Lafam: 1º SERMÃO DO IRMÃO

03/11/2019 11:03

Luiz Antonio Faccin Arruda Miranda

1º SERMÃO DO IRMÃO L. LAFAM:

TODO HOMEM TEM O SEU PREÇO? TEM!

 

1º SERMÃO DO IRMÃO L. LAFAM:

                    TODO HOMEM TEM O SEU PREÇO? TEM!

 

 

 

Amados irmãos e irmãs, saudações em Nome do nosso amado Senhor Jesus Cristo! Estamos iniciando uma fase substancialmente nova em nossos escritos, tanto com relação à forma quanto ao conteúdo. Quase todos sabem que tudo, num certo sentido, tem a ver com tudo! A despeito da suposta obviedade de tal assertiva, as transformações pelas quais passamos ao longo da Vida repercutem em todas as estruturas (aceitando a multiplicidade delas) do nosso Ser, como Percepção, Entendimento, Crenças e outras. Tudo sempre evolui. Então, cada um de nós basicamente se auto-aprimora e busca se dedicar ao que considera o seu objetivo de Vida.

     Parece bastante evidente que se aquilo que você sente como chamado, revelação ou até missão, realmente estiver em harmonia com os desígnios do maravilhoso Senhor Deus, então o Universo conspirará para auxiliá-lo. “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.” (Romanos 8: 28) “Assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos membros uns dos outros. De modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada, se é profecia, seja ela segundo a medida da fé; se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino; ou o que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com cuidado; o que exercita misericórdia, com alegria.” (Romanos 12: 5-8).

Eis-nos aqui, amada galera, com uma proposta de trabalho bem diferente. Além das mudanças no tamanho e estilo dos textos, ainda temos a intenção de apresentar a vocês, amigos e irmãos (nossa verdadeira Família internética e espiritual), a IGREJA DOS CRISTÃOS LIVRES. Durante muito Tempo aguardamos que surgissem condições materiais, financeiras ou qualquer tipo de apoio ou patrocínio para a fundação dessa denominação. Então, compreendemos que ela não precisa de um Corpo físico, como lugar, sede, prédio ou Templo, embora nada obste que isto ocorra algum dia. De qualquer forma, a Idéia inicial é que constitua uma organização alegórica – mental e astral. Se as coisas correrem bem e mais gente se interessar de fato pelo que apresentaremos, pode-se cogitar reuniões na casa de adeptos ou simpatizantes, as chamadas células. Mesmo porquê, nesta forma de apresentação doméstica  haverá certa garantia de incolumidade, pureza e fidelidade aos Princípios que ensejaram a sua gênese.

Ademais, sendo um movimento bastante informal, espontâneo e até mesmo abstrato, não poderá ser invadido ou manipulado por seres inescrupulosos, oportunistas e gananciosos. Nem demandará despesas e custos a ninguém. Individualmente ou em pequenos e descompromissados grupos, seremos responsáveis por nós próprios e aqueles com quem trocamos afeto, afinidade e, se for o caso, ajuda. Afinal, ocorre com bastante frequência que ao se materializarem, muitas propostas se descaracterizam. Entretanto, cremos ser sumamente importante frisar que não existe a pretensão de suplantar ou concorrer com nenhuma Religião, mormente as Cristãs. Todas elas, não importa a sua origem, estilo e até finalidade, têm a sua importância, o seu valor e merecem toda a consideração, tanto por si mesmas, quanto pelo que diz respeito ao sagrado de cada um. Não ambicionamos tampouco atrair membros e adeptos de outras Filosofias, Fraternidades e Movimentos, embora todos sejam bem-vindos. A nossa primeira intenção é, simplesmente, chamar a atenção para pontos e aspectos passíveis de uma análise mais percuciente, sem maiores polêmicas (nem sempre, porém, evitáveis), acrescentando, ainda que minimamente, algo às mais diversas crenças, Idéias e pontos de vista. Afinal, cremos que frente a muitos dilemas não precisamos, necessariamente, escolher entre uma alternativa e outra. Não viemos para dividir ou subtrair, e, sim, muito pelo contrário, somar e multiplicar.

Qual de nós terá a pretensão de possuir a única, exclusiva e perfeita Chave da Verdade? O Espírito de qualquer Escritura Sagrada não pode jamais ser diminuído, adulterado ou obscurecido por doutrinas, dogmas ou opiniões pessoais! As Leis pertencem ao majestoso Senhor Deus; a exegese, os preconceitos e as estereotipias são de inteira responsabilidade humana!

A Verdade é absoluta, portanto, inefável, ilimitada e amorfa. É linda, maravilhosa, fragrante e exuberante como a Flor ou o Amor. Configura terrível sacrilégio confiná-la a conceitos, classes ou nomenclaturas. Claro, isto não obsta de refletirmos sobre ela, os significados e as interpretações desenvolvidos por homens e mulheres estudiosos, pregadores e oradores abençoados! Ninguém, no entanto, minimamente lúcido, pretenderá apreendê-la. A Verdade existe e é uma só, eternamente! A nossa relação com ela consta de nos purificarmos o suficiente para, tão-somente então, lançarmo-nos, corajosa e audazmente, ao seu infinito Abismo. Fatalmente, morreremos neste ritual de oferecimento e sacrifício… Entrementes, já que é o Destino de todo o ser vivo fenecer, passar pela transição, por que não fazê-lo de forma sublime e gloriosa, esmagados pelas divinas Irradiações do amado Senhor Deus? E, na sequência, surpresa: a Vida que não tem início, nem final, continua, nunca acaba! “Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá; e quem vive e crê em mim, não morrerá eternamente. (…) (João 11: 25-27)

     Antes de adentrarmos no tema específico do presente sermão, e também para não fugirmos completamente do nosso estilo, desejamos tecer algumas considerações de ordem mais genérica e abstrata. Em primeiro lugar, cumpre lembrarmos que tudo aquilo que importa real, profunda e verdadeiramente, é mais do que precioso e valioso. E não tem, por conseguinte, valor! Não pode ser estimado. Por quantas moedas você venderia (e entregaria) os seus pais, filhos, irmãos, cônjuge ou melhores amigos? Com certeza, por nada. E isto nos remete ao episódio em que Judas “traiu” o nosso amado Mestre, Pastor, amigo e irmão, o Senhor Jesus! Muita gente nutre imensurável ódio ou desprezo pelo infeliz, chegando até a espancar um boneco batizado com o seu nome, no Sábado de Aleluia, sem levar em conta determinadas coisas. Conforme alguns Pensadores, o Senhor Jesus escolheu esse Discípulo e preveniu-o de que seria odiado pela humanidade para sempre, porém, o drama precisava se desenrolar a fim de que as profecias das Escrituras se cumprissem. Ademais, o majestoso Senhor Jesus era mais conhecido, famoso e procurado do que Os Beatles jamais sonhariam… Qual a razão, portanto, de precisar ter sido apontado aos Guardas?

E foi culpa de quem, então? Do povo judeu que, nas suas maldades, loucuras e obstinações, só entende uma Linguagem bruta, sacrificial e torpe; de nós, pecadores; dos Profetas que exigiam o holocausto de um Cordeiro inocente ou, o mais absurdo e inverossímil, do próprio Senhor Deus? Outros sustentam que Judas amava tanto ao Senhor Jesus que tencionava, com a Sua prisão, tirá-Lo de cena até o final da Páscoa, preservando destarte a Sua Vida, ainda que às expensas da exigência de sangue das Escrituras. Seja como for, de acordo com o consenso teológico, o amado Rei tinha de passar por toda aquela terrível agonia como compensação dos nossos pecados. Se Judas tivesse sido movido somente pela cupidez, por que teria tentado devolver as trinta moedas, suicidando-se em seguida? O fato é que sempre achamos muito estranho o modo alegre, despojado e até meio leviano com que a maioria dos nossos amados irmãos Cristãos encara essa passagem. Acreditamos que deveríamos ficar tristes, pesarosos, recolhidos e bastante cientes de que nenhum de nós merece ou é digno de tamanho Amor, Paixão e Sacrifício. Se existe alguém que não merecia nem um pouco as torturas, dores e humilhações, características dos trevosos “Príncipes do Sinédrio”, é o lindo, magnífico e divino Senhor Jesus, o Cristo!

A outra questão que desejamos salientar a título de introdução, diz respeito ao aforismo de que “todo ser humano tem o seu preço”! Será mesmo? O nosso saudoso, querido e brilhante avô paterno, natural de Lençóis Paulista/SP,  Darcy Arruda Miranda (1904 – 201), Dentista, Autor de vasta, repleta de erudição e exuberante obra jurídica, lida, apreciada e usada como orientação até hoje, Ministro do Tribunal de Alçada Civil do Estado de S. Paulo, Poeta, ex-Oficial combatente na Revolução paulista de 1932, opinava, condescendente, que sim… Por diversos motivos de premente necessidade, caso fortuito ou força maior, segundo ele, qualquer sujeito normal, investido de autoridade pública, acabaria por ceder à tentação de um polpudo suborno. Ousada e respeitosamente, discordamos, mesmo não nos referindo a Personalidades iluminadas de santos, mártires e demais idealistas. Todos nós temos, obviamente, carências, dívidas e vontades. Gente esclarecida, evoluída e amadurecida sabe aguardar pela realização de um desejo, recebimento de prêmio e recompensa ou ser suficientemente grande para aceitar que diversos produtos, estados ou atividades, não estão destinados ao seu bico. Isto pode significar mais ou menos do que um “espinho na carne”, embora supostamente saibamos que nada seja impossível ao amado Senhor Deus!

Um dos cernes do problema é que os malditos Senhores do Mundo, por diversão, maldade e interesses estratégicos, disseminaram Mundo afora inúmeros estímulos, alguns até contraditórios. De um lado, açulam a ignorância e a ganância de se querer muito muitas coisas, acreditando-se não ter como viver em Paz sem elas. Não que o consumo ou até o consumismo em si sejam ruins, negativos ou desprezíveis. De outro lado, através de ações sórdidas, desonestas e calculadas, avolumam a sua fortuna, espalham a miséria e aumentam o número de miseráveis,  manipulando os mercados mediante o acesso a informações privilegiadas, distribuindo propinas em todos os órgãos e níveis de Governo, sustentando ONGs, partidos políticos de esquerda  e “revoluções”, agências da ONU e mais uma série de manobras vis e indecorosas! Transformam a humanidade numa manada tola, fútil e falastrona, altamente alienada e escrava de vaidades, prazeres sensoriais e demais atrasos!

Inúmeros são os objetivos e vantagens desta situação, fomentada e dirigida pelas 13 Famílias que detêm quase a metade de todas as riquezas do Mundo. Em termos de funcionamento social, você acaba dispondo, nesta conjuntura, de enorme contingente de mão-de-obra, o que favorece, segundo Leis Econômicas inexoráveis, o rebaixamento dos salários. Dispõe de mais “Palhaços” para os diversos Circos de Horror! Nessas condições, sobram homens e mulheres que, por ganância ou pressionados pelas necessidades mais elementares, topam qualquer coisa a troco de muito pouco. Gente é usada para seduzir, induzir, coagir, utilizar e descartar gente. Filmes, revistas, bonecas infláveis, vibradores e humanos de carne e osso: vale tudo para um breve e solitário, dual ou grupal orgasmo! Os canalhas têm trabalhado intensamente na propalação da pornografia, da pedofilia e na destruição da Família, da Moral e dos Bons Costumes! Quase ninguém liga ou percebe que os seus vícios o tornam objeto de vícios alheios!

     Outro grande lance dessas sórdidas e satânicas jogadas é, concomitantemente, a criação de um labirinto gigantesco de burocracia e intervenção estatal, como o chamado Estado de bem-estar social, que alimentam uma mentalidade paternalista, dependente e “mimizenta”. A coisa vem de muito, muito Tempo. Brincando numa imunda partida de xadrez, onde as peças brancas e pretas participam, mancomunadas, neste jogo fraudulento, tais monstros satânicos atuam desde os Tempos do esplendoroso Senhor Jesus, embora tenham se organizado mais moderna e perfeitamente a partir do Império romano. Só que desde aquelas épocas até hoje, os seus êxitos efetivos são pequenos e a sua conquista territorial mínima, a despeito de darem a impressão de que cresceram muito e dispõem de poderes ilimitados. Pura Ilusão! É o poder da Propaganda!

Tudo bem, é fato que hoje vemos imensas hordas de seres humanos degradados. Temos aqueles que adoram esportes, churrascos, bebedeiras, falação, telenovelas. Existem os que matariam os próprios pais por uma noite dionisíaca com “Artistas” e “Apresentadores” vulgares, vazios, infantilizados e narcisistas. Crianças erotizadas muito precocemente e levadas a atitudes, gestos e atos estereotipados. Elevado índice de Depressão Maior, Transtorno Bipolar e dependência química. Ressurgimento de movimentos socialistas e comunistas. Analfabetismo funcional. Vazio existencial. Ateísmo. Limitações intelectuais, críticas e analíticas. E, neste quadro disfórico, apocalíptico e, aparentemente, universal e irreversível, muitas pessoas se perdem sorridente e gratuitamente. Compram-se, vendem-se e alugam-se Almas, Corpos e Consciências! Deveras?

Assim, chegamos ao âmago da nossa pregação de hoje. Todos nós temos realmente um preço? Bem, acontece que não apenas as preleções, as conversas e as parábolas do metagnomo Senhor Jesus nos ensinam. A Sua Vida e tudo o que tange a ela são uma maravilhosa Fonte de Inspiração e as melhores Lições que encontraremos em qualquer Tempo e lugar. É mais do que recomendável, diremos mesmo essencial, que os devotos do amado Senhor Jesus, ainda que dependendo do seu nível de compreensão e comunhão, saibam que os Ensinamento do Santo Mestre possuem, além da óbvia e maravilhosa dimensão objetiva, prática e aparente, uma outra, transcendental. Há um sentido imediato e outro mais profundo, que não leva ao Reino dos Céus: JÁ É O PRÓPRIO PARAÍSO! Isto, sim, é verdadeira, real e profundamente a Palavra que tantos pronunciam e muito poucos entendem! O Reino dos Céus não é um lugar, uma coisa ou um modo de ser: antes de tudo, é um Estado de Consciência que transborda de Amor, Bênçãos e Beleza! Significa propriamente a Iluminação!

Conhecer a Palavra não é decorar genealogias, Poetas, Profetas, Juízes, Números e o quê mais for, embora tudo isto tenha o seu lugar e valor, no esquema geral. Contudo, dizem muito mais respeito ao racional e sensorial. A verdadeira Palavra foi proclamada, vivida e encarnada pelo glorioso, divino e cósmico Senhor Jesus Cristo Nazareno! Oh, Senhor, quão poucos percebem esta Verdade! O SENHOR JESUS É UM COM O SENHOR DEUS! Assim, Ele É o Paraíso, a Palavra (Verbo) viva: o Caminho, a Verdade e a Vida!  Irmãos amados, sabemos que os Inimigos são astutos, traiçoeiros e cínicos… Eles têm se infiltrado em diversas Igrejas, Religiões, Movimentos, Editoras, em todos os veículos midiáticos e Instituições de Ensino, distorcendo os Santos Ensinamentos – sem deixarmos de validar aquilo que afirmamos sobre as infinitas possibilidades, desdobramentos e interpretações da Verdade. Canalhas da pior espécie, como os adeptos da medonha “teologia da libertação”, chegaram ao absurdo inaudito, repulsivo e inadmissível de declarar que o nosso amado Pastor, o Senhor Jesus, reencarnara, no Século XX, como um guerrilheiro assassino, degenerado, truculento,  que levava pelas costas o apelido de “Porquito”, pois detestava tomar banho e recendia terrivelmente!

O Mundo continuará se perdendo em veredas obscuras, perigosas e repletas de sofrimentos, aflições e lágrimas, cujo Destino é a soma de todos esses males e a miríade de miríades outras, enquanto não nos dispusermos a abrir mão das mentiras, dos apegos e das demais Ilusões! Aceitar ao Rei dos Reis é confiar inteiramente, completamente, no Seu Poder, na Força do Seu Amor, que são maiores do que qualquer necessidade, Doença, dor física ou moral, medo, ameaças… Se a Política é, como dizem, a “Arte do Possível”, o Cristianismo é a Religião e a Fé do Impossível! Não há nada a temer, nem a perder! Precisamos confiar! Sem frescuras, vaidade e soberbia. Não temos de ser acossados ou intimidados pelos maus! Nem tentação, carência ou ameaça, nada! “Portanto, vos afirmo: não andeis preocupados com a vossa própria vida, quanto ao que haveis de comer, nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que as roupas?” (Mateus 6:25). A Mente mais esclarecida, sincera e honesta se apresenta repleta de dúvidas e perguntas, ao passo que o Coração simplesmente iluminado possui a Paz da certeza e de todas as respostas!

     Amados irmãos e irmãs, somos todos fracos, limitados e mortais. Certamente, não valemos muita coisa. Todavia, temos o nosso valor. Não importam as cifras. Tudo o que mais precisamos saber é que o gracioso, querido e iluminado Senhor Jesus pagou com a própria Vida o nosso resgate aos seqüestradores da Justiça, da Luz e da Verdade! Ele nos comprou por Amor e a nossa servidão e gratidão a Ele é a garantia da nossa Vida e Liberdade, ao revés da Ilusão da Libertinagem do Mundo, que só escraviza, oprime e mata! Se você ainda não provou, vale a pena experimentar: o Amor Universal é a única, perfeita e maravilhosa solução para tudo e para todos! Nunca existirão sistemas, regimes e Governos perfeitos, mas a Direita é a única possibilidade de as melhores Sementes Cósmicas serem plantadas, germinarem e propiciarem muitos e excelentes Frutos! Em Nome do amado Senhor Jesus! Abraços e beijos! Paz do Senhor!

 

 

 

 

  1. Lafam.

 

 

Amados irmãos e irmãs, saudações em Nome do nosso amado Senhor Jesus Cristo! Estamos iniciando uma fase substancialmente nova em nossos escritos, tanto com relação à forma quanto ao conteúdo. Quase todos sabem que tudo, num certo sentido, tem a ver com tudo! A despeito da suposta obviedade de tal assertiva, as transformações pelas quais passamos ao longo da Vida repercutem em todas as estruturas (aceitando a multiplicidade delas) do nosso Ser, como Percepção, Entendimento, Crenças e outras. Tudo sempre evolui. Então, cada um de nós basicamente se auto-aprimora e busca se dedicar ao que considera o seu objetivo de Vida.

     Parece bastante evidente que se aquilo que você sente como chamado, revelação ou até missão, realmente estiver em harmonia com os desígnios do maravilhoso Senhor Deus, então o Universo conspirará para auxiliá-lo. “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.” (Romanos 8: 28) “Assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos membros uns dos outros. De modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada, se é profecia, seja ela segundo a medida da fé; se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino; ou o que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com cuidado; o que exercita misericórdia, com alegria.” (Romanos 12: 5-8).

Eis-nos aqui, amada galera, com uma proposta de trabalho bem diferente. Além das mudanças no tamanho e estilo dos textos, ainda temos a intenção de apresentar a vocês, amigos e irmãos (nossa verdadeira Família internética e espiritual), a IGREJA DOS CRISTÃOS LIVRES. Durante muito Tempo aguardamos que surgissem condições materiais, financeiras ou qualquer tipo de apoio ou patrocínio para a fundação dessa denominação. Então, compreendemos que ela não precisa de um Corpo físico, como lugar, sede, prédio ou Templo, embora nada obste que isto ocorra algum dia. De qualquer forma, a Idéia inicial é que constitua uma organização alegórica – mental e astral. Se as coisas correrem bem e mais gente se interessar de fato pelo que apresentaremos, pode-se cogitar reuniões na casa de adeptos ou simpatizantes, as chamadas células. Mesmo porquê, nesta forma de apresentação doméstica  haverá certa garantia de incolumidade, pureza e fidelidade aos Princípios que ensejaram a sua gênese.

Ademais, sendo um movimento bastante informal, espontâneo e até mesmo abstrato, não poderá ser invadido ou manipulado por seres inescrupulosos, oportunistas e gananciosos. Nem demandará despesas e custos a ninguém. Individualmente ou em pequenos e descompromissados grupos, seremos responsáveis por nós próprios e aqueles com quem trocamos afeto, afinidade e, se for o caso, ajuda. Afinal, ocorre com bastante frequência que ao se materializarem, muitas propostas se descaracterizam. Entretanto, cremos ser sumamente importante frisar que não existe a pretensão de suplantar ou concorrer com nenhuma Religião, mormente as Cristãs. Todas elas, não importa a sua origem, estilo e até finalidade, têm a sua importância, o seu valor e merecem toda a consideração, tanto por si mesmas, quanto pelo que diz respeito ao sagrado de cada um. Não ambicionamos tampouco atrair membros e adeptos de outras Filosofias, Fraternidades e Movimentos, embora todos sejam bem-vindos. A nossa primeira intenção é, simplesmente, chamar a atenção para pontos e aspectos passíveis de uma análise mais percuciente, sem maiores polêmicas (nem sempre, porém, evitáveis), acrescentando, ainda que minimamente, algo às mais diversas crenças, Idéias e pontos de vista. Afinal, cremos que frente a muitos dilemas não precisamos, necessariamente, escolher entre uma alternativa e outra. Não viemos para dividir ou subtrair, e, sim, muito pelo contrário, somar e multiplicar.

Qual de nós terá a pretensão de possuir a única, exclusiva e perfeita Chave da Verdade? O Espírito de qualquer Escritura Sagrada não pode jamais ser diminuído, adulterado ou obscurecido por doutrinas, dogmas ou opiniões pessoais! As Leis pertencem ao majestoso Senhor Deus; a exegese, os preconceitos e as estereotipias são de inteira responsabilidade humana!

A Verdade é absoluta, portanto, inefável, ilimitada e amorfa. É linda, maravilhosa, fragrante e exuberante como a Flor ou o Amor. Configura terrível sacrilégio confiná-la a conceitos, classes ou nomenclaturas. Claro, isto não obsta de refletirmos sobre ela, os significados e as interpretações desenvolvidos por homens e mulheres estudiosos, pregadores e oradores abençoados! Ninguém, no entanto, minimamente lúcido, pretenderá apreendê-la. A Verdade existe e é uma só, eternamente! A nossa relação com ela consta de nos purificarmos o suficiente para, tão-somente então, lançarmo-nos, corajosa e audazmente, ao seu infinito Abismo. Fatalmente, morreremos neste ritual de oferecimento e sacrifício… Entrementes, já que é o Destino de todo o ser vivo fenecer, passar pela transição, por que não fazê-lo de forma sublime e gloriosa, esmagados pelas divinas Irradiações do amado Senhor Deus? E, na sequência, surpresa: a Vida que não tem início, nem final, continua, nunca acaba! “Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá; e quem vive e crê em mim, não morrerá eternamente. (…) (João 11: 25-27)

     Antes de adentrarmos no tema específico do presente sermão, e também para não fugirmos completamente do nosso estilo, desejamos tecer algumas considerações de ordem mais genérica e abstrata. Em primeiro lugar, cumpre lembrarmos que tudo aquilo que importa real, profunda e verdadeiramente, é mais do que precioso e valioso. E não tem, por conseguinte, valor! Não pode ser estimado. Por quantas moedas você venderia (e entregaria) os seus pais, filhos, irmãos, cônjuge ou melhores amigos? Com certeza, por nada. E isto nos remete ao episódio em que Judas “traiu” o nosso amado Mestre, Pastor, amigo e irmão, o Senhor Jesus! Muita gente nutre imensurável ódio ou desprezo pelo infeliz, chegando até a espancar um boneco batizado com o seu nome, no Sábado de Aleluia, sem levar em conta determinadas coisas. Conforme alguns Pensadores, o Senhor Jesus escolheu esse Discípulo e preveniu-o de que seria odiado pela humanidade para sempre, porém, o drama precisava se desenrolar a fim de que as profecias das Escrituras se cumprissem. Ademais, o majestoso Senhor Jesus era mais conhecido, famoso e procurado do que Os Beatles jamais sonhariam… Qual a razão, portanto, de precisar ter sido apontado aos Guardas?

E foi culpa de quem, então? Do povo judeu que, nas suas maldades, loucuras e obstinações, só entende uma Linguagem bruta, sacrificial e torpe; de nós, pecadores; dos Profetas que exigiam o holocausto de um Cordeiro inocente ou, o mais absurdo e inverossímil, do próprio Senhor Deus? Outros sustentam que Judas amava tanto ao Senhor Jesus que tencionava, com a Sua prisão, tirá-Lo de cena até o final da Páscoa, preservando destarte a Sua Vida, ainda que às expensas da exigência de sangue das Escrituras. Seja como for, de acordo com o consenso teológico, o amado Rei tinha de passar por toda aquela terrível agonia como compensação dos nossos pecados. Se Judas tivesse sido movido somente pela cupidez, por que teria tentado devolver as trinta moedas, suicidando-se em seguida? O fato é que sempre achamos muito estranho o modo alegre, despojado e até meio leviano com que a maioria dos nossos amados irmãos Cristãos encara essa passagem. Acreditamos que deveríamos ficar tristes, pesarosos, recolhidos e bastante cientes de que nenhum de nós merece ou é digno de tamanho Amor, Paixão e Sacrifício. Se existe alguém que não merecia nem um pouco as torturas, dores e humilhações, características dos trevosos “Príncipes do Sinédrio”, é o lindo, magnífico e divino Senhor Jesus, o Cristo!

A outra questão que desejamos salientar a título de introdução, diz respeito ao aforismo de que “todo ser humano tem o seu preço”! Será mesmo? O nosso saudoso, querido e brilhante avô paterno, natural de Lençóis Paulista/SP,  Darcy Arruda Miranda (1904 – 201), Dentista, Autor de vasta, repleta de erudição e exuberante obra jurídica, lida, apreciada e usada como orientação até hoje, Ministro do Tribunal de Alçada Civil do Estado de S. Paulo, Poeta, ex-Oficial combatente na Revolução paulista de 1932, opinava, condescendente, que sim… Por diversos motivos de premente necessidade, caso fortuito ou força maior, segundo ele, qualquer sujeito normal, investido de autoridade pública, acabaria por ceder à tentação de um polpudo suborno. Ousada e respeitosamente, discordamos, mesmo não nos referindo a Personalidades iluminadas de santos, mártires e demais idealistas. Todos nós temos, obviamente, carências, dívidas e vontades. Gente esclarecida, evoluída e amadurecida sabe aguardar pela realização de um desejo, recebimento de prêmio e recompensa ou ser suficientemente grande para aceitar que diversos produtos, estados ou atividades, não estão destinados ao seu bico. Isto pode significar mais ou menos do que um “espinho na carne”, embora supostamente saibamos que nada seja impossível ao amado Senhor Deus!

Um dos cernes do problema é que os malditos Senhores do Mundo, por diversão, maldade e interesses estratégicos, disseminaram Mundo afora inúmeros estímulos, alguns até contraditórios. De um lado, açulam a ignorância e a ganância de se querer muito muitas coisas, acreditando-se não ter como viver em Paz sem elas. Não que o consumo ou até o consumismo em si sejam ruins, negativos ou desprezíveis. De outro lado, através de ações sórdidas, desonestas e calculadas, avolumam a sua fortuna, espalham a miséria e aumentam o número de miseráveis,  manipulando os mercados mediante o acesso a informações privilegiadas, distribuindo propinas em todos os órgãos e níveis de Governo, sustentando ONGs, partidos políticos de esquerda  e “revoluções”, agências da ONU e mais uma série de manobras vis e indecorosas! Transformam a humanidade numa manada tola, fútil e falastrona, altamente alienada e escrava de vaidades, prazeres sensoriais e demais atrasos!

Inúmeros são os objetivos e vantagens desta situação, fomentada e dirigida pelas 13 Famílias que detêm quase a metade de todas as riquezas do Mundo. Em termos de funcionamento social, você acaba dispondo, nesta conjuntura, de enorme contingente de mão-de-obra, o que favorece, segundo Leis Econômicas inexoráveis, o rebaixamento dos salários. Dispõe de mais “Palhaços” para os diversos Circos de Horror! Nessas condições, sobram homens e mulheres que, por ganância ou pressionados pelas necessidades mais elementares, topam qualquer coisa a troco de muito pouco. Gente é usada para seduzir, induzir, coagir, utilizar e descartar gente. Filmes, revistas, bonecas infláveis, vibradores e humanos de carne e osso: vale tudo para um breve e solitário, dual ou grupal orgasmo! Os canalhas têm trabalhado intensamente na propalação da pornografia, da pedofilia e na destruição da Família, da Moral e dos Bons Costumes! Quase ninguém liga ou percebe que os seus vícios o tornam objeto de vícios alheios!

     Outro grande lance dessas sórdidas e satânicas jogadas é, concomitantemente, a criação de um labirinto gigantesco de burocracia e intervenção estatal, como o chamado Estado de bem-estar social, que alimentam uma mentalidade paternalista, dependente e “mimizenta”. A coisa vem de muito, muito Tempo. Brincando numa imunda partida de xadrez, onde as peças brancas e pretas participam, mancomunadas, neste jogo fraudulento, tais monstros satânicos atuam desde os Tempos do esplendoroso Senhor Jesus, embora tenham se organizado mais moderna e perfeitamente a partir do Império romano. Só que desde aquelas épocas até hoje, os seus êxitos efetivos são pequenos e a sua conquista territorial mínima, a despeito de darem a impressão de que cresceram muito e dispõem de poderes ilimitados. Pura Ilusão! É o poder da Propaganda!

Tudo bem, é fato que hoje vemos imensas hordas de seres humanos degradados. Temos aqueles que adoram esportes, churrascos, bebedeiras, falação, telenovelas. Existem os que matariam os próprios pais por uma noite dionisíaca com “Artistas” e “Apresentadores” vulgares, vazios, infantilizados e narcisistas. Crianças erotizadas muito precocemente e levadas a atitudes, gestos e atos estereotipados. Elevado índice de Depressão Maior, Transtorno Bipolar e dependência química. Ressurgimento de movimentos socialistas e comunistas. Analfabetismo funcional. Vazio existencial. Ateísmo. Limitações intelectuais, críticas e analíticas. E, neste quadro disfórico, apocalíptico e, aparentemente, universal e irreversível, muitas pessoas se perdem sorridente e gratuitamente. Compram-se, vendem-se e alugam-se Almas, Corpos e Consciências! Deveras?

Assim, chegamos ao âmago da nossa pregação de hoje. Todos nós temos realmente um preço? Bem, acontece que não apenas as preleções, as conversas e as parábolas do metagnomo Senhor Jesus nos ensinam. A Sua Vida e tudo o que tange a ela são uma maravilhosa Fonte de Inspiração e as melhores Lições que encontraremos em qualquer Tempo e lugar. É mais do que recomendável, diremos mesmo essencial, que os devotos do amado Senhor Jesus, ainda que dependendo do seu nível de compreensão e comunhão, saibam que os Ensinamento do Santo Mestre possuem, além da óbvia e maravilhosa dimensão objetiva, prática e aparente, uma outra, transcendental. Há um sentido imediato e outro mais profundo, que não leva ao Reino dos Céus: JÁ É O PRÓPRIO PARAÍSO! Isto, sim, é verdadeira, real e profundamente a Palavra que tantos pronunciam e muito poucos entendem! O Reino dos Céus não é um lugar, uma coisa ou um modo de ser: antes de tudo, é um Estado de Consciência que transborda de Amor, Bênçãos e Beleza! Significa propriamente a Iluminação!

Conhecer a Palavra não é decorar genealogias, Poetas, Profetas, Juízes, Números e o quê mais for, embora tudo isto tenha o seu lugar e valor, no esquema geral. Contudo, dizem muito mais respeito ao racional e sensorial. A verdadeira Palavra foi proclamada, vivida e encarnada pelo glorioso, divino e cósmico Senhor Jesus Cristo Nazareno! Oh, Senhor, quão poucos percebem esta Verdade! O SENHOR JESUS É UM COM O SENHOR DEUS! Assim, Ele É o Paraíso, a Palavra (Verbo) viva: o Caminho, a Verdade e a Vida!  Irmãos amados, sabemos que os Inimigos são astutos, traiçoeiros e cínicos… Eles têm se infiltrado em diversas Igrejas, Religiões, Movimentos, Editoras, em todos os veículos midiáticos e Instituições de Ensino, distorcendo os Santos Ensinamentos – sem deixarmos de validar aquilo que afirmamos sobre as infinitas possibilidades, desdobramentos e interpretações da Verdade. Canalhas da pior espécie, como os adeptos da medonha “teologia da libertação”, chegaram ao absurdo inaudito, repulsivo e inadmissível de declarar que o nosso amado Pastor, o Senhor Jesus, reencarnara, no Século XX, como um guerrilheiro assassino, degenerado, truculento,  que levava pelas costas o apelido de “Porquito”, pois detestava tomar banho e recendia terrivelmente!

O Mundo continuará se perdendo em veredas obscuras, perigosas e repletas de sofrimentos, aflições e lágrimas, cujo Destino é a soma de todos esses males e a miríade de miríades outras, enquanto não nos dispusermos a abrir mão das mentiras, dos apegos e das demais Ilusões! Aceitar ao Rei dos Reis é confiar inteiramente, completamente, no Seu Poder, na Força do Seu Amor, que são maiores do que qualquer necessidade, Doença, dor física ou moral, medo, ameaças… Se a Política é, como dizem, a “Arte do Possível”, o Cristianismo é a Religião e a Fé do Impossível! Não há nada a temer, nem a perder! Precisamos confiar! Sem frescuras, vaidade e soberbia. Não temos de ser acossados ou intimidados pelos maus! Nem tentação, carência ou ameaça, nada! “Portanto, vos afirmo: não andeis preocupados com a vossa própria vida, quanto ao que haveis de comer, nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que as roupas?” (Mateus 6:25). A Mente mais esclarecida, sincera e honesta se apresenta repleta de dúvidas e perguntas, ao passo que o Coração simplesmente iluminado possui a Paz da certeza e de todas as respostas!

     Amados irmãos e irmãs, somos todos fracos, limitados e mortais. Certamente, não valemos muita coisa. Todavia, temos o nosso valor. Não importam as cifras. Tudo o que mais precisamos saber é que o gracioso, querido e iluminado Senhor Jesus pagou com a própria Vida o nosso resgate aos seqüestradores da Justiça, da Luz e da Verdade! Ele nos comprou por Amor e a nossa servidão e gratidão a Ele é a garantia da nossa Vida e Liberdade, ao revés da Ilusão da Libertinagem do Mundo, que só escraviza, oprime e mata! Se você ainda não provou, vale a pena experimentar: o Amor Universal é a única, perfeita e maravilhosa solução para tudo e para todos! Nunca existirão sistemas, regimes e Governos perfeitos, mas a Direita é a única possibilidade de as melhores Sementes Cósmicas serem plantadas, germinarem e propiciarem muitos e excelentes Frutos! Em Nome do amado Senhor Jesus! Abraços e beijos! Paz do Senhor!

 

 

 

 

  1. Lafam.
Tags: