Eduardo César Werneck: ‘Só mais um livro…’

08/05/2019 13:20

Eduardo César Werneck

…terá valido a pena, no país da ignorância e da falta de memória?”

A “Nacion” de Buenos Aires publicou a conferência do Dr. Lozano, na Sociedade de Higiene, sobre a (in) salubridade no Rio de Janeiro. O conferente elogiou muito o Dr. Oswaldo Cruz e seus colaboradores. Disse que os médicos argentinos deviam visitar o laboratório de Manguinhos onde teriam muito que aprender. Na sequência, propôs para sócios OSWALDO CRUZ, ADOLPHO LUTZ, EMILIO RIBAS E VITAL BRAZIL;2  e, imitando Al Jolson (“All that Jazz”) quando afirmou: “acalmem-sevocês ainda não viram nada”; poderíamos repetir o gesto, pois ainda não conheciam CARLOS CHAGAS… somados, chamaremos a este quinteto a partir daqui de “Os Cavaleiros do Apocalipse”…

Tudo em um novo livro !

O médico, professor e político baiano Afrânio Peixoto – um destacado inimigo de Carlos Chagas

Ora, se escolhemos nomearmos este livro – Os Cavaleiros do Apocalipse – é porque acreditamos que a ação destes homens, de nobres propósitos, encorajou, em dado momento, como na vida, ações perfeitas ou não, e nem por isto deixaram de merecer nossa especial atenção.

Serão 13 capítulos… muitas informações… muitos registros fotográficos para ressaltarmos velhos problemas de sempre em nosso país!

Finalmente, no último capítulo (o décimo terceiro) – E A VIDA CONTINUA – quase um tom bíblico e espiritual. Afinal, o que restará após os duelos e embates experimentados pelos “cavaleiros”. Terá valido a pena, no país da ignorância e da falta de memória? Então, quais os benefícios reais, das ações, de nossos “Cavaleiros”? Inúmeros… pois, foi pelo trabalho de todos, em condições pouco satisfatórias que se inaugurou a era da ciência no Brasil…

E isto servirá de exemplo às gerações futuras…

O “imenso hospital” como era taxado o Brasil do passado, aos tempos de nossos cavaleiros, será alterado?

Só para termos ideia sobre os embates enfrentados por um dos cavaleiros – Carlos Chagas – o descuido, fosse qual a razão, permitiu que ainda hoje a doença de Chagas afete entre 6 e 7 milhões de indivíduos na América Latina!

E pensar que médicos e cientistas movidos pela inveja, no passado afirmavam que a doença de Chagas era de caráter regional…

Não à toa o Brasil, em expressão de Miguel Pereira “era um imenso hospital”… era ?… ou continua a ser?

Trataremos disto neste novo livro!

 

Eduardo César Werneck

drwerneck@uol.com.br

Tags: