Escola ‘Coronel’, de Porto Feliz, inaugura Jardim Sensorial

27/06/2018 11:23

A ideia é, a partir da composição de um jardim, propiciar experiências sensoriais (olfato, tato, audição, visão…), com elementos naturais como plantas, pedras, madeira

 

No último dia 23, sábado, às 8 horas, foi inaugurado na EMEF Coronel Esmédio o projeto “Jardim Sensorial”, idealizado pela professora de atendimento educacional especializado Daiane Teresa Lara Campos.

A ideia é, a partir da composição de um jardim, propiciar experiências sensoriais (olfato, tato, audição, visão…), com elementos naturais como plantas, pedras, madeira.

O projeto surgiu com a iniciativa de favorecer os alunos com necessidades especiais, inclusos em rede escolar comum, mediante a disponibilização de um espaço subutilizado na escola. Com a mobilização de empresas a escola conseguiu parcerias para o desenvolvimento do projeto “Jardim Sensorial”, que contou com doações e também auxílio na mão de obra. As empresas participantes do projeto, Amil Gramas e Segatex, doaram o material necessário para a construção do jardim. A comunidade escolar também foi mobilizada e a escola recebeu apoio de Diogo Schiavano Menegon para a realização da mão de obra, bem como do fotógrafo Lucas Bronzato que registrou todo o processo de transformação do lugar.

No decorrer do desenvolvimento do projeto, os alunos que fazem uso do atendimento especializado (sala de recurso) puderam ampliar seus conhecimentos e desenvolveram novas habilidades. Vale ressaltar o exemplo de um aluno portador de discalculia que conseguiu aplicar os conteúdos matemáticos durante o desenvolvimento do projeto, realizando cálculos de medidas para a compra de material.
O projeto estimula a pesquisa das plantas a serem utilizadas no jardim, bem como nome científico, condições climáticas para melhor desenvolvimento e os benefícios para a saúde, abarcando diversos conhecimentos produzidos em sala de aula e aplicados dentro do projeto.

“O projeto não se encerra, pois o espaço tornou-se indispensável para acrescentar nos conteúdos apresentados em sala de aula. Dessa forma, os professores conseguem enriquecer sua aula trabalhando de forma diversificada e atendendo todo público escolar especialmente os alunos inclusão, que na maioria das vezes, necessitam de atividades apresentadas de forma lúdica”, define a professora Daiane Campos.

A EMEF. Coronel Esmédio é dirigida pela professora Michelle Alexandra Alves Pinho, que tem dado apoio a várias iniciativas de professores e profissionais da unidade escolar visando a melhoria das práticas pedagógicas.

Tags: