Jairo Valio: ‘Retalhos’

24/01/2019 09:05

“Foi assim, construídos de sobras,/ Fragmentos de coisas usadas,/ Vem vividas, costuradas,/ Na dependência dos fatos,/ Ao acaso das circunstâncias.

 

              Retalhos

Foi assim, construídos de sobras,
Fragmentos de coisas usadas,
Vem vividas, costuradas,
Na dependência dos fatos,
Ao acaso das circunstâncias.

Azul, vermelho, amarelo, até branco,
Confronto de cores do meu passado,
Alguns esmaecidos e tristes,
Outros no entanto vibrantes,
Entremeando felicidades.

Sempre assim, de confrontos,
Alegres no conjunto,
Sofridos nos detalhes,
Particularidades só minhas,
Olhados sem muitas considerações.

Momentos sublimes, doces deleites,
Substituídos depois por tristezas,
Pedações velhos de panos costurados,
E não servem para quem tem pele fina,
Por nunca terem sofrido amarguras.

Fragmentados, sem uso, jogados,
Num canto, escondidos, amarrotados,
Uma colcha de retalhos que foi vida,
De cores, encantos, deleites enfim,
Modificadas pelas incertezas que vivi.

Fazem parte entretanto do conjunto,
É meu, mesmo sem uso, encostados,
Pois quero deles costurar no futuro,
Quem sabe das sobras,
Tristezas que só eu agasalhei.

 

Jairo Valio – valio.jairo@gmail.com
10/07/2012

 

 

Tags: