Jairo Valio: ‘Coração em silêncio’

30/11/2021 15:05

Jairo Valio

Coração em silêncio

Noto sua mudez, quieto, sem um sinal para me buscar e silencio então.

Coração sofrido, perdeu um amor tão doce que hoje restam somente as lembranças, afetuosas, de inigualáveis cumplicidades. Fomos comparsas nas alegrias e se houvessem tristezas, jamais nos abatíamos, tantas foram as compensações.

Uma garota chamou minha atenção nos encontros fortuitos, passos apressados, e não haviam correspondências.

Um dia uma troca de olhares aconteceu, quase um susto e houve reciprocidades.

Corações comparsas batiam em sintonia e um grande amor nasceu então.

Notamos as belezas, tudo eram alegrias, jamais tristezas, e o sorriso de uma criança nos encantava.

Buscamos na natureza as belezas das flores, o radiante despertar do dia, o lindo gorjeio dos pássaros.

No anoitecer, o sol se punha calmo no horizonte e cores deslumbrantes pincelavam as nuvens.

Quedávamos em silêncio aguardando a magia da lua surgindo esplendorosa e no céu o festival das estrelas piscando nos encantavam.

Era o prenúncio de um amor que iria se acentuar até que nossos corações apressados se acalmavam.

Esse amor, encanto de minha vida, um dia partiu e lágrimas derramei, sem ao menos um despedir.

 

Jairo Valio

valio.jairo@gmail.com

 

 

 

Tags: