Genealogia: Afrânio Mello fornece informações sobre a familia Marvila

20/12/2015 00:30
Afrânio Mello

Afrânio Mello

Afrânio Franco de Oliveira Mello: ATENDIMENTO NÚMERO 573

 

Caro Messias, boa tarde.

 

Demorou quase um mês mas consegui.

Segue o arquivo com 8 páginas e 1brasão.

Tem diversos nomes que podem ser de algum ancestral seu.

Boa pesquisa.

 

Afrânio Franco de Oliveira Mello
IHGGI / ROL – Jornal On Line

 

 

 

clip_image002Marvila, Marvilla

sobrenome de origem portuguesa. Sobrenome de origem toponímica. Os primeiros que usaram esse sobrenome eram pessoas oriundas da freguesia de Marvila na região metropolitana de Lisboa, Portugal. O sobrenome se espalhou para outras regiões da Europa, especialmente Espanha e França.

 

Registra-se Francisca Rigali Marvila, nascida em 17.01.1853, La Jonquera, Gerona, Catalunha, Espanha; filha de Pedro Rigali Dautaner e Rosa Marvila Alvenir que nasceu em 1830, Bajés, França; filha de Francisco Marvila e Maria Alberni. Francisca teve os seguintes irmãos: Maria Rigali Marvila, nascida em 1855; Amadeo Rigali Marvila, nascido em 1857 e Isabel Rigali Marvila, nascida em 1860.

Registra-se Benedito Marvila, nascido em 26.12.1921, Vila de Itapemirim, Espírito Santo, Brasil e falecido em 06.06.1986, Cariacica, ES, Brasil; casou-se em 1949 com Madalena de Souza Pereira, Vila de Itapemirim, ES, Brasil.

Registra-se Giovanna Marvilla, nascida em 1818, Pozzallo, Ragusa, Itália; casou-se em 1838 com Calogero Antonio Scala. Teve três filhos: Natalia Scala, nascida em 1840, Antonio Scala, nascido em 1844 e Maria Scala, nascida em 1846.

Registra-se Baulina Marvilla, nascida em 1812, Pozzallo, Ragusa, Itália; casou-se em 1830 com Gavino Liagono Loremia.

Registra-se Hanna Marvilla, nascida em 1777, Inglaterra; casou-se em 1790 com Joseph Barkley na Pennsylvania, Estados Unidos. Faleceu em 25.07.1834, Edgar, Illinois, Estados Unidos. Teve um filho: Hugh Barkey, nascido em 1792, Pennsylvania, Estados Unidos.

 

Registra-se Olindo Antonio Marvilla, nascido em 04.07.1899, Itapemirim, ES, Brasil e falecido em 16.02.1982; filho de Emílio Antonio Marvilla, nascido em 1870, Itapemirim, ES, Brasil e Ana Maria do Espírito Santo, nascida em 1878, Itapemirim, ES, Brasil; casou-se em 1918 com Marphiza Trindade em Itapemirim, ES, Brasil.

Registra-se Ignes Margarida Leonida Marvilla, nascida por volta de 1850, Lisboa, Portugal, imigrou para o Rio de Janeiro, Brasil, em 1898, junto com seu esposo Pedro Carlos Ferreira, sua filha Maria Paulina Fernandes da Matta e seus netos, Carlos Frederico da Rocha, Antonio José Coelho da Rocha Sobrinho e Bernardina Maria da Cunha.

 

Região de Origem do Sobrenome

clip_image004Marvila 

é uma freguesia portuguesa do concelho de Lisboa, pertencente à Zona Oriental da capital, com 7,12 km² de área e 37 793 habitantes (2011).

O sítio de Marvila, tão velho quanto a fundação da nacionalidade, é dos bairros mais típicos da zona oriental da cidade de Lisboa. Até ao século XIX, sucediam-se agradáveis quintas nesta vasta zona de Lisboa e era grande a fertilidade das terras banhadas pelo Tejo.

Era, até há pouco tempo, uma freguesia essencialmente rural, onde proliferavam as quintas e as hortas. Ainda hoje, os exemplos são fáceis de detectar: a Quinta dos Ourives, a da Rosa, a das Flores, a das Amendoeiras, a do Leal, a do Marquês de Abrantes… Estas propriedades eram exploradas, na sua maioria, por gentes originárias do norte do País e abasteciam os mercados ambulantes, espalhados pelo bairro, pela vizinhança e, mais tarde, por toda a Capital. Ao antigo mercado da Praça da Ribeira, a  mercadoria chegava transportada por carroças. Essa população originária do norte trouxe muitos dos seus hábitos e costumes, nomeadamente, a Feira da Espiga, que poderá ter origem num costume dos hortelões nortenhos. Mas de zona rural, Marvila transformou-se, com o passar dos anos, em zona urbana de fisionomia bairrista e fabril. Todavia, ainda hoje se vêem vestígios de uma grande actividade hortícola. O palácio do Marquês de Abrantes, na rua de Marvila, ou o da Mitra, na rua do Açúcar, são verdadeiros exemplares dos vários solares que ali foram edificados. Também os monumentos de carácter religioso abundavam, como o antigo Mosteiro de Marvila. No século XX, continuou a instalação de unidades fabris desde a rua do Açúcar até Braço de Prata. São deste período as tanoarias da rua Capitão Leitão e os armazéns de vinhos de Abel Pereira da Fonseca (que, pouco antes de morrer disse a seus descendentes “enquanto o Tejo tiver água, nunca deve faltar vinho a Lisboa”). Hoje, estes armazéns estão transformados em centros culturais.clip_image006

A actual Marvila, freguesia criada pelo Dec.-Lei 42.142 de 7 de Fevereiro de 1959, é bem significativa da zona periférica de uma grande cidade europeia em franco crescimento. Beneficiou, consideravelmente, com a realização do grande evento que foi a Expo 98. O seu padroeiro é Santo Agostinho.

A Junta de Freguesia de Marvila é situada na Avenida João Paulo II, ao lado da 16ª Esquadra da “Zona J” de Chelas. Tem um sítio na Internet e um jornal mensal e gratuito para todos os habitantes de Marvila.

 

 

Mapa de Lisboa, Portugal

clip_image007

From: Messias Silva Marvila

Sent: Wednesday, November 25, 2015 3:18 PM

To: afranio@tintaspig.com.br

Subject: Árvore genealógica da minha família

 

Boa tarde AFRÂNIO MELLO  estou aqui para pedir pra vc fazer da minha família

FAMÍLIA “MARVILA”.

Desde já agradeço!!!

 

Tags: