João Bosco do Nordeste: Pensamentos nº 6 – ‘Reflexões sobre a vida e a morte’

18/01/2021 13:40

João Bosco do Nordeste

Pensamentos nº 6 – ‘Reflexões sobre a vida e a morte’

1) Quando uma coisa deixar de ter sentido para você, pense, e logo desista. A atenção ao que não merece atenção vai tirar o seu sentido de viver.
2) A nossa luz da vida só terá claridade no céu, se o nosso coração deixar de ser uma sombra de egoísmo.
3) A vida é como nuvem passageira sem censura, mas se não tivermos cuidado, os temporais podem deixar estragos permanentes na estrutura.
4) A vida é curta. O que determina o tempo da nossa existência está na intensidade de luz que o nosso coração clareia a estrada para chegarmos mais longe, curtindo a paisagem.
5) Querida andorinha, se algum dia o inverno chegar ao seu coração, procure outras asas e se levante do chão, porque uma andorinha só não faz verão.
6) Ande com quem quer você ao seu lado, pois na frente causa ciúme e atrás se sente desprezado.
7) Mesmo sabendo que o nosso coração é um atleta que pula para superar os obstáculos na corrida da vida, é bom ter consciência de que a faixa de chegada está nos esperando a sete palmos no chão.
8) Quer morrer de tédio e solidão? Continue se preocupando com a vida dos outros no coração.
9) Tem pessoas que só gostam das coisas fáceis da vida, por isso é que não têm o discernimento para entender, sequer, a serventia quando ocorrem suas vitórias.
10) O Céu é o serrote das trevas. A treva é a capa do mal. O mal é o punhal do inferno. O inferno é a falta da alma, mas somente a alma é que nos levará ao céu.
11) Construam pontes. Para quem vem correndo na estrada na vida e diz que não sabe e nem viu, cuidado para não parar na ponte que caiu.
12) Se na vida tiveres fé durante uma noite escura, não se preocupe com a morte, pois Deus lhe dará um lindo sol no amanhecer.
13) É incrível descobrir que o ser desumano só sabe avaliar o valor da pessoa que ama quando a perde.
14) Saber viver amando, é amar sabendo viver. Amor é o que prolonga a vida.
15) A casa do chapéu é tão longe na paisagem turva, que só conseguiremos alcançá-la depois da morte, onde o vento faz a curva.

 

João Bosco do Nordeste

 

 

Tags: