Ivan Vagner Marcon: ‘Louva-a-Deus’

09/01/2019 19:48

Refúgios/ onde buscamos sedentos/ livrar-nos da fé alquebrada/ por tantos enigmas, palavras vagas…/ e sombras.”

Foto cedido pelo jornalista Roberto Prestes de Souza

LOUVA-A-DEUS

 

Deuses refletem

profundamente

olhos atemporais.

Olhos oásis.

Sábios e exatos.

Suspensos

entre a aridez da terra

e do manso mosaico celeste.

 

Entre altares,

céu e símbolos

os vértices das almas fugitivas.

 

Refúgios

onde buscamos sedentos

livrar-nos da fé alquebrada

por tantos enigmas, palavras vagas…

e sombras.

 

Fluxo infinito

onde mergulhamos toda sede engasgada

para de coração e espírito abertos

ladrilhar outros destinos…

outras jornadas.

 

Louvo por seus auxílios,

consentimentos e confirmações.

Que possam refletir-me em nova espiral de história

e assim transcender mesmo turvo,

iniciático e mudo:

 

Como o ligeiro sussurro dos ventos…

 

Como a hera a despertar pelos vãos…

 

Como água a erodir os ladrilhos…

 

Como da lógica qualquer perdição.

 

Pobre corpo morno…

Larva de existência breve.

A louvar sombras,

retinas e palavras…

tentando manter os próximos passos eternizados.

Ansioso

por algum deus

que transpareça lavado em luzes…

para além dos olhos… para além dos templos…

 

Um

d(eu)s

de mãos estendidas a emergir-me

de meus próprios julgamentos,

olhares…

e silêncios.

 

Ivan Vagner Marcon – ivan.vagner@hotmail.com