Elza Francisco: ‘Antonio Arthur de Castro Rodrigues’

07/02/2019 11:53

Muito estudioso, dedicou-se ao barroco brasileiro. Conviveu com Artistas Plásticos como Di Cavalcante, Campos Ayres, Carlos Ayres, Manoel Santiago e outros. Falava, fluentemente, a Língua Francesa.”

Ao passar parte da minha vida em Itapetininga – SP, fui honrada ao conhecer ilustres Personalidades, como o  Doutor Antônio Arthur de Castro Rodrigues.

Mestre da Arte em bico de pena. Nasceu em Cristina, Minas Gerais. Passou pelo Vale do Paraíba, na cidade de Lorena-SP, onde viveram alguns dos seus ancestrais.

Ainda jovem, mudou-se para Itapetininga, Estado de São Paulo, onde casou-se com a Professora Ana Maria Iglesias de Castro Rodrigues. Dessa união nasceram três filhos.

Muito estudioso, dedicou-se ao barroco brasileiro. Conviveu com Artistas Plásticos como Di Cavalcante, Campos Ayres, Carlos Ayres, Manoel Santiago e outros.

Falava, fluentemente, a Língua Francesa.

Em Itapetininga, foi Presidente do Centro Cultural Brasil – Estados Unidos   por mais de trinta anos e  Diretor Fundador do Museu de Arte “Carlos Ayres”.

Organizou vários Salões de Artes, com Artistas Plásticos consagrados do Brasil, na Cidade de Itapetininga. Foi membro do júri do  52º Salão Paulista de Belas Artes de São Paulo.

Diretor de Artes Plásticas na Casa da Cultura, na cidade onde morou. Obteve honrosas premiações em diversos salões nacionais onde expôs  os seus trabalhos.

Foi Membro da União Brasileira de Escritores de São Paulo e da Associação Paulista de Belas Artes.

Citado nos livros “Artes Plásticas no Brasil”, edição 1987, 1988, 1989 e 1990, de Júlio Louzada, São Paulo; na “União Brasileira de Escritores” (UBE) no período de 1942 a 1982; na Obra “Itapetininga, Ontem e Hoje”, de Carlos Fidencio, Editora CEON, São Paulo e no Guia de Artes Plásticas de São Paulo; Autor do livro “Cidades Históricas de Minas Gerais”, Editora Ateniense, São Paulo, 1991.

Membro do Lions Club de Itapetininga, por muitos anos.

Cidadão Honorário de Itapetininga.

Apaixonado pelas Artes Plásticas, retratou, com a refinada técnica de bico de pena, Itapetininga e a Cidade de São Paulo nas Obras: “Folheto Histórico de Itapetininga”, “Reminiscências de São Paulo”, Reminiscências de Itapetininga”.

A narrativa sobre o Mestre da Arte em bico de pena, o Ser Humano de coração leve, magnânimo emociona-me. Fomos  grande Amigos. Muito aprendi.com Dr. Antônio Arthur e sua Esposa Ana Maria, nas nossas longas conversas na residência do casal.

Doutor Antônio Arthur,  expressava  o seu grande carinho e respeito  à  Escola Agrícola de Itapetininga, onde por um momento da sua Vida, prestou grandes serviços.

Sou muito grata ao Artista, ao Mestre das diversas Letras e Expressões.

Faleceu em Itapetininga, onde deixou um belíssimo Legado para a História, as Artes Plásticas e a Cultura.

Meu respeito, gratidão e homenagens!

 

Elza Francisco – elza.francisco@uol.com.br

Tags: