Jairo Valio: ‘Superação’

02/08/2018 11:20

“Ser um professor era um sonho que alimentava desde pequenininho, pois gostaria de ensinar aos mais pobres para que eles tivessem um futuro melhor como desejava para si e toda sua família.”

 

Um garoto pobre, morador de favela, sofredor, passando fome, pensava, sonhava, queria ser, tinha objetivos, mas achava impossível diante de sua realidade.

Pai ausente, que não conhecia, e mãe sofredora, que não lhe dava carinhos, tantas as incumbências para tratar de mais 5 irmãozinhos, gerados de pais diferentes.

Sonhava, no entanto, ser alguém na vida e queria, primeiramente, estudar.

Ser um professor era um sonho que alimentava desde pequenininho, pois gostaria de ensinar aos mais pobres para que eles tivessem um futuro melhor como desejava para si e toda sua família.

Foi vencendo as etapas desde aprendendo as primeiras letras do alfabeto, conhecendo a matemática para poder fazer cálculos, a História para conhecer seu país, a Geografia para conhecer o mundo, o Português para aprimorar seus conhecimentos da língua pátria.

Aplicado nos estudos, foi sendo alfabetizado e, podendo ler, tudo que lhe caia nas mãos esmiuçava, não importava um jornal velho e amassado, uma revista que achava nas latas de lixo, um livro que alguém deixou de ler, mas que para ele era a maior das riquezas.

Na sala de aula era um exemplo de superação, dedicado aos estudos, recebendo as melhores notas e os elogios dos professores que lhe admiravam, principalmente por conhecer sua origem pobre, morando num mísero barraco, sofrendo todas as agruras.

Dos colegas sofria um pouco de rejeições, pois não se interagia com o grupo, que promoviam algazarras, desobedeciam aos mestres.

Muitas vezes rejeitou uma simples tragada que diziam, trazia sensações deliciosas, era só experimentar que gostaria.

Ele, no entanto, sabia que era o começo do muito que viria mais tarde, a entrega total no vício das drogas, a degradação como ser humano e o fim trágico, com todas as consequências que já conhecia.

Foi avançando nos estudos, concluiu o Ensino Médio e para poder atingir seus objetivos tão sonhados, uma Faculdade e assim ingressar no Magistério, conseguiu uma bolsa de estudos.

Trabalhou duro machucando as mãos, criando calos ao transportar cimentos ou levar tijolos para as paredes serem erguidas, mas tudo fazia com capricho e atingiu o grau de pedreiro, ao concluir um curso profissionalizante para ser um ótimo profissional.

Nunca lhe faltou serviços dado ao seu capricho e capacidade funcional e o dinheiro ganho, uma parte ia para a família tão sofrida, sua mãe que catava lixo reciclado para alimentar seus filhos, melhorando suas condições e outra parte para si, comprando roupas, calçados e principalmente livros que devorava com incrível apetite de saber.

Deixou até as vaidades da juventude, das baladas, paqueras, pois achava mais importante ter seu diploma de professor, fazer um mestrado e depois, aí sim, já preparado, deixar que os desejos do coração fluíssem naturalmente e conseguir uma namoradinha por quem realmente se apaixonasse e com ela constituir uma família feliz.

Formou-se um dia professor com toda honra, recebendo seu diploma com lágrimas nos olhos, pois ali, naquele momento solene, toda uma realidade de sofrimentos e amargura deixou no passado.

Fez um curso de Mestrado, logo ingressou como professor de português, ensinando principalmente numa Escola da periferia, pois ali conhecia um mundo diferente, sem o glamour das Escolas pagas, onde os alunos se vestiam bem, tênis de marca, facilidades de pesquisas em bibliotecas bem abastecidas,  mas não se importava, estava realizado.

Por ser do meio, conhecer seu mundo, logo conquistou a simpatia dos estudantes da classe que o respeitavam, pois ele lhes transmitia mensagens sadias, de não serem submissos, querer sempre, alimentar sonhos, substituírem o “não posso pelo eu quero”, vou conseguir atingir metas, progredir sempre, estudar, estudar.

Se afastarem do mundo cruel das drogas para terem dignidade e futuramente serem cidadãos, identidades próprias, autoestimas  elevadas, condições melhores de vida. Atingirem objetivos sonhados.

Assim, aquele garotinho pobre que vivia num barraco, conseguiu através da superação e muita garra, alcançar o que sonhava desde os tempos de criança, ser um professor dos pobres, vencendo etapas, superando os desafios e com isso, com um padrão de vida melhor. Tirou sua familia do mundo da miséria, a mãe sofrida e os irmãozinhos sem pais, não tendo nem identidades, mas que seguindo o exemplo do irmão maior, procuraram também outros caminhos e melhoraram suas condições de vida, não importando as profissões, um bom servente de pedreiro, um pedreiro requistado, um eletricista competente, uma excelente funcionária de uma loja de roupas, outra que galgou uma carreira maior pelo exemplo do irmão, tornou-se uma enfermeira competente para cuidar dos pobres e amenizar suas dores, com carinho, um passar de mãos no rosto sofrido, um afago, uma palavra amiga.

TODOS GANHARAM SEUS MUNDOS PELOS SEUS EXEMPLOS E, ATRAVÉS DA SUPERAÇÃO, ALCANÇARAM SEUS OBJETIVOS!

 

Jairo Valio – valio.jairo@gmail.com

Tags: