Eduardo César Werneck: ‘The longest day… The longest day…’

30/01/2018 14:27

“Pois é, sempre ficamos preocupados com programações extensas, pois podem dar certo ou não… contudo, a última Sessão da ACLA – Academia Cruzeirense de Letras e Artes, foi longa… extensa… nunca cansativa, e mais uma vez inesquecível…”

 

No Brasil, este filme teve o título traduzido para “O Mais Longo dos Dias”. Um enredo sobre o desembarque das tropas aliadas, na Normandia, durante a II Grande Guerra, e todos os preparos prévios, para aquilo que ficará para a história como – Dia “D”.

Pois é, sempre ficamos preocupados com programações extensas, pois pode dar certo ou não… contudo, a última Sessão da ACLA – Academia Cruzeirense de Letras e Artes, foi longa… extensa… nunca cansativa, e mais uma vez inesquecível…

Começou com o Acadêmico (da Academia de Letras de Lorena) – Prof. Sérgio Cobianchi – se embrenhando por um tema aparentemente difícil – Algumas considerações sobre o infinito – porém, onde mais isto poderia ser discutido, com sensibilidade, se não em um ambiente de Cultura ? E em uma Academia de Letras!

Tivemos ainda, outra escritora – Ana Cláudia Moreira Miguel Philippini – com também robusto curriculum acadêmico, apresentando seu livro – Poder Aéreo nas Operações de Paz – um livro premiado, explorando um tema pouco pensado por nós!

Marcou presença também, o Acadêmico e escritor Cassiano Antico, promovendo mais uma obra, o seu “Crianças são como Pássaros”. Cassiano é uma grata revelação !
Mais uma ilustre visita, a do simpático casal, e ligadíssimo à Cultura – Mariana Bastos e Eduardo Oliveira – ambos, com uma Livraria e Editora vem lutando na região, tentando dar alguma luz àqueles que querem produzir, publicar e vender suas obras.

A tarde vai terminando com a posse de mais um Acadêmico, a do jornalista Arvelos Vieira. Sangue novo e vibrante em nossa Academia.

Enfim, as cortinas são descerradas com as palavras dos “decanos” de nossa Academia – Jaime Ribeiro e Plinio Guarany. O primeiro, apresentando a candidatura de uma nova Acadêmica – Marilha Pereira – mais uma jovem senhora pronta a participar de nossas lutas; quanto ao segundo, declamando mais uma poesia “caipira” de sua lavra.

Eis que de repente olho o relógio e… constato três horas de atividade ! Estouramos o tempo em uma hora… e ninguém reclamou…

Isto não quer dizer que iremos repetir o gesto, mas fica um alerta, o melhor remédio para os males do ser humano… duas horas de Cultura pura… sem atenuantes… e, em doses homeopáticas. Uma vez por mês. Sempre aos sábados, à tarde. E pronto. Qualquer coração irá bater com muito maior força e disposição… Experimente…

E pensar que nossa Academia começou com 13 membros, e agora, no caminho para comemorar dois anos de existência, não há reunião com menos de 30, ou 40 pessoas.

Ah… Sabe o que é melhor ? Sem subsídios de nenhuma espécie… Sem nenhum apoio oficial… Solenemente esquecida por todos os representantes dos poderes públicos constituídos de Cruzeiro… Mesmo assim, só crescemos!

Creio, que há uma luz no fim do túnel…

Eduardo César Werneck – drwerneck@uol.com.br

 Plateia lotada para mais uma reunião da ACLA

 

Mariana Bastos e Eduardo Oliveira: lutando pela Cultura da região

 

A Acadêmica e escritora Aurora Motta, a escritora Ana Cláudia Moreira Miguel Philippini, e a nova indicada à Academia, Marilha Pereira

 

Prof. Sergio Cobianchi: um Matemático que também é poeta

 

Criador e criatura… Pai e Filho… o eminente cirurgião Dr. Ciro Monteiro e o grande escritor Cassiano Antico

 

 Momento de grande relevância: a posse do novo Acadêmico Arvelos Vieira

 

 

 

 

Tags: