Escritor tatuiano agradece presença de escritores de Sorocaba

11/08/2017 01:31

Ivan Camargo envia mensagem de agradecimento aos escritores Elcio e Adriana

Agradecendo publicação de matéria no ROL e a presença na noite de lançamento de seu livro ‘Golpe Baixo’, o escritor e jornalista tatuiano Ivan Camargo enviou mensagem aos escritores sorocabanos Elcio Mario Pinto e Adriana Rocha.

Eis na íntegra o conteúdo da matéria publicada no ROL:

Élcio Mário Pinto: ‘Literatura livre’

10/08/2017

Tudo começou quando o editor do Jornal ROL, Helio Rubens, publicou uma matéria divulgando o livro “Onde moram os tatus”, de Ivan Camargo.

Como colunista do ROL, escrevi ao Helio perguntando: como posso adquirir o livro? A resposta foi imediata e com o e-mail do autor.

Escrevi ao Ivan, de Tatuí/SP, que prontamente me respondeu dizendo que me enviaria um exemplar acompanhado de outra publicação sua: “Assombrações Caipiras”.

Trocamos alguns e-mails e assim que o livro chegou, pelos Correios, comecei a ler. A leitura tornou-se mais do que instigante e provocadora! Tudo tão bem entrelaçado, em continuidade, personagens ligados, ambientes contíguos, enfim, uma produção muito bem construída!

O destaque que apresento deu-se por este fato: minha esposa Adriana diz que meu humor para piadas deixa a desejar. De fato, as piadas, normalmente, não me tiram risos. Não sou bom participante de brincadeiras em palco. Mas, com “Onde moram os tatus”, toda a minha dificuldade com o riso de situações hilárias se foi. Ri, ri muito, deliciei-me com os textos e com lágrimas de alegria compartilhei com quaisquer pessoas que encontrava. Foi o que aconteceu enquanto esperava atendimento médico. Nem lá, consegui parar de ler, rir, entender e aprender sobre os personagens e os ambientes construídos por Ivan, o autor.

Aliás, faço questão de revelar que, três livros me marcam muito (por ordem cronológica):

– “O menino do dedo verde”, de Maurice Druon.

– “O Carvalho”, de Jorge Facury – também nascido em Tatuí.

– “Onde moram os tatus” – de Ivan Camargo.

E ontem, 08 de agosto de 2017, uma terça-feira à noite, no Museu Histórico Paulo Setúbal, outro tatuiense – que faleceu em 1937 – lá estava Ivan Camargo lançando seu novo livro: “Golpe Baixo”.

Em Tatuí/SP, com um público tão interessado, Adriana e eu percebemos, entre os jovens, um rapaz alegre, entusiasmado e feliz! Começamos a conversar e soubemos tratar-se de alguém ligado ao Teatro. César apresentou-se e se disse realizado por estar naquele lançamento. Então, sem dúvida alguma, oferecemos a ele um exemplar do novo livro do Ivan. César nos agradeceu com a alegria da juventude e do mais verdadeiro sentimento. Ali, festejamos a união pela Literatura, a amizade, a confiança e a liberdade.

Por falar nela, depois do autógrafo do Ivan e de uma última conversa, já à mesa dos comes e bebes, Dri e eu dissemos ao César: você é uma pessoa de ALMA LIVRE!

Deixamos Tatuí e voltamos para casa, em Sorocaba.

Que todas as almas, com a Literatura, ganhem fôlego e sejam LIVRES!

ÉLCIO MÁRIO PINTO

 

 

Em mensagem enviada aos escritores, Ivan Camargo diz:

De: Ivan Camargo Gonçalves<ivancamargo40@gmail.com>
Data: 10 de agosto de 2017 10:27
Assunto: Re: PARA VOCÊ, IVAN!
Para: ÉLCIO MARIO <elcioescritor@gmail.com>

PARA VOCÊ, IVAN!

Meus queridos amigos Élcio e Adriana! Procuro responder-te com calma, pensando detalhadamente em cada palavra que melhor expresse minha gratidão por sua gentileza, mas, confesso, não encontro nada capaz de representar meu sentimento.Meu caro, também por conta de meu trabalho, no jornal, estou acostumado a desaforos, arrogância, ingratidão… É, vivemos um momento de injustificada soberba, que parece estar tornando as pessoas cada vez menos afáveis, gratas, gentis… O “bom caipira” está desaparecendo… Tem hora em que desanima, mas, como faz parte do trabalho – e todo trabalho que busca ser bem feito é custoso -, seguimos em frente. No entanto, também cada vez mais, insensibilizando-nos – o que não é nada bom, com certeza.Mas, de repente, acontece de levarmos um tapa violento de realidade – outra realidade, uma que nos estimula, que comprova haver, ainda – e que maravilha! – seres humanos absolutamente dignos, gentis, carinhosos, solidários… Seres humanos que, como se diz, nos fazem acreditar que, sim, ainda merecemos ocupar este planetinha, que não somos uma raça tão ruim assim, que apenas desconstrui.Um amigo sobre o qual lembrei a você no dia do lançamento, o professor Josué Fernandes Pires, costumava dizer que, na vida, há os tais “edificadores”, que fazem as coisas acontecer, que somam, constroem!Você, caro amigo, é um edificador!Sou muito grato por nossos rumos terem se cruzado, e que, desse caminho em comum, muitas e belíssimas paisagens ainda possamos compartilhar, especialmente nos campos da literatura. Com sincera e profunda gratidão, agradeço-te pela visita e pelas palavras. Imenso abraço e a você e à Adriana!Ivan (Por favor, se possível, peça ao amigo Hélio que compartilhe minha gratidão também no ROL).

Tags: