cópula nauseante, sob a direção da mídia corrompida, vermelha e desencaminhadora.

 

    Os meios de Comunicação de massa, a formação educacional associada à desinformação, a deformação da História e a subversão de Valores e Princípios, e o incentivo a péssimos hábitos, costumes e modismos, tudo isto transforma cada vez mais o homem-divino em besta-humana. Você adestrar, acintosamente, um Chimpanzé e vesti-lo com fraque, cartola, calça e polainas, não o tornará mais humano, inteligente e sensível. Entrementes, conforme pais e mães alienados, indolentes intelectualmente, manipulados por um enorme somatório de elementos, deseducam os seus filhos, alimentando a sua “mimizice”, privando-os de repastos espirituais, religiosos, éticos e morais, contribuem efetivamente para a degradação da humanidade a níveis cada vez mais grosseiros, animalescos e sofríveis de Primatas! Ou piores… Além do cultivo de se idolatrar execráveis anti-heróis, todos ficam envergonhados por serem decentes, honestos e transparentes. Professar uma Fé, é reputado como algo ultrapassado, careta e humilhante. Os próprios progenitores não se sentem seguros de sustentar o que aprenderam, acreditaram e viveram. Temem a rejeição, o escárnio e a hostilidade dos outros…

      O que seria o Amor paterno, converte-se numa mera expectativa de resultados, nem se sabe de quê, e os Afetos da mãe tornam-se uma conveniente condescendência à mediocridade… Exaltam-se instintos há muito sublimados, induzindo a Libido à fixação ou regressão (usando termos psicanalíticos), impondo praticamente o incesto, a promiscuidade, o homossexualismo artificial e secundário, os fetiches e a obsessão sexual, acentuadamente as chamadas perversões. Os marxistas culturais vão minando as estruturas da Família e da sociedade, propagando o vazio existencial, a Depressão, a apatia e a inércia. Esses montes de lixo psíquico e social, dependência química, fanatismo e belicismo esportivo, egoísmo exacerbado, corrupção política e violência criminal, são o terreno fértil onde as piores Profecias bíblicas e as mais asquerosas e vergonhosas metas dos “Senhores do Mundo” e seus sujos asseclas comunistas, semeiam os sórdidos Reinos do Obscurantismo e Terror. Um Mundo de confusões, medos e inseguranças. O Circo do Horror se mostra real até onde pode sê-lo, dentro de Sansara. Conflitos armados, revoluções, cataclismos, desastres, eles se valem de qualquer meio para prostrar, abater, entristecer e acorrentar os povos. Homens, mulheres, crianças, idosos, humilhados, desesperados e enlouquecidos! Será o Apocalipse?

    O Cristianismo pode causar equivocadamente a enganosa impressão de ser uma Religião opressiva, em que nada tem graça e tudo é proibido. Nada mais longe da Realidade. O amado Senhor Jesus sempre se mostrou  tremendamente afável, atencioso e carinhoso. Onde quer que Ele se encontre, o local fica repleto de alegria, boa vontade e entusiasmo. Interessa-se pelas nossas coisas, importa-se com os nossos Sentimentos, a nossa versão dos acontecimentos. Ri o nosso riso, chora as nossas lágrimas. Se pudesse, interviria mais em nossa Vida, mas tal qual o Senhor Deus, acata acima de tudo o livre-arbítrio, as nossas escolhas e o desenrolar dos acontecimentos que tenhamos desencadeado. Por ser humano, Ele compreende perfeitamente os nossos desejos, as nossas tendências, as nossas aflições e angústias. Por ser divino, tem misericórdia, força e poder para nos proteger e orientar.Verdadeiramente, o Evangelho não significa somente as boas novas. É muito mais do que qualquer coisa e pode ser aplicado a qualquertipo de Realidade e Personalidade. É um modo de ser, fazer, perceber e sentir bastante complexo, em decorrência de sua extrema simplicidade.

      O venerável Senhor Jesus jamais alimentou a pretensão de estabelecer uma Religião, uma doutrina ou qualquer construto burocrático. Podemos depreender facilmente, em diversas passagens, o quanto era avesso a formalidades, hipocrisia e pedantismo. Em termos atuais, atuou como um “outsider”! Respeitou as Instituições, os protocolos, os cargos e postos, as convenções, enfim, a Lei e a Ordem, porém, perfeitamente consciente de ser maior e estar além de tudo! Imagine o esforço, a paciência e o sacrifício de nos aturar e fazer com que entendêssemos as suas preleções! Parece que é da natureza humana não querer ouvir os outros, experimentar certa indisposição e antagonismo contra quem está certo numa discussão ou nos repreende. Provavelmente o Seu martírio teve início muito antes do Calvário! O Seu maior sonho e, ao mesmo Tempo, a Chave para a nossa Libertação, sempre foi o Amor! Que todos se amem! Compreenderíamos tudo e tomaríamos posse do Universo, simplesmente cultivando isto. Como fazê-lo? Bastaria fundar umaIgreja, ler e decorar as Escrituras, posar de Santo?

 

    Como traduzir tal Energia Emocional que aproxima as pessoas, comove-as a ponto de suscitar um desejo fraterno, paterno e materno de proteger, acalentar, alimentar e festejar a todos? O Amor, seja qual for o seu objeto, medida e intensidade, ilumina e colore o que já é fulgurante por excelência. Não pode se ater a formas, fórmulas e protocolos. Apenas em seu estado mais puro e reluzente, possibilita ao homem negar a si e se oferecer ao holocausto, substituindo o Animal ofertado. O Senhor Jesus deu a Sua Vida, a sua incolumidade e o seu bem-estar por aquelas Ovelhas tolas, birrentas e inquietas. Você pode ter toda a certeza do Mundo que o maior, mais importante e talvez único desejo dEle, é que todas as pessoas se amem. Isto não tem nada a ver com qualquer egocentrismo ou megalomania, muito menos com táticas cínicas, covardes, inescrupulosas e ignominiosas da “esquerdalha”O maior objetivo do amado Senhor Jesus, é ver um Mundo belo, fraterno e iluminado, sem nutrir qualquer anseio de ser bajulado, mistificado ou entronado!

      Acreditamos pia, sincera e profundamente que Ele preferia ser, estar e andar quase despercebido, anônimo, entre multidões de irmãos, Filhos do Senhor Deus, que fariam coisas ainda maiores, do que ser citado, aclamado e enaltecido por Almas obscuras e Corações estéreis, maus e invejosos, em Templos repletos de hipócritas! Quando se ama a todos, espera-se decerto que todos se amem também, dando-se bem. Afinal, é maravilhoso detectar um ponto ou aspecto de beleza, manifesta ou potencial, em quem quer que seja. Praticamente todos os seres humanos, principalmente quando despidos de Ilusões, fantasias e argolas mentais, são belos, interessantes e atraentes. Existem Distúrbios que dificultam essa divina revelação e manifestação, como as Psicoses e, principalmente,o Transtorno de Personalidade “Esquerdóide” (com os seus três “Ms”: Mentiras, Misérias e Maldades). Mas, segundo Pesquisadores de Neurociência e Religiosos mais otimistas, até os vermelhos inveterados têm alguma possibilidade de recuperação, pois essa Doençaé uma deformação adquirida, não constitucional, mais moral do que neurológica, mais astral do que psicológica.

E, como muito bem demonstrou o grande e brilhante dissidente Psicanalista, o Escritor e Psiquiatra vienense, Dr. Wilhelm Stekel(1868 – 1940), as Doenças Mentais, sobretudo as de cunho afetivo e sexual, as Parafilias, parecem possuir a Inteligência sobrenatural dos Tumores, assemelhando-se a Alienígenas, pois lutam árdua, astuciosa e diligentemente pela própria preservação. Fazem ligações vasculares clandestinas. Multiplicam-se ilegalmente. Seja como for, quando todos amam e respeitam a todos, tudo fica mais jubiloso, luminoso e encantador. A maior parte dos problemas, deficiências e desarranjos pessoais e coletivos são meio que automaticamente sanados. Afinal, toda a verdadeira e eficiente Terapia é mística, espiritual e iniciaticamente ritualística, bem como cada Ritual é, na medida do seu verdadeiro valor e eficiência, iniciática, espiritual e misticamente terapêutico. Ambas as práticas possuem entre si uma relação nexo-causal, paralelos e correspondências. Uma coisa está ligada à outra e se alimentam e influenciam mutuamente. O adorável Senhor Jesus não veio apenas para nos ensinar o Caminho, a Verdade e a Vida (João 14: 6),tornar o nosso fardo leve com um jugo suave (Mateus 11: 30), curar as nossas Doenças físicas e mentais, aliviar as nossas tensões, traumas e temores. Sim, tudo isto Ele o faz e fartamente.

      Porém, uma Missão que poucas pessoas parecem se dar conta e que se reveste de Valor infinito, é a elaboração de um canal direto e um  dimensionamento entre o absoluto, infinito e enigmático Senhor Deus e a microscópica humanidade! O amado Senhor Deus tornou-se homem para experimentar, sentir e conhecer a humanidade, assim como o homem deve se divinizar para conhecer, sentir e experimentar a sua verdadeira essência! O infinitamente grande termina e começa no infinitamente pequeno. Não importa no quê se possa crer, sentir, pensar e buscar, o Destino humano é ser santo e estar no Éden! E o pior pecado dos satanistas, em todas as suas apresentações, principalmente como estalinistas e comunistas, é afastar o ser humano comum da busca deste Caminho,acorrentando-o ao Mundo das Ilusões, do orgulho, do gozo sensorial, da raiva, do medo e da inveja. Quando a humanidade se aproxima da derradeira fronteira, que separa o Eterno do transitório, o falso do verdadeiro, o relativo do Absoluto, as hordas infernais se apavoram e entram em polvorosa.

      Os adeptos do mal, das trevas e das “revoluções” são perdedores por excelência e já nasceram derrotados, no entanto obsessivamente se comprazem em atrasar e atrapalhar os eleitos, aumentar a sua carga, os seus tributos, atribulações e sacrifícios, fazer com que saiam da estrada segura, pavimentada, bem sinalizada, iluminada e protegida por valorosos Policiais Rodoviários. A noite chegará para todos, mas as Virgens prudentes não passarão nenhuma penúria. Sempre nos perguntamos o quê aconteceria se Pilatos, Herodes, os judeus e os romanos tivessem aceitado o amado Senhor Jesus e se convertido dos seus maus Caminhos? Muita gente sustenta que isto nunca poderia acontecer, pois o Cordeiro santo necessariamente tinha que sofrer as dores mais atrozes, apanhar, levar chibatadas, humilhações, fome, sede, todas as agonias possíveis… Será mesmo? Só porque estava escrito, não poderia ter acontecido diferente? Muitos formalistas, sádicos e fariseus não aceitariam que tudo mudasse na última hora. Todavia, se o Senhor Jesus tivesse sido poupado, que glória! O Rei dos Reis veio para pagar pelos nossos erros, dívidas, crimes e pecados, mas a Históriapoderia ser outra, oh, sim, sem dúvida!

      A “doutrina do pecado original” nos parece uma besteira, uma infâmia e até uma blasfêmia sem tamanho. O ser humano foi formado num momento de êxtase, criatividade e prazer cósmicos sem igual, não para sofrer quedas, amnésias e prevaricações. E em Nome da Verdade, muitos enganos têm sido perpetrados. Não nos referimos aqui ao modo por vezes displicente e inconseqüente, com que alguns de nossos amados irmãos Evangélicos se referem ao Pai, como se Ele fosse um Gênio da garrafa, esperando para satisfazer aos nossos caprichos, necessidades e anseios. Ou, eventualmente, tratam o sagrado, divino e santo Sangue do Seu Filhocomo  algum tipo de sabão em pó, amaciante ou sais de banho. Toda reverência, contrição e humildade é pouca. O Sangue do Messiastem poder, absolutamente, tanto para salvar, curar quanto para proteger, portanto, merece um tratamento muito cerimonioso. E o quê significa, para os Católicos, a eucaristia, ou seja, o pão virar a carne e o sangue, vinho, além de canibalismo? É imprescindível muita prudência ao se estudar e, mais ainda, aderir a correntes ecleseásticas, científicas, artísticas, filosóficas, esotéricas, políticas e outras, pois tanto estas quanto os seus criadores, apologistas e divulgadores, têm sempre pontos ambíguos, perigosos e obscuros…

      Exceção cabe ao mais puro e autêntico Cristianismo. E não estamos aqui nos referindo a muitos embusteiros que, movidos por boa vontade ou finalidade meramente financeira, escreveram sobre o Cristo ou as Religiões derivadas dEle. Um exemplo, em meio a tantos, é a obra O GÊNIO DO CRISTIANISMO, do Escritor, Ensaísta, Diplomata e Político francês, François-René de Chateaubriand (1768 – 1848), que é chata, cansativa, vazia e pedante, cujo único mérito foi o de se opor aos pulhas e assassinos bestiais“revolucionários” de então!  Podemos citar como exemplo brasileiro, o Psicanalista, Professor, Escritor e Psiquiatra paulista, Augusto Cury (1958 – …). Ele se apresenta como criador da “teoria da Inteligência Multifocal”, cujos pobres e parcos pressupostos estranhamente lembram o conceito de Inteligência Emocional do genial Jornalista e Divulgador Científico americano, Daniel Goleman(1946 – …). Os livros do Dr. Cury oferecem uma hipótese de trabalho até interessante, contudo, à medida que o gás do Autor fenece, começam as irritantes “encheções de linguiça”, repetições e voltas dentro de voltas. Ele vende bem e decerto ganha muito dinheiro. Aliás, muitas pessoas e organizações faturam mais do que os cassinos de Las Vegas, valendo-se do Nome do amado Senhor Jesus e do medo das pessoas de serem condenadas ao Inferno!

 

    Ideológica e politicamente, também diversos patifes tentam enganar se possível até os escolhidos. Nada é mais profunda, repugnante e diabolicamente falso do que associar o Santo de Nazaré às teorias e práticas totalitárias do marxismo ou quaisquer outras porcarias esquerdistas. Em Atos 820, lemos: “Mas disse-lhe Pedro: o teu dinheiro seja contigo para perdição, pois cuidaste que o dom de Deus se alcança por dinheiro!” Isto não significa que aos ricos, bem-sucedidos e trabalhadores o Reino dos Céus esteja interditado, mas se refere à Ilusão, que também pode acometer a pobres, de que com bens materiais se obtém o ingresso ao Paraíso. Tem muita gente que, como se dizia, não tem onde cair morta, no entanto é muito mais apegada às posses e bens que não possui, além de padecer de uma inveja dilacerante daqueles que possuem grande patrimônio. Quando de Mateus 19: 16 em diante, um moço questiona ao lindo Senhor Jesus o que deve fazer para ser salvo, devemos levar em consideração que os exuberantes Evangelhospossuem a sua limitação natural, como todo texto escrito que não seja um roteiro de Cinema ou Peça de Teatro.

      As entonações, expressões faciais e corporais, nada disso está registrado e, assim, a interpretação pode sofrer deformações. Tudo o que o divino Senhor Jesus dizia que deveria ser praticado, o rapaz retorquia que já fizera. Deveria se tratar de alguém boçal, metido e que se achava particularmente abençoado. Dizem que um candidato a Monge foi à entrevista de admissão. Enquanto o Mestreservia chá, o novato começou a falar de si, de tudo o que já sabia, estudara e aprendera. O Guru deixou a xícara se encher e transbordar, provocando susto e estranheza no outro. Então, explicou: “Como posso ensinar qualquer coisa a quem já está cheio (de si) e acha que sabe tudo?” Quando o brilhante Senhor Jesus retorquiu que só faltava, então, o moço vender tudo o que tinha e repartir com os pobres, não estaria sendo irônico ou testando-o? “Ah, você é muito bom, sabe tudo, já fez o dever de casa, então renuncie a tudo.” Oh, não, assim também não, pensou o pateta, retirando-se tristemente. Tal perspectiva nos parece válida, pois o amado Senhor Jesus nunca mandou ninguém ficar na miséria. Que vantagem haveria no Mundo com  mendigos a mais e ricos a menos?

    Repetiremos sempre que o Cristianismo não tem nada a ver com conceitos, teorias, crendices e pirações de qualquer sistema social-democrático, nacional-socialista, socialista, comunista ou qualquer aberração socioeconômica, política e cultural baseada na intervenção do Estado, na planificação da Economia, no terrorismo e na intimidação, na desinformação jornalística, educacional e artística, na decadência de Princípios e Valores morais, éticos e religiosos, no solapamento da Família. Uma sociedade sem classes sociais é uma monstruosidade que não existe na prática: ao se nivelar todas as pessoas e grupos, acaba-se criando a casta corrupta, opressora e imbecil que irá gerir esse corpo acéfalo. Assim que as finanças, a produção e a distribuição de gêneros de todas as necessidades colapsem, surge ainda um novo estrato que, oficialmente, também “não existe”: os traficantes do mercado negro ou paralelo!

      Com a eliminação da Livre Iniciativa e da Propriedade Privada, promove-se a humilhação, a aniquilação moral e os direitos de sonhar, não somente de Empresários, industriais, comerciantes e outros, mas principalmente dos mais humildes e pobres. Se você entrar num veículo coletivo, no horário de pico, encontrará muitas pessoas que trabalham, estudam e almejam melhorar a Vida,prosperar, conquistar a casa própria, um automóvel e coisas assim. Não é fácil e ninguém prometeu o contrário. É ralar muito, levantar cedo, dormir pouco, nem sempre almoçar direito, abrir mão de passeios durante um Tempo, economizar. Não é pra qualquer um. Mas atinge-se os objetivos. Agora, numa droga de regime socialista, depois de os burocratas terem vampirizado a não mais poder os setores produtivos, com tributações confiscatórias, estatizações, nacionalizações, expropriações e demais usurpações, se você não fizer parte da elite dirigente, o sonho torna-se o pesadelo que sempre foi: trabalho-forçado, tédio, pobreza, mesmice, censura e controle absoluto de tudo, para sempre!

      As diretrizes da ignóbil Nova Esquerda, outra manobra recente dos responsáveis pela Nova Ordem Mundial, como algunsbanqueiros internacionais, a mídia nacional e mundial, mega-Empresários, Militares criminosos e comunistas, setores da Igreja Católica e Sindicatos, estão sendo implantadas há muitos anos em nossos lares, Instituições e Governos. Eles vêm tentando se infiltrar nas demais Igrejas Cristãs, contudo, sabemos que os seus dias estão contados. As sublimes Leis Cósmicas não serão restringidas, adulteradas e estropiadas por ninguém ou qualquer grupo. Tampouco pelas próprias sagradas Escrituras. Há um Exército de Anjos do amado Senhor Deus, de prontidão. Aproxima-se o Tempo em que os justos, os santos e os iluminados nunca mais serão martirizados, encarcerados e vilipendiados! Abraços e beijos, amada galera! A Paz do amado Senhor Jesus!

  1. Lafam.

 

 

 

Ago./2019