Genealogia: Afrânio Mello fornece informações sobre as famílias Gomes e Valente

15/10/2020 19:27

Afrânio Franco de Oliveira Mello
Eleito em 2017/8 como um dos Melhores do Ano do Jornal Cultural ROL na categoria Melhor Genealogista e em 
2018 nas categorias Melhor Escritor e Melhor colunista de Jornal Virtual

Afrânio Mello fornece informações sobre as famílias GOMES e VALENTE

ATENDIMENTO NÚMERO 1.296 e 1.297

Atendendo sua solicitação via e-mail , encaminho o arquivo do sobrenome

Gomes, para o seu conhecimento.

  • Verifiquei a região de Oriximiná no Pará e não encontrei esse nome.
  • Alenquer também não encontrei.
  • Valente , segue o arquivo.

GOMES/GOMEZ………………..39 páginas e 37 brasões, inclusive a grande variedade de sua origem , espanhola.

VALENTE………………………….10 páginas e 12 brasões, de origem portuguesa, espanhola e italiana.

Veja que os seus brasões são dos mais belos que existem.

Um resumo dos arquivos enviados:

Gomes, sobrenome de origem espanhola. Tratando-se de um patronímico, pois remonta ao nome próprio do fundador deste tronco familiar, a seu propósito se dirá antes de mais nada que existiram muitas famílias que o adotaram por sobrenome e nenhum laço de sangue os ligavam entre si.   Inicialmente, os primeiros a utilizar este sobrenome eram conhecidos “Fulano Filius Quondam Gomes “ ou seja “ Fulano filho do senhor Gomes” , já a Segunda geração, ou seja, os netos do senhor Gomes já utilizavam o nome do avô como sobrenome.

Mas a ser verdadeira a dedução genealógica que se reproduz na mais antiga carta de brasão com armas de Gomes – 20 de Março de 1621 – é plausível que el-rei D. João II tenha concedido a Martim Gomes Bravo, fidalgo galego casado com Cecília Cardoso, criada da Infanta D. Joana ou Beata Santa Joana, irmã daquele monarca, as armas que terão erradamente passado a ser consideradas armas desta família.

Este sobrenome tem origem portuguesa e galega ( Norte da Espanha ). Existem registros do século IX como Gomizi e Gomiz, em espamhol utiliza-se Gomez e Güemes, sua origem provável pode ser, afirmam alguns genealogistas, vem de uma abreviação do visigodo  “ Gomoarius “ que significaria “ Homem de Guerra “ , o qual pôr vezes foi utilizado como nome próprio. Isto é de origem patronímica. Acima o brasão português e abaixo o brasão galego.

Sobrenome de formação patronímica: filho de Goma, do gótico guma, inglês antigo guma, antigo francônio goma, feito de goma. A forma primitiva seria Gomici, que nas fontes aparece como Gomece, Gomice, Gumice, Gomize, Gumize, Gomeze, Gomez. Já foi nome de batismo (Antenor Nascentes, II, 127). Segundo alguns, em Portugal, procedem da família Gomes, da Itália, onde era nobre, e da qual houve alguns «Patrícios» em Roma (Anuário Genealógico Latino, I, 50). Assim como os demais patronímicos antigos – Eanes, Fernandes, Henriques, etc. – este sobrenome espalhou-se desde os primeiros anos de povoamento do Brasil por todo o seu vasto território. Ilha da Madeira: o genealogista Henrique Henriques de Noronha, em sua importante obra Nobiliário Genealógico das Famílias da Ilha da Madeira, composta em 1700, dedicou-se ao estudo desta família [Henriques de Noronha – Nobiliário da Ilha da Madeira, Tomo II, 311]. Galiza: o genealogista, frei José S. Crespo Pozo, O. de M., em sua obra Linajes y Blasones de Galicia, dedica-se ao estudo desta família – Gómez [Pozo – Linajes de Galicia]. Brasil: Há diversas famílias com este sobrenome, em diversas partes do Brasil, de origem portuguesa, colombiana, espanhola. paraguaia, argentina, uruguaia, etc. No Rio de Janeiro, entre as quase 150 famílias com este sobrenome, dos séculos XVI e XVII, temos a de Amador Gomes, n. por volta de 1598 e fal. antes de 1654.

Valente, Valiente,   sobrenome  de origem latina, pois existem famílias de origem portuguesa, italiana e espanhola, primitivamente classificado como alcunha . Nome de homem, também usado como nome de família. Do latim Valente, de valenstis, forte na saúde (Antenor Nascentes, II, 309). A família tem a mesma origem dos Freitas. Afonso Peres Valente foi o primeiro que se chamou Valente  (Anuário Genealógica Latino, I, 93). Felgueiras Gayo, em seu Nobiliário de Famílias de Portugal [Tomo XXVIII], principia esta família em D. Gonçalo Oveques, homem da idade média, que fundou o Mosteiro de Sete. Foi quarto avô de Affonso Pires Valente, o primeiro que indica com o uso deste sobrenome. Brasil: Sobrenome de uma família estabelecida no Rio de Janeiro; e outra em São Paulo. Sobrenome de diversas famílias estabelecidas no Pará, vinda da Praça de Mazagão, em África, ramo da antiga família Valente do Couto. Entre outros, registram-se: A – Antônio Valente Cordeiro, que, no estado de viúvo, migrou para o Pará, compondo o grupo 340 famílias que embarcaram para o Brasil, em 1770, estabelecendo-se na nova colônia de Mazagão. Fazia parte do corpo de Infantaria da 1.ª Companhia, grupo familiar n.º 31, recebendo 26$854 rs. de soldo e moradia. Veio em companhia de quatro filhos, entre eles: I – João José Ribeiro, que encabeçava o grupo, com 82$0661 de soldo; II – Francisco Luiz Ribeiro, com 36$734, de soldo e praça; e III – Manuel Vicente Ribeiro, com 30$787, de sua praça; B – Capitão Antônio Valente Cordeiro [c.1775, PA -], que deixou geração do seu cas. com Constança Maria de Jesus Bello. Foram pais de: I – Paulo Valente Bello [c.1800, PA -], Alferes de 1.ª Linha do 1.º Regimento, casado em 1825, em Belém, PA, com Maria Juliana de Mendonça Corte-Real, filha do Tenente-Coronel Diogo de Mendonça Corte-Real e de Leonor de Pinho Velasco, procedentes de famílias de Mazagão, África. Sobrenome de uma família de origem italiana estabelecida no Brasil, onde chegou a 07.11.1882, a bordo do vapor France, Gaetano, natural da Itália, procedente de Genova, católico, 45 anos de idade, com destino a Bethlem Descalvado – SP [Hospedaria dos Imigrantes – São Paulo, LIVRO 001, pág. 052 – 07.11.1882]. Sobrenome de uma família de origem italiana, estabelecida no Brasil, onde chegou a 13.09.1882, a bordo do vapor Bearid, Gius Valente, natural da Itália, procedente de Genova, católico, 27 anos de idade, com destino à capital do Estado de São Paulo [Hospedaria dos Imigrantes – São Paulo, Livro  001, pág. 071 – 13.09.1882]. Sobrenome de uma família de origem italiana estabelecida no Brasil, onde chegou a 13.09.1882, a bordo do vapor Bearid, Angelo Valente, natural da Itália, procedente de Genova, católico, 27 anos de idade, com destino à capital do Estado de São Paulo [Hospedaria dos Imigrantes – São Paulo, Livro 001, pág. 071 – 13.09.1882]. Sobrenome de uma família de origem italiana estabelecida no Brasil, onde chegou, a 14.03.1884, Angeli Valente, natural da Itália, procedente de Genova, 30 anos de idade, com destino a Campo Limpo – SP [Hospedaria dos Imigrantes – São Paulo, Livro 002, 022 – 14.03.1884]. Sobrenome de uma família de origem portuguesa estabelecida no Brasil, onde chegou a 19.02.1884, a bordo do vapor Neva, Manoel da Silva Valente, natural de Portugal, procedente de Lisboa, 16 anos de idade, com destino a Rio Claro – SP [Hospedaria dos Imigrantes – São Paulo, Livro 002, 009 – 19.02.1884].

Espero que goste e que encontre sua ascendência.

Abraços
Afrânio Franco de Oliveira Mello
afranio@tintaspig.com.br

Observação:
“Estas informações estão sendo fornecidas gratuitamente e serão publicadas na edição virtual do Jornal Cultural
ROL – (www.jornalrol.com.br).
A não concordância com esta publicação deve ser informada imediatamente.
Gratos”

 

 

 

 

 

 

Tags: