La rete italo brasiliana delle mamme / A rede ítalo-brasileira de mães

09/05/2021 21:02

La rete italo brasiliana delle mamme / A rede ítalo-brasileira de mães

In vista della Festa della Mamma che si celebra in questi giorni,una festa speciale sia per le madri che per i figli,un grande evento mondiale vi presento un vero e proprio universo parallelo. Posto che non bisognerebbe ricordarsi di festeggiare la propria madre solo nel giorno stabilito, è divertente parlare delle mamme italiane e brasiliane. Approfittare di questo giorno di celebrazione per descrivere alcune caratteristiche che queste mamme possiedono,ma che in fondo fanno parte dell’essere mamma a prescindere dalla nazionalità. Indipendenti,capi famiglia e anziani, le madri di oggi presentano un profilo molto diverso dalle madri 40 anni fa.Tuttavia, i ruoli delle donne come madre sono diventati più apprezzati oggi. Il cosidetto amore materno ha comosso tutti,é stato messo in questo periodo di pandemia davanti a tutto.Le perdite dei familiari,la conseguente situazione di lockdown ha cambiato pensieri,emozioni,vita di relazione in ambito sentimentale,sociale e lavorativo. la generazione più anziana ha vissuto la guerra seguita delle regole diverse;non chiedeva la distanza sociale,non ha fatto vedere il vicino come nemico.Il Coronavirus ha vietato gli incontri tra madri e figli,evitato l’afetto per il rischio di essere infettati ,di infettare e  rischio mortifero. Sappiamo quello che stiamo vivendo ma non il tempo che verrà la soluzione definitiva.Il cambiamento frantuma le certezze,ci manca il tutto quello con cui siamo cresciuti e con cui ci siamo confrontati, la vera “saudade”dei rapporti familiari e le coccole. L’universo parallelo delle mamme italiane e brasiliane è ampio e ci fa ricordare i bei tempi. Per quanto riguarda le mamme e le loro caratteristiche no oso dire ai miei lettori che in Brasile le mamme sono più brave, dico forse più libere. Riservo insieme al rispetto e alle innumerevoli attenzioni,l’aspetto che mi piace di più dell’approccio italiano: la “casa della mamma”. E’ inutile girare intorno, la mamma italiana è e sarà per sempre il miglior ristorante del mondo, troviamo al tavolo il piatto più basilare a quello più complesso e sempre un meraviglioso  invito a cena nel personale ristorante a cinque stelle. LE MAMME BRASILIANE amano la musica,vibrano follemente per il figlio nella partita di calcio a scuola. L’emozione della madre-fan brasiliana è classica e romantica.Sono consumatrici avidi di informazioni,scambiano consigli sulla maternità e sono sempre conesse al mondo.LE MAMME ITALIANE sono attente,apprezzano i messaggi chiari,rassicuranti. Quando hanno un budget lo spendono principalmente per i figli e nei periodi più difficili sono anche economisti ma il conto è sempre in rosso per entrambi.Quindi,in fondo quello che possiamo osservare nonostante queste apparenti differenze,è che sono molto più simili di quanto immaginiamo. Sono ugualmente colpevoli, pensano sempre che possono fare diversamente o meglio. Perdono il sono nella stessa misura. La risposta materna comune al pianto dei figli consiste nel prenderli in braccio e sussurrare le parole con voce dolce. L’essenza della maternità,è qualcosa di molto più profondo e universale. Parlo qui di sentimenti che provano come madri che sono più forti di qualsiasi differenza geografica. Per concludere”la madre é la madre” e la razza o identità non ha importanza.Anche la maternità é globalizzata. Dopotutto madre è la ragione della nostra esistenza e merita tutto l’amore,rispetto e attenzione.Ovviamente tutti giorni.

Buona Festa della Mamma!

                                        A rede ítalo-brasileira de mães

Tendo em vista o Dia das mães que se comemora nestes dias, um dia especial para mães e filhos, um grande acontecimento mundial, apresento-vos um verdadeiro universo paralelo. Já que não  se deve lembrar de comemorar a  mãe apenas no dia marcado, é divertido falar sobre as mães italianas e brasileiras. Aproveite este dia de comemoração para descrever algumas características que essas mães possuem, mas que basicamente fazem parte de ser mãe independentemente da nacionalidade. No entanto, os papéis das mulheres como mães tornaram-se mais populares hoje. O chamado amor maternal comoveu todos, foi colocado à frente de tudo nesse período pandêmico perdas de familiares, a consequente situação de bloqueio alteraram os pensamentos, as emoções, a vida e os relacionamentos no campo sentimental, social e laboral. A geração mais velha viveu a guerra seguindo regras diferentes que não pediu distanciamento social e não mostrou o vizinho como inimigo. O  corona vírus proibiu o encontro entre mães e filhos, evitou o afeto pelo risco de se infectar, de infectar e de morrer. Sabemos o que estamos vivenciando, mas não sabemos o momento em que a solução definitiva chegará. A mudança rompe as certezas, sentimos falta de tudo com o que crescemos e com o que lidamos, a verdadeira “saudade” das relações familiares e dos afagos. O universo paralelo de mães italianas e brasileiras é vasto e nos lembra os bons tempos. Quanto às mães e suas características, não ouso dizer aos meus leitores que no Brasil as mães são melhores, digo talvez mais livres. Reservo junto ao respeito a grande consideração e o aspecto que mais gosto da abordagem italiana é: ”A casa da mamma”. Não adianta andar por ai, o lar  da mãe italiana é e sempre será o melhor restaurante do mundo , encontramos na mesa o prato mais básico ao mais complexo e sempre um maravilhoso convite para jantar como num  restaurante privado cinco estrelas. MÃES BRASILEIRAS  amam música, vibram  fanaticamente pelo filho na partida de futebol da escola. A emoção da “mãe -torcida brasileira “ é clássica e romântica. São consumidoras ávidas de informação, trocam conselhos sobre a maternidade e estão sempre conectadas com o  mundo. MÃES ITALIANAS são atenciosas ,de  mensagens claras e tranquilizadoras. Quando tem um orçamento, gastam principalmente com os filhos e nos momentos  mais difíceis também são economistas. Mas, a conta está sempre no vermelho para ambas. Então, basicamente o que podemos observar apesar dessas diferenças aparentes, è que elas são muito mais semelhantes muito mais do que imaginamos. Elas são igualmente culpadas sempre, acham que podem fazer diferente ou melhor e perdem o sono na mesma proporção. A resposta materna comum ao choro dos seus  bebês é pegá-los no colo e sussurrar as palavras doces em voz baixa. A essência da maternidade è algo muito mais profundo e universal. Falo aqui de sentimentos que elas tem como mães que são mais fortes do que qualquer diferença geográfica. Para concluir “a mãe é a mãe” e raça ou identidade não importa. A maternidade também é globalizada. Afinal, mãe é a razão da nossa existência e merece todo o  amor, respeito e atenção. Obviamente, todos os dias.

Feliz dia das Mães!

Sandra Bandeira Nolli.

 

Sandra Nolli

Sandra Bandeira Nolli é Correspondente Internacional do ROL da Itália (Brescia)