Genealogia: Afrânio mello fornece informações sobre a familia MEIRA

29/09/2019 22:39

Afrânio Franco de Oliveira Mello
Eleito em 2017 na categoria ‘Melhor Genealogista’
Eleito em 2018 nas categorias ‘Melhor Escritor’, ‘Melhor genealogista’ e ‘Melhor colunista de Jornal Virtual’

ATENDIMENTO NÚMERO 1.175

Prezada Fabiana, boa tarde.

Atendendo sua solicitação, encaminho o arquivo do sobrenome MEIRA.

Curiosidade para você… eu também descendo desse sobrenome,

Escrevo um livro denominado “ Eu e os Meus – Corrêa Franco e Meira “ que

devo lançar em breve.

Conta a história dessas duas família em minha região de Itapetininga.

Será uma bela história.

Os Meira se espelharam pelo Brasil e um grande concentração na Bahia.

Tem referências sobre o Rio Grande do Sul.

 

Tenha um bom estudo e espero que encontre os seus MEIRA.

MEIRA

11 páginas e 2 brasões no arquivo e mais 2 em separado para confecção de quadros.

Meira, sobrenome de origem galega. Sobrenome de raízes toponímicas, foi tirado da vila de Meira, na diocese de Tui, na Galiza. Fazem-na derivar de Rodrigo Afonso da Meira, marido de D. Ourana Correia, filha de Paio Soares Gravel, com geração que deu continuidade a este apelido.

Na atualidade, são conhecidas pelo menos três famílias deste apelido a residir em Viana do Castelo sem que estejam estabelecidas relações de parentesco entre si.

Vem esta família de Pedro de Novais, o velho, rico-homem de D. Sancho II. Seu solar era junto à lagoa chamada Meira, donde nasce o rio Minho. Passou a Portugal Paio de Meira, no tempo de D. Diniz, fal. em 1325, rei de Portugal (Antenor Nascentes, II, 64). Brasil: Para o Brasil, em princípios do séc. XVII, vieram Marcos de Meira [1693- ?] e Luiz de Meira [1706- ?], filhos de Baltazar de Meira. Vieram ainda criança e foram habitar Serro Frio (Minas Gerais). Dali a família se ramificou e desceu até o Estado da Bahia. Um ramo ficou no Estado do Rio de Janeiro, onde viviam os Alves Meira, outro para São Paulo, onde existem os Meira Penteado, Meira Godói, Meira Botelho, etc. Na Cidade de Camamu (BA), nasceu Francisco Antunes Meira, em princípio do séc. XVIII o qual veio estabelecer-se na Paraíba do Norte e aí casou-se com D. Isabel Mariana de Castro. Deste casal descendem todos os Meiras do Norte do Brasil, hoje também dispersados pelo Sul do Brasil – do Pará ao Rio Grande do Sul (Anuário Genealógico Brasileiro, IV, 165). Antiga família de origem espanhola estabelecida em Minas Gerais, com ramificações na Bahia, onde chegou o capitão Francisco de Souza Meira, que do julgado de São Romão, em Minas Gerais, passou para a fazenda Brejo do Campo Seco, onde se estabeleceu, dando origem ao lugar de Bom Jesus dos Meiras, atual cidade de Brumado. Entre os seus descendentes, registra-se o filho, Rodrigo de Souza Meira Sertã, de quem descendem os Meira de Brumado, do seu casamento com Maria Carlota de Castro, filha de Joaquim Pereira de Castro, patriarca desta importante família Pereira de Castro (v.n.), da Bahia. Destes Meira descendem os Pinheiro Canguçu. Ainda, entre os membros desta família, registra-se Ana Joaquina de Santo Antonio Meira, do Brumado, cujos filhos foram os fundadores das famílias Cristal (v.s.) e Mirante (v.s.), ambas da Bahia [Arquivo do genealogista Jorge Ricardo Fonseca – Bahia]. Heráldica: um escudo em campo vermelho, com uma cruz florenciada e vazia, de ouro. Timbre: um galgo de negro, com língua e coleira de vermelho (Armando de Mattos – Brasonário de Portugal, II, 26).

 

Meira de Castro,  sobrenome de uma família estabelecida no Rio de Janeiro, originária do Maranhão. A união dos dois sobrenomes teve princípio no General-Médico Dr. Raimundo Pereira de Castro [c.1852, São Luiz, MA – ?], diretor do Hospital Central do Exército, que deixou numerosa descendência de seu cas., c.1878, com Maria Amélia de Paiva Meira [c.1855 – ?], filha do Cons. João Florentino Meira de Vasconcelos, da importante família Meira de Vasconcelos (v.s.), da Paraíba. Foram pais, entre outros, de Maria Augusta Meira de Castro [16.04.1875, S. Luiz, MA – 04.07.1922, RJ], que foi cas., a 15.08.1903, com Dr. João Muniz Barreto de Aragão [17.06.1874 – 16.01.1922], filho do barão de Mataripe, membros da importante família Muniz Barreto de Aragão (v.s.), da Bahia.

 

Meira de Vasconcelos, antiga família estabelecida na Paraíba, que se espalhou pelo norte e sul brasileiro. Dos Meiras da Paraíba e Pernambuco, originaram-se os do Pará, que teve princípio em José Bento Meira de Vasconcelos, Capitão Mor, Senhor de Engenho em Pernambuco. Deixou numerosa descendência do seu cas., com Isabel Cândida da Anunciação Meira, de Pilar, Paraíba. Entre os descendentes do casal, registram-se: I – o filho, Dr. Olinto José Meira [07.07.1829, Pilar, PB – 09.10.1901, PB], Advogado, Bacharel em Direito [PE-1851], Juiz de Direito, Chefe de Polícia [PA-1861], Deputado Provincial, pela Paraíba, Deputado Provincial, pelo Rio Grande do Norte, Deputado à Assembléia Geral [PA-1859] e Presidente das Províncias do Pará e Rio Grande do Norte [1863]. Foi casado duas vezes: a primeira, com Maria Joaquina de Albuquerque Sá; e o segundo, a 06.1872, com Maria Generosa Meira Ribeiro Dantas [09.05.1851 -], filha do senhor de engenhos, Miguel Ribeiro Dantas Filho, e neta do barão de Mipibú, membro da importante família Ribeiro Dantas (v.s.), do Rio Grande do Norte; II – o neto, o político e magistrado, Dr. Francisco Sales Meira Sá [29.01.1856, Souza, PB – 16.12.1920], filho do item I, no primeiro matrimônio. Promotor de Ceará-Mirim (RN). Juiz Municipal e de Órfãos de Natal. Constituinte estadual de 1891 e de 1892. Juiz de Direito de Ceará-Mirim (RN). Desembargador do tribunal de Justiça, Chefe de Polícia do Estado, Senador Federal e Juiz Secional, no Rio Grande do Norte (CB – Famílias do Pará, VIII, 7); III – o neto, Dr. João Florentino Meira de Vasconcelos [1823, Tabaiana, PB – 10.03.1892, RJ], dew quem descendem os Meiras do Rio de Janeiro e São Paulo. Promotor Público de Pilar (PB), Deputado Geral [1867, 1878], Juiz de Direito do Pará [1869], Chefe de Polícia do Ceará, Senador [PB-1880], Pres. de Minas Gerais [1881], Cons. do Imperador [1882], Ministro da Marinha [1882] e Ministro dos Negócios [1885]. Magistrado, COR, Cavaleiro da Ordem de Cristo. Deixou numerosa descendência de seu cas. com Maria Augusta de Paiva, filha de Bartolomeu de Paiva e de Ana Machado; IV – o neto, dr. José Augusto Meira Dantas [11.12.1873, Ceará-Mirim, RN – 21.03.1964, Belem, PA], bacharel em Direito, pela faculdade de Direito do Recife, PE [1899]. Prêmio de viagem 1as Europa, somente realizada em 1907. Promotor Público de Santarém. Professor da cadeira de Direito Penal da Faculdade de Direito do Recife, PE [1908]. Deputado Estadual [1913]. Senador Federal [1947]. Com geração do seu cas., a 21.01.1905, com Anésia Pinto de Guimarães Bastos [04.09.1885, Santarém, Pac- 16.12.1955], filha do Coronel Joaquim Bastos e de Leodolinda Pinto de Guimarães, e neta mterna do barão de Santarém, um integrante da família Pinto Guimarães (v.s.), do Pará; V – a bisneta, Maria Amélia de Paiva Meira, filha do item III, matriarca da família Meira Castro (v.s.), do Rio de Janeiro; VI – o bisneto, Dr. Sérgio Florentino de Paiva Meira [1857, Pilar, PB – ?], irmão da anterior. Doutor em medicina, pela Fac. do Rio de Janeiro, que se estabeleceu em São Paulo, como clínico, onde foi nomeado Inspetor de Higiene Pública; VII – o bisneto, o historiador Augusto Ebreamar de Bastos Meira [05.08.1915, Belém, PA – 08.07.1980], filho do item IV. Engenheiro civil, diplomado pela Escola de Engenharia do Pará. Professor de Matemática em cursos particulares. 2.º Oficial da antiga Câmara dos Deputados. Vereador à Câmara Municipal de Belém e seu secretário geral. Agente Consular da França, no Pará e Amapá. Com geração do seu cas. com Maria de Lourdes de Passos Freitas, filha de Aurelio Freitas e de Joana Passos, de família do Piauí; VIII – o bisneto, Otávio Augusto de Bastos Meira p28.02.1908 – 06.04.1938], irmão do anterior. Advogado. Professor da faculdade de Direito do Pará. Interventor Federal no Pará. Prefeito Municipal de Belém. Com geração; IX – o bisneto, Cecyl Augusto de Bastos Meira [01.01.1914 -], bacharel em direito pela Faculdade do Pará [15.12.1935]. Professor de Direito na Faculdade do Pará. Livre docente de Língua Portuguesa do Colégio Estadual Paes de Carvalho [1940]. Catedrático do mesmo Colégio [1943]. Catedrático de direito judiciário civil, da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Pará [1949]. Cônsul da Bélgica, no Pará, Maranhão e Amapá, desde 1947. Chevalier de L’Ordre de Leopold, concedida pelo Rei da Bélgica. Com geração; X – o bisneto, Ruy Augusto Bastos Meira [30.11.1921, Belém, PA -], irmão do anterior, engenheiro civil e pintor. Professor da Escola Industrial do Parál; XI – o bisneto, Clovis Augusto Bastos Meira [01.07.1917, Belém, PA -], irmão do anterior, médico. Professor de Medicina Legal da Faculdade de Direito do Pará; XII – o bisneto, Sílvio Augusto Bastos Meira [04.05.1919, Belém, PA -], irmão do anterior, advogado. Professor da Direito Romano da Faculdade de Direito do Pará. Ainda, na Paraíba, cabe registrar: XIII – o mestre de Direito, Dr. Albino Gonçalves Meira de Vasconcelos [10.03.1854, Pilar, PB – 10.06.1908], Bach. em Direito [PE-1875], deputado à Assembléia Provincial da Paraíba, Prof. catedrático da Faculdade de Direito do recife e Governador de Pernambuco, nos primeiros tempos da República. Senador estadual em Pernambuco. Mestre de Direito, tribuno e jornalista (A. Nóbrega, Bacharéis, 74, 114); XIV – o General José Meira de Vasconcelos [24.04.1878, PB -], oficial militar. Praça [25.02.1895], Aspirante [1902], 2.º Tenente [1907], 1.º Tenente [1909], Capitão [1917], Major [1922], Tenente-Coronel [1926], Coronel [26.07.1928], General de Brigada [07.09.1934], General de Divisão do Estado Maior [19.02.1938]. Comendador da Ordem do Mérito Militar. Grande Oficial da Ordem “Al Merito”, da República do Chile. Medalha de Prata Comemorativa do Cinqüentenário da Proclamação da República. Registra-se, ainda, em Pernambuco, a família do Dr. José Lourenço de Meira Vasconcelos, que foi pai do Dr. José Vicente de Meira Vasconcelos [1850, Olinda – 1920], Oficial do Gabinete do barão de Lucena [1872], Promotor Público, Deputado [1881], Deputado à Constituinte [1891], Gov. de Pernambuco [1891] e Deputado Federal [1912].

 

———- Forwarded message ———
De: Fabiana Martins <fabianamartinsp23@gmail.com>
Date: sex, 13 de set de 2019 às 23:11
Subject: sobrenome MEIRA
To: <afraniomello@itapetininga.com.br>

 

BOA NOITE!

ME CHAMO FABIANA MARTINS

MINHA TRÍS AVÓ SE CHAMAVA JOVINA  MEIRA

RESIDENTE NA CIDADE DE TAQUARI RS .

GOSTARIA DE MAIS INFORMAÇÕES  SE POSSIVEL

Tags: