Eduardo César Werneck: “Resende: ‘Terra’ de Claudionor Rosa… onde reencontrei o Marquês de Paraná!”

29/03/2019 08:27

Eduardo César Werneck

“…a Revolução Liberal que atingiu as províncias de São Paulo e Minas Gerais, em 1842, jamais atingiu o Rio de Janeiro, afinal, lá estava o futuro Marquês de Paraná.”

Estive em Resende (RJ) várias vezes em momentos antes de lançar o livro – “O Marquês de Paraná” – e dois motivos especiais me levaram especificamente a esta localidade; primeiro, o amigo Vicente Vale que me apresentou ao grande lutador e preservador da História e Memória Claudionor Rosa, e, em segundo lugar, o próprio Claudionor que me proporcionou o livre acesso a tudo aquilo que pudesse pesquisar sobre Honório Hermeto Carneiro Leão.

Foi, por exemplo, em uma destas vezes em que lá estive que fiquei conhecendo o Prof. Júlio Fidélis, um amigo que a Cultura e a História me brindou.

Resende sempre me trouxe uma grata satisfação em por lá estar. Na década de 70, quando tentei (até de forma insistente) entrar para a AMAN a visitei quando das provas de seleção. Fiz isto por quatro anos consecutivos. O ano de 1977 foi aquele em que por muito pouco não atingi meu objetivo.

Mas, também foi em Resende que vasculhando arquivos da Fundação “Macedo Miranda” encontrei a assinatura de Honório Hermeto, que tanto procurava, em um dos muitos ofícios em que este chancelou, como “presidente” da província do Rio de Janeiro, a decretos liberando verbas para escolas, cadeia, entre tantas atividades.

A Revolução Liberal que atingiu as províncias de São Paulo e Minas Gerais, em 1842, jamais atingiu o Rio de Janeiro, afinal, lá estava o futuro Marquês de Paraná. Este percorreu, a cavalo, léguas e léguas para mostrar à população civil, que o “Estado” estava presente e jamais tergiversaria perante uma tentativa clara de subversão à ordem…

Ao Brasil republicano, não tenho a menor dúvida, está faltando um “Honório”, que jamais abaixou a cabeça, nem mesmo ao Imperador, e sempre lutando por um Brasil sempre “doente”.
Resende, terra em que encontrei as “pegadas” do Marquês de Paraná… onde também encontrei amigos que me permitiram reescrever a História do Brasil com bases cientificas… terra do Claudionor… do Júlio Fidélis… e de tanta gente que aprecio e respeito !

Eduardo César Werneck – dr.werneck@uol.com.br
Sede da Fundação Casa da Cultura Macedo Miranda, em Resende – RJ, na qual se encontra o Arquivo Histórico Municipal de Resende (em visão lateral). Aqui funcionou anteriormente a “Cadeia Velha”. Acervo particular
 As várias vilas e cidades que estiveram entre os destinos de Honório durante a Revolução Liberal. Conforme, o constatado no mapa, o presidente da província do Rio de Janeiro percorreu grandes distâncias, considerando que vários destes pontos foram percorridos mais de uma vez… A cavalo!

 

Por ocasião do lançamento do livro “O Marquês de Paraná” em Resende (RJ) em 2016

 

A assinatura do Marquês de Paraná (Honório Hermeto Carneiro Leão) em 14 de junho de 1842, em meio à evolução Liberal de 1842

 

Por ocasião do lançamento do livro “O Marquês de Paraná” em Resende

 

Tags: