Gonçalves Viana: ‘Lua bonita…’

29/03/2019 18:25

Gonçalves Viana

‘Lua bonita…’

Carmen Miranda

Ao pontuar, de vez em quando, nas paradas de sucessos do nosso irmão do norte, o Tio Sam, uma música ou movimente musical, originário do Brasil, por consequência pontuará também no resto do mundo.

Para isso, muito contribuiu o pioneirismo da nossa pequena notável, ou The Brazilian Bombshell, como era conhecida na América do Norte: Carmen Miranda que em 1940, mudou-se de mala e cuia, de balangandãs e hat-fruits, para os Estados Unidos.

Dentre as várias músicas que fizeram sucessos lá fora, podemos citar: Tico-tico no Fubá (taico-taico in de fiuba, no sotaque ianque) de autoria de Zequinha de Abreu; Aquarela do Brasil de Ary Barroso; Delicado, o choro-baião de Waldir Azevedo, etc.

Já no final da década de 50, no século passado, um movimento musical brasileiro assumiu o seu lugar de destaque no cenário musical internacional, a Bossa Nova. Mas, isso, julgo eu, deveu-se muito ao fato de que ela tinha alguns resquícios do jazz.

Um pouco antes do advento da Bossa Nova, mais precisamente em 1953, houve mais um acontecimento que destacou o Brasil, no exterior. Foi no Festival Internacional de Cinema de Cannes, quando o Brasil ganhou o prêmio de melhor filme de aventura, e o de melhor trilha sonora, com o filme ‘O Cangaceiro’, direção de Victor Lima Barreto e roteiro de Rachel de Queiroz.

Essa premiação levou o filme para mais de 80 países, só na França ficou cinco anos em cartaz. Estrelavam o filme, entre outros, Alberto Ruschel, Marisa Prado, Milton Ribeiro, Vanja Orico, Adoniran Barbosa, Zé do Norte. Esse filme foi inspirado na lendária figura do cangaceiro Lampião.

A trilha sonora foi composta por Zé do Norte, que aproveitou uma música tradicional, ‘Mulher Rendeira’ e acrescentou mais três composições próprias: ‘Sodade, Meu Bem, Sodade’ interpretada no filme pela atriz Vanja Orico; ‘Lua Bonita’ cantada pelo ator e compositor, que também cantou ‘Meu Pinhão’.

Com exceção de Sodade, Meu Bem, Sodade, as músicas da trilha tiveram o acompanhamento feito pelo coro dos Demônios da Garoa que, durante as gravações, conheceram Adoniran Barbosa, que também atuava no filme, e com o qual, posteriormente, desenvolveram uma, das mais bem sucedidas, parceria musical – mas isto é assunto para outra ocasião – essa trilha sonora fez um enorme sucesso devido ao som agreste do nosso Nordeste, considerado exótico para os ouvidos europeus.

 

  Gonçalves Viana – viana.gaparecido@gmail.com

 

 MULHER RENDEIRA

Olé muié rendera

Olé muié renda

Tu me ensina fazê renda

Que eu te ensino a namorá

 

Lampião desceu a serra

Deu baile em Cajazeira

Botou as moças donzelas

Pra cantá muié rendera

 

As moças de Vila Bela

Não tem mais ocupação

E só vive na janela

Namorando Lampião

(Tradicional)

LUA BONITA

Lua bonita se tu não fosses casada

Eu preparava uma escada

Pra ir no céu te beijar

 

E se tu colasses teu frio com meu calor

Pedia a Nosso Senhor

Pra contigo me casar

 

Lua bonita me faz aborrecimento

Ver São Jorge num jumento

Pisando no seu quilarão

 

Pra que casastes

Com um homem tão sisudo

Que come, dorme, faz tudo

Dentro do teu coração

 

Lua bonita meu São Jorge é teu senhor

É por isso que ele vive pisando

Teu explendor

 

Lua bonita se tu queres meu conseio

Vai ouvir eu tô alheio

Quem te fala é meu amor

 

Deixa São Jorge no seu jubaio amuntado

Vem cá para o meu lado

Pra gente viver sem dor

(Zé Martins / Zé do Norte)

Tags: