Jairo Valio: ‘Ser mulher’

30/05/2018 07:38

“Ser uma nuvem que navega num dia de sol,/ Para, então, derramar suas lágrimas,/ Revigorando a terra sedenta de chuvas,/ E tornando viçosas as plantas que morriam.”

 

SER MULHER

Chorar na alegria e sorrir na tristeza.
Identificar, num sorriso triste, o amor que faltou.
Distribuir emoções, ainda que não compreendidas,
E quando ninguém mais acreditar em sua bondade,
Pouco lhe importa, já que não exige recompensas.

Ser uma nuvem que navega num dia de sol,
Para, então, derramar suas lágrimas,
Revigorando a terra sedenta de chuvas,
E tornando viçosas as plantas que morriam.

Ela sabe estender a mão aos que pedem.
É generosa e desconhece sua imensa bondade;
Hospeda dentro de si o perdão,
E cicatriza as feridas dos outros que choram,
Ainda que as suas próprias estejam sangrando.

Pode ser tão mãe dos seus filhos,
Como de outros também.
Se um dia surgir um infortúnio,
Saberá repartir seu amor ao infortunado,
Mesmo que não haja vínculo de sangue,
O leite de seu seio uma vida salvará.

Pode estar em mil lugares de uma só vez.
Finge ser frágil apenas para ter carinhos.
E se for enganada por suas convicções,
Podendo até chegar ao fundo do poço,
Surgirá triunfante e seguirá sua vida.

Mesmo com sua fragilidade de mulher,
Não se envergonha de chorar,
Ainda que decepções lhe causem tristezas,
Em apenas um segundo estará sorrindo,
Mostrando o quanto é forte,
Diante da adversidade.

Princesa quando emerge jovem para a vida;
Rainha ao atingir a maioridade;
Imperatriz sem direito à coroa do reino,
Nada disso a fascina ; ela é especial.
Quer apenas a simplicidade,
Para somente amar.

 

Jairo Valio – valio.jairo@gmail.com

Tags: