INFORMAÇÕES SOBRE AS FAMILIAS CORDEIRO, ROCHA, VIEIRA E LOPES.

18/02/2015 22:53

Genealogista Afrânio MelloATENDIMENTOS NÚMEROS 422, 423, 424, 425 E 426 Afrânio Mello: <afraniomello@itapetininga.com.br>

 

 

Marta , boa tarde.

Fiquei muito contente com o seu interesse pela Genealogia.

Tenho dentro de mim ,tentar fazer com quem não gosta de Genealogia,

gostar um pouco, quem gosta pouco aumentar e para quem já gosta ,

contribuir com o aprimorando dos estudos que fazem.

 

Dentro do texto CORDEIRO tem uma referência de obras sobre a Ilha Terceira e muitos outros CORDEIROS

com datas, casamentos e chegada no Brasil e na Hospedaria dos Imigrantes e em diversos estados do Brasil.

 

”  Ilha Terceira: sobre a história desta família e sua passagem pela Ilha Terceira, escreveu no ano de

1717, o Padre Antonio Cordeiro, em sua História Insulana das Ilhas a Portugal Sugeytas, Livro VI –

  Da Real Ilha Terceira, Cabeça das Terceiras, Capítulo XXIV – Da familia dos Cordeyros, & Espinosas

[Antonio Cordeiro – História Insulana, Livro VI, Ilha Terceira]. Galiza: o genealogista Frei José S. Crespo

Pozo, O. de M., em sua obra Linajes y Blasones de Galicia, dedica-se ao estudo desta família . ”

 

 

Como você enviou a sua ascendência e os nomes, vou encaminhar para você , mesmo sem pedir , com a intenção

de aumentar sua pesquisa para os outros SOBRENOMES.

 

Vai anexado  e transcrito abaixo uma parte de cada um deles :

 

CORDEIRO           08 páginas e 2 brasões ;

CORDEIRO – ESP. 01 página e sem brasão ;

ROCHA                 07 páginas e 2 brasões ;

VIEIRA                  02 páginas e 1 brasão ;

VIEIRA 2               18 páginas e 2 brasões ;

LOPES                  21 páginas e 20 brasões ;

LOPEZ – ESP.        01 página e sem brasão e

AFONSO               12 páginas e 5 brasões.

 

ZACHEU – não encontrei nada e nem com a grafia IZACHEU , que é o bíblico.

 

 

Marta , é o que tenho e espero que tenha um bom proveito e encontre suas raízes.

Tem referências, nos arquivos , de muitas obras onde você pode pesquisar.

 

Grande abraço

Afrânio Franco de Oliveira Mello

IHGGI / ROL – Região On line

 

Cordeiro, sobrenome de origem luso-espanhola .Podem os Cordeiros portugueses provir da família castelhana dos Corderos, mas também é provável que usem um nome derivado de alcunha, isto é, de um apelido.

Primitivamente alcunha. De cordeiro, subst. com. Do lat. chordariu, derivado de chordu, tardio em nascer (Antenor Nascentes, II,80). Antiga linhagem, originária de Astúrias. Procede da família Navarro (Anuário Genealógico Latino, I,35; Carrafa, XXVII, 163). Ilha de S. Miguel: o genealogista português Gaspar Fructuoso, em sua História Genealógica de Sam Miguel [Saudadas da Terra], escrita por volta de 1580, dedicou-se ao estudo desta família, em seu Capítulo VII – Dos Teves, e dos Cordeiros, antigos povoadores d´esta Ilha de Sam Miguel, e de alguns Mottas, e no Capítulo XXVII – Dos Benevides leados com os Cordeiros. Teves com os Velhos. E Periras, e com outros appellidos;

 

 

 

 

 

 

Rocha,  sobrenome português. Afirmam alguns genealogistas que a família deste nome provém de um «Monseur» de la Roche que teria vindo para Portugal durante o reinado de Dom Afonso III, tendo-o ajudado na conquista de Silves, último reduto árabe nos Algarves de aquém-mar.

Quanto à sua nacionalidade, nela não acertam tais autores, se bem que se diga que era francês ou flamengo.

Concretamente, no entanto, o que se sabe é que viveram em no tempo de Dom João I, e dele foram partidários na luta contra Castela, três irmãos de nomes Luís, Gomes e Raimundo da Rocha, a quem os genealogistas, neste ponto concordes, dão o tratamento de dom, que só lhes poderia advir do don espanhol.

De um ou mais dentre eles podem descender os Rochas portugueses.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Vieira, sobrenome  de origem portuguesa com raízes toponímicas, pode ele derivar tanto de Vieira do Minho como de Vieira de Leiria. Os Vieiras antigos tiraram o sobrenome da primeira daquelas, e deles se conhece logo em inícios do século XIII a Rui Vieira, sabendo-se que era fidalgo, pois segundo as Inquirições de Dom Dinís, se sabe que ele honrou a sua terra da comarca de Vieira do Minho. Daquele Rui Vieira foram filhos Pedro e João Rodrigues Vieira, que deixaram ambos descendência que continuou o nome.

 

 

 
De duas famílias Lopes, no entanto, é possível traçar a genealogia e verificar os ramos: os Lopes de Ciudad Rodrigo, de um ramo passou ao nosso país no séc. XV, e os que derivam de João Lopes, cavaleiro da Casa da Infanta D. Joana, beatificada como Santa Joana, filha de D. Afonso V.Lopes, Lopez, sobrenome de origem luso-espanhol. É este um patronímico, motivo pelo qual existirão inúmeras famílias que o adoptaram por apelido sem terem a menor ligação entre elas.

Tendo servido este monarca na defesa de Arzila e conquista das cidades de Tânger e Anafé, o Africano concedeu-lhe em 6 de Junho de 1476 carta de novas armas

Da baixa latinidade Lupici.

 

 

 

 

Afonso, sobrenome de origem portuguesa, sendo considerado um Patronímico, pois remonta ao nome próprio do fundador deste tronco familiar. Inicialmente, os primeiros a utilizar este sobrenome eram conhecidos como: “Fulano Filius Quondam Afonso” ou “ Fulano filho do senhor Afonso “ , já a Segunda ou terceira geração, ou seja, os netos ou bisnetos do senhor Afonso já utilizavam o nome do avô diretamente como sobrenome. Muito generalizado, pois  existem inúmeras famílias que o usam.

O seu uso foi particularmente comum entre os bastardos dos nossos primeiros reis. Vários reis espanhóis e portugueses usaram esse nome.

Nome de homem que, usado na forma patronímica transformou-se em sobrenome. Vem do germânico. Alteração do antigo “Adefonso”, do gótico “Hathufuns”, que foi encontrado em umdocumento datado do ano de 773. O primeiro elemento de Adefonso seria originário do germânico “athal”, que significa “nobre”, e que, no alemão moderno tem a forma “edel”. O segundo elemento seria “funs”, que tem por significado: pronto, inclinado (Antenor Nascentes, II, 5). Espanha: o genealogista espanhol A. Garcia Carrassa, em sua magnífica obra Enciclopédia Heráldica y Genealógica – Diccionário heráldico-genealógico de apellidos españoles y americanos, impresso entre 1919-1936, dedica-se ao estudo desta família [Carrassa – Enciclopédia, VI, 138].

 

===================================================================================================

Novamente eu!

Estou lendo Historia Insulana do padre Antônio Cordeiro e outras obras como : Saudades da Terra de Gaspar frutuoso,

mas não consigo chegar na Ilha Terceira. Apenas as historias dos irmãos Teve e de Pedro Cordeiro e etc e tal, que vieram

da França e ganharam novos sobrenomes …

 

só queria que soubesse que lí alguns textos e tal!

==================================================================================

Olá Sr. Afrânio,

Nossa! Fiquei feliz que já obtive resposta!

Então, como sou novata nisso tudo, espero que compreendas que cometo erros, mas vou tentar

explicar de como fui parar em Pedro Cordeiro! Sou de Florianópolis!

Marta Rocha Zacheu (filha de )

Nelson Rocha (filho de )

Domingos Rocha (filho de )

Manoel Vicente da Rocha (filho de)

Ignácio Vieira da Rocha (filho de )

Francisco Vieira da Rocha (filho de )

Francisco Vieira Cordeiro (filho de ) nasceu na Ilha Terceira e imigrou para A Ilha de Santa Catarina

Manoel Cordeiro (filho de )

Pedro Cordeiro (filho de )

Gaspar Lopes…..que casou com Anna Afonso …não sei mais nada!!!

obs. apenas um resumo direto das gerações. Comigo tenho nomes de esposas e filhos (não 100%)

obrigada pela consideração

======================================================================================

Subject: Pedro Cordeiro, da Ilha Terceira, Açores, Portugal

Boa tarde Sr. Afranio,

Me chamo Marta, amo genealogia e estou num projeto há anos sobre meus antepassados.

A familia de minha mãe conseguí bastante informações, mas a familia de meus pai, estou na decima geração e parei em Pedro Cordeiro. Existem várias pessoas com esse nome: Pedro Cordeiro, mas o que é meu descendente é da Ilha Terceira, casado com Ines de Aguiar, no ano de 1659 em Villa Nova (Terceira). Os pais desse Pedro foi: Gaspar Lopes e Anna Affonso. Essas informações eu consegui diretamente no registro que se encontra a disposição de quem queira pesquisar. Faço minhas buscas pela internet ( o que me ajuda grandemente). Lí num site que o Sr. ajuda, ou abençoa a vida de quem não consegue mais informações (claro que quando possível) então lhe escrevo para saber se o Sr. tem mais alguma informação que me ajude a saber sobre esse Pedro Cordeiro… tipo, falecimento, avós, nascimento….qquer outra informação que não seja essa unica que tenho de seu casamento.

Espero não estar aborrecendo o Sr. com esse email, pois não é minha intenção! Busco essas informações para conhecer, saber e compreender melhor a história de minha família que amo demais! Amo história, amo fatos do passado, amo fotografias e contos! Já que gosto tanto, procuro ser feliz fazendo pesquisas sobre meus antepassados.

Aguardo ansiosamente sua resposta

atenciosamente

Marta Rocha Zacheu

9 anexos

 

 

Visualizar o anexo lópez.jpg

lópez.jpg

Visualizar o anexo afonso.doc

afonso.doc

Visualizar o anexo cordeiro.doc

cordeiro.doc

Visualizar o anexo cordero – esp.doc

cordero – esp.doc

Visualizar o anexo lopes.doc

lopes.doc

Visualizar o anexo lopez – esp.doc

lopez – esp.doc

Visualizar o anexo rocha.doc

rocha.doc

Visualizar o anexo vieira.doc

vieira.doc

Visualizar o anexo vieira2.doc

vieira2.doc

 

Tags: