Jairo Valio: ‘Amor verdadeiro’

25/04/2021 10:58

Jairo Valio

Amor verdadeiro

Muitas vezes oculto não se manifesta.

Coração dormente batendo com calma,

Sentido do olfato sem se manifestar,

Perfumes das flores que a brisa traz,

Ele se cala por todas as razões ausentes.

 

Dois jovens em encontros fortuitos se olham,

Nada de emoções tocam suas sensibilidades,

Apressados cada um segue seu caminho,

E nada se manifesta nos corações dormentes,

Até que numa troca de olhares algo acontece.

 

Os corações despertam de suas letargias,

E aguçam desejos que antes não existiam,

Como um olhar salpicado de doces emoções,

Que se acentuam nos encontros já calmos,

Aguçando sentidos que estavam dormentes.

 

Paradas calmas sem os apressados passos,

Querendo seus sentimentos expressarem,

E as cumplicidades vão surgindo nas magias

Com corações comparsas se entendendo,

E os olhares que trocam são ternos e calmos.

 

Já notam as belezas das flores tão coloridas,

Seus perfumes aguçam sentidos até ausentes,

E o amor vai tocando todas as sensibilidades,

E beijos ardentes acentuam desejos ocultos,

Que afloram quando os corações se agitam.

 

Notam como é lindo um pôr do sol lá longe,

E as nuvens colorindo um céu todo azul,

Até que um manto escuro vai se estendendo,

Com a lua soberana iluminando a escuridão,

E o casal apaixonado se entregam às paixões.

 

Jairo Valio

Tags: